Que tal uma versão esportiva do Renault Duster?

Designer projeta uma versão GT para o SUV que recentemente passou por um bela facelift na Europa

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Que tal uma versão esportiva do Renault Duster?
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Se tem algo que falta no Renault Duster é ousadia. SUV que nasceu nas mãos dos designers da Dacia, subsidiária romena da Renault, e que ingressou em diversos mercados do mundo – incluindo o Brasil – apostando alto em um único ponto: racionalidade. No entanto, com um pouco de criatividade e certo bom gosto, é possível fazer do Duster muito mais que um careta ‘carro de família’. Foi o que fez o X-Tomi Design...

Com base no repaginado Dacia Duster apresentado recentemente no Salão de Frankfurt, na Alemanha, e que ainda não tem data oficial para chegar ao Brasil - as apostas giram em torno do segundo semestre de 2019 e início de 2020 -, foi criado o Duster GT, com um visual muito mais esportivo, agressivo e agradável.

Em um tom de azul muito utilizado pelos carros da Audi, recentemente adotado na nova perua RS4, também revelada em Frankfurt, o Duster ganhou um novo parachoque dianteiro, com uma entrada de ar maior, novos faróis de neblina e um aplique cromado de muito bom gosto. A grade frontal e os faróis são os do ‘real’ Duster repaginado.

icon photo
Legenda: Dacia Duster GT
Crédito: Dacia Duster GT

Chama atenção as rodas de 18 polegadas escurecidas – na projeção elas assumem a cor preta fosca – com pinças de freio vermelhas. Em relação ao Duster normal, é possível notar um retrabalho na suspensão. Pelos traços X-Tomi, o Duster GT está mais ‘socado’, o que lhe caiu muito bem, diga-se de passagem.

E por falar em suspensão, podemos projetar um conjunto mecânico. E não nos veio à cabeça nada inovador, mas sim algo que já existe, como o powertrain utilizado no Renault Sandero RS! Aqui estamos falando de um motor 2.0 16V Flex aspiradão já utilizado pelo Duster brasileiro, com até 150 cv de potência e 20,9 kgf.m de torque – neste ponto, pensando no porte do Duster e do Sandero, a eletrônica poderia trabalhar para gerar um pouco mais de torque, especialmente. A transmissão poderia ser a mesma manual de seis marcha e, especialmente, com o mesmo escalonamento.

Sendo assim, com base nos números do RS, o Duster GT teria capacidade de acelerar de 0 a 100 km/h próximo dos 8 segundos e atingir a velocidade máxima de 200 km/h.

Convenhamos, para o discreto e extremamente racional Duster, uma versão um pouco ‘apimentada’ GT lhe cairia muito bem.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors