Uma corrida quase perfeita afirmou Ron Dennis

Hamilton venceu a corrida completando as 58 voltas em 1h34min54s616, ficando a 5s478 do segundo colocado, Nick Heidfeld (BMW)
  1. Home
  2. Salões
  3. Uma corrida quase perfeita afirmou Ron Dennis
Autoracing
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- A McLaren foi soberana no GP da Austrália, mostrando ser a equipe a ser batida neste começo de temporada. Lewis Hamilton largou na pole e venceu praticamente de ponta a ponta, perdendo a liderança raramente ameaçada apenas após as paradas nos boxes. Heikki Kovalainen poderia ter completado uma dobradinha para a equipe, mas chegou em quinto após ser afetado pelo Safety Car.

Lewis Hamilton, 1º colocado: Eu me sinto ótimo, é um começo dos sonhos de temporada para brigar pelo título. Lamento não ter tido o Heikki ao meu lado no pódio, pois uma dobradinha teria sido um grande prêmio para a equipe. Foi bom ter o Nico Rosberg lá, não dividíamos um pódio desde o kart, com a equipe MBM Mercedes-Benz McLaren. Foi uma ótima corrida, pude controlar desde o começo. Mantive um bom ritmo sem pressões, o que é sempre o ideal quando você está na liderança. As três fases de Safety Car não nos deram um tempo para descanso, e foi como no Canadá no ano passado, quando obtive a minha primeira vitória. Tivemos que mudar a nossa estratégia seguidamente. O carro é fantástico de guiar e a equipe fez um ótimo trabalho. Eu me preparei muito melhor neste ano, é importante que nós continuemos forçando nos próximos meses.

Heikki Kovalainen, 5º colocado: Sem dúvida a minha competitividade estava melhor do que o resultado pode mostrar. Infelizmente, o último período de Safety Car me tirou a segunda posição. Mas gostei do final de semana, trabalhando com a equipe em um nível tão profissional. A minha largada foi boa, mas durante o primeiro trecho, os pneus esfarelavam um pouco, o que não me afetou muito. No segundo trecho, especialmente no terceiro, o meu carro estava muito rápido. Tive uma boa briga primeiro com o Kimi Raikkonen e depois com o Fernando Alonso. Ultrapassei o Fernando, mas depois, quando tirava a viseira na reta dos boxes, acidentalmente apertei o botão limitador de velocidade no pitlane, e Fernando conseguiu me passar de novo. Estou satisfeito, mas também frustrado, pois poderíamos ter obtido uma dobradinha.

Ron Dennis, chefe da equipe: Uma corrida quase perfeita para nós. Lewis não cometeu erros e contou com uma estratégia forte, com seus pit stops feitos antes de possíveis intervenções do Safety Car. Deixamos Heikki dar mais uma volta antes da sua segunda parada, caso ele tivesse algum problema nos pits e pudesse ficar à frente do Nick Heidfeld. Infelizmente a última intervenção do Safety Car custou a ele a segunda posição, mas se mostrou um grande piloto ao ultrapassar Kimi Raikkonen e Fernando Alonso, mas infelizmente ele pressionou o botão limitador de velocidade, buscando limpar o seu visor, perdendo uma posição. Como equipe tivemos um final de semana competitivo, mas ainda há um longo caminho e não podemos subestimar os nossos rivais.

Como foi a corrida

A Fórmula 1 sem ajudas eletrônicas, sem controle de tração viu uma corrida que o vencedor, Lewis Hamilton McLaren passeou no Albert Park em Melbourne. O inglês foi o único piloto que teve um domingo tranqüilo na Austrália, uma vez que os demais pilotos estiveram envolvidos em várias situações emocionantes e eletrizantes durante a prova.

Hamilton venceu a corrida completando as 58 voltas em 1h34min54s616, ficando a 5s478 do segundo colocado, Nick Heidfeld BMW. Nico Rosberg Williams foi o terceiro. Fernando Alonso Renault ficou em quarto, seguido de Heikki Kovalainen McLaren e Rubens Barrichello Honda, que está sob investigação por incidentes no final da corrida. Completaram os oito que marcaram pontos Kazuki Nakajima Williams em sétimo e Sebastien Bourdais Toro Rosso em oitavo. Felipe Massa Ferrari e Nelsinho Piquet Renault abandonaram a prova.

A largada viu um choque entre Kovalainen e Massa na frente, forçando uma visita do brasileiro ao box e o abandono quase que imediato de Jenson Button Honda, Giancarlo Fisichella Force India, Sebastian Vettel Toro Rosso, Anthony Davidson Super Aguri e Mark Webber Red Bull. Com a confusão toda, Nelsinho pulou de 20º para 12º. Na frente, Hamilton liderava com Kovalainen em segundo, seguido de Robert Kubica BMW, Nico Rosberg Williams, Heidfeld, Jarno Trulli Toyota e Barrichello.

Como o safety car entrou na pista logo no começo, a prova esperou um pouco para pegar fogo e assim que a pista foi liberada, Lewis mostrou a que veio, abrindo diferença para os demais pilotos. O polonês da equipe bávara vinha em segundo e o mais surpreendente era a atuação de Rubinho, que segurava Kimi Raikkonen como podia. Por 18 voltas o campeão mundial de 2007 ficou atrás da Honda que nem de longe lembrava o risível carro do ano passado.

Na 25ª passagem Trulli retirou-se da competição e na passagem seguinte, uma dividida entre Massa e David Coulthard Red Bull acabou coma corrida do escocês e forçou uma nova entrada do carro de segurança, que ficou na pista até a volta 30. Quando a prova teve sua relargada autorizada, Kimi tentou superar Heikki e quase bateu no muro, perdendo um tempo considerável. Pouco depois, Piquet e Massa deixaram a corrida. Enquanto Hamilton seguia passeando no Albert Park, a maior briga era entre Bourdais, Kubica e Alonso.

Volta 43, Kimi Roda novamente na pista e um pouco depois, Timo Glock perde o controle de seu carro, encontra um “morrinho artilheiro” e destrói a suspensão de seu Toyota, tendo que se retirar da prova e forçando um novo Safety Car. Com a presença do carro de segurança na pista, Barrichello fez sua parada, só que uma desatenção do mecânico responsável pelo “pirulito” do box fez com que o brasileiro da Honda saísse logo do pit e em luz vermelha. Pela atitude ele recebeu uma primeira punição de dez segundos e até o encerramento da corrida ainda não havia uma definição sobre uma possível nova penalização a Rubens.

A competição em Melbourne ainda reservava algumas emoções finais, como a batida de Nakajima em Kubica na volta 49, quando o SC ainda estava na pista, o abandono de Kimi na 54ª volta, o estouro do motor de Bourdais na 56ª passagem e a troca de posições entre Kovalainen e Alonso que rendeu um gesto de comemoração de Ron Dennis, mas quem riu por último foi Flavio Briatore, chefe de equipe do espanhol, que viu seu piloto cruzar a linha de chegada em quarto.

Confira o resultado final da prova:

Pos Piloto Equipe Tempo/Dif
1 Lewis Hamilton McLaren 1h34min50s616
2 Nick Heidfeld BMW a 5s478
3 Nico Rosberg Williams a 8s163
4 Fernando Alonso Renault a 17s181
5 Heikki Kovalainen McLaren a 18s014
6 Rubens Barrichello Honda a 52s453
7 Kazuki Nakajima Williams a 1 volta
8 Sebastien Bourdais Toro Rosso a 2 voltas
9 Kimi Raikkonen Ferrari a 3 voltas
10 Robert Kubica BMW a 8 voltas
11 Timo Glock Toyota a 14 voltas
12 Takuma Sato Super Aguri a 25 voltas
13 Nelsinho Piquet Renault a 27 voltas
14 Felipe Massa Ferrari a 28 voltas
15 David Coulthard Red Bull a 29 voltas
16 Jarno Trulli Toyota a 38 voltas
17 Adrian Sutil Force India a 49 voltas
18 Mark Webber Red Bull a 49 voltas
19 Jenson Button Honda a 49 voltas
20 Anthony Davidson Super Aguri a 49 voltas
21 Sebastian Vettel Toro Rosso a 49 voltas
22 Giancarlo Fisichella Force India a 49 voltas

Volta mais rápida: Heikki Kovalainen, 1min27s418

Gosta de carros de competição?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Porsche

Ferrari

Lamborghini

Leia também:

Os campeões de 2007

O incrível Mundo da Fórmula 1

Caparo T1, o primeiro Fórmula 1 de rua

Desafio Internacional das Estrelas

Carrões da GT3 também podem rodar nas ruas

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors