Yamaha apresenta rival do Honda PCX no Salão Duas Rodas

Scooter N-Max de 160 cc chega no início de 2016
  1. Home
  2. Duas Rodas
  3. Yamaha apresenta rival do Honda PCX no Salão Duas Rodas
Karina Simões
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon


A Yamaha já minou o território da Kawasaki com o lançamento da esportivinha R3, rival direta da Ninjinha. Agora a marca dos diapasões trava uma batalha com outra japa, a Honda, que ostenta o título de líder de vendas do segmento de scooters com o PCX. Escondida no pomposo estande da Yamaha, um scooter chamou nossa atenção, o N-Max. Segundo a marca, ele chega ao mercado em janeiro de 2016. Será mesmo?

O N-Max – já vendido no mercado europeu e asiático - tem as mesmas proporções do Honda PCX. O motor de 155,1 cm³ gera 15 cv aos 8 mil rpm e 1,47 kgf.m de torque a 6 mil rpm. Além do comando variável, o motorzinho da N-Max possui tecnologias herdadas de sua prima esportivinha R3, como o cilindro diasil, que mistura alumínio e silício em sua composição para melhor dissipação do calor.

IMAGE

A N-Max traz suspensão com 90mm de curso na traseira e 120 mm na dianteira. Os freios são antitravamento (ABS) e as rodas aro 13 – o PCX tem rodas aro 14. Faróis e lanternas são de LED.

O espaço embaixo do banco comporta um capacete e mais alguns objetos pequenos. Há, porém, dois porta trecos abaixo do guidão. O painel, em formato redondo é bem bonito e totalmente digital. E, para conquistar o público, a Yamaha fala em um consumo na casa dos 40 km/l.

IMAGE

O concorrente PCX, em contrapartida, acaba de reduzir a capacidade volumétrica do motor de 152,9 cm³ para 149,4 cm³, o que resulta em 13,1 cv de potência entregues em sua totalidade aos 8.500 giros. Todavia, para 2016, fez alterações pontuais que melhoraram a motoquinha (como nova suspensão traseira, inclusão da tomada 12V, faróis de LED, entre outras) e que agradarão quem já conhece o produto.

IMAGE

A montadora não dá ideia de preço, mas adianta que interessados podem reservar seu exemplar em um concessionário. O novo PCX é montado em Manaus e parte de R$ 10.299, enquanto o scooter da Yamaha virá importado, pelo menos neste começo. Com o câmbio do jeito que está, brigar por preço é complicado, o que coloca a Honda em uma posição mais confortável com seu PCX.

MT-03 escondidinha

IMAGE

Andando pelo amplo estande da Yamaha no Salão Duas Rodas, tivemos outra surpresa, a MT-03. A moto, irmã caçula das empolgantes MT-09 e MT-07, é a versão naked da esportivinha R3, já avaliada pela WebMotors. Seguindo os passos dos últimos lançamentos da Yamaha no País, a MT-03 faria muito sucesso por aqui. A marca diz que trouxe a moto apenas para exposição e que por enquanto não tem planos de trazê-la ao Brasil. Se depender da aceitação do público que visita Salão Duas Rodas, ela vem sim...

IMAGE

Comentários