Seat Arona antecipa futuro SUV da Volks no Brasil

Utilitário usa a mesma base do Polo de sexta geração, que será feito no aqui e dará origem a uma família de compactos

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Seat Arona antecipa futuro SUV da Volks no Brasil
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Marca espanhola pertencente à Volkswagen, a Seat veio ao Brasil no fim da década de 90 e no início dos anos 2000 com versões do Polo rebatizadas e trazendo emblema diferente: Ibiza, que correspondia ao hatch, Cordoba, a versão sedã e Inca, o furgão baseado no Polo. Há muitos anos a Seat está distante do Brasil, mas segue firme na Europa, ao lado da Skoda, da República Checa, como uma opção um pouco mais acessível aos modelos da Volks.

seat-arona-2017_2
icon photo
Legenda: seat-arona-2017_2
Crédito: seat-arona-2017_2

A Seat também é importante por antecipar veículos da VW que virão para cá. Isso aconteceu recentemente ao apresentar, em feveireiro passado, o novo Ibiza, que nada mais é que a sexta geração do Polo, exibida há cerca de duas semanas na Alemanha e que tem produção confirmada em São Bernardo do Campo (SP), com lançamento no ultimo trimestre de 2017.

seat-arona-2017_1
icon photo
Legenda: seat-arona-2017_1
Crédito: seat-arona-2017_1

Agora, a montadora espanhola revela outro modelo que muito interessa aos brasileiros: o SUV compacto Arona, construído sobre a mesma plataforma modular e global MQB A0, também utilizada pelos novos Ibiza e Polo. E que vai dar origem aqui também a um utilitário esportivo da Volkswagen menor que o Tiguan, cujo nome ainda é mantido a sete chaves pela companhia.

Volskwagen T-Cross Breeze
icon photo
Legenda: Volskwagen T-Cross Breeze
Crédito: Volskwagen T-Cross Breeze

O correspondente da Volks para o Arona para os mercados europeu e norte-americano é o T-Roc, enquanto especula-se que no Brasil e no Mercosul o SUV pequeno feito sobre a base do Polo seja inspirado no conceito T-Cross Breeze (foto acima), que a VW mostrou no ano passado durante o Salão do Automóvel de São Paulo. A VW também vai fabricar em São Bernardo o novo Polo Sedan, que será rebatizado como Virtus, e também uma pipape médio-compacta para concorrer com a Fiat Toro, que pode ser a próxima geração da Saveiro.

seat-arona-2017_5
icon photo
Legenda: seat-arona-2017_5
Crédito: seat-arona-2017_5

Voltando ao Arona, muita coisa nele vai estar no “nosso” SUV, a começar pelas dimensões: ele tem 4,14 m de comprimento, medindo 7,9 cm a mais que o Ibiza, e conta com porta-malas com capacidade para 400 litros de bagagens. Na comparação com o hatch compacto da Seat, a altura é 9,9 cm maior, essencial para compor o estilo SUV e para ampliar o espaço para os passageiros, além de proporcionar uma posição de condução mais elevada. As suspensões também são mais altas.

O estilo incllui itens "aventureiros” bastante apreciados no Brasil, como molduras em volta das caixas de roda, barras transversais de teto, saias laterais e para-choques encorpados, com apliques de plástico simulando proteções metálicas na dianteira e na traseira. O teto, a exemplo de SUVs vendidos aqui como o Nissan Kicks, pode vir com pintura diferente do restante da carroceria.

seat-arona-2017_7
icon photo
Legenda: seat-arona-2017_7
Crédito: seat-arona-2017_7

Como o novo Polo, o Arona traz apelo jovem e muitas possibilidades de personalização com cores e materiais variados. São nada menos que 68 combinações diferentes de cores para a carroceria e a cabine também pode ser customizada ao gosto do cliente.

Quanto à parte mecânica, são praticamente as mesmas opções disponíveis para o Ibiza, com motor 1.0 TSI turbo  a gasoline de três cilindros e 96 cv ou 116 cv de potência, que pode ser associado à transmissão manual de seis marchas ou automatizada de dupla embreagem DSG com sete velocidades. A versão topo de linha FR, por sua vez, será equipada com o novo 1.5 TSI turbo de 150 cv, que estreou no ano passado no Golf europeu e que também vai equipar o novo Polo lá fora. Na Europa, também haverá opções turbodiesel.

Assim como o Polo de sexta geração a ser produzido e vendido no Brasil, o novo SUV pequeno da Volkswagen para o nosso mercado deve contar com o já citado 1.0 turbo, além do 1.6 16v aspirado de 120 cv e, talvez, o 1.4 TSI turbo na versão mais cara.

Comentários