Índice de Danos de Enchente

Cesvi aponta quais veículos oferecem mais e menos riscos
  1. Home
  2. Tecnologia
  3. Índice de Danos de Enchente
Cesvi Brasil
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Nos últimos anos, o mercado automotivo brasileiro teve que se adaptar a um fator incontrolável e decisivo no que diz respeito ao risco de danos diversos aos automóveis: as enchentes decorrentes das fortes chuvas, características em determinadas regiões do País, principalmente no verão. As fortes chuvas e os danos causados aos automóveis por decorrência disso afetam a toda a população, e também o mercado segurador, as oficinas de reparação e as montadoras.

Mantendo a sua característica de estudar detalhadamente os veículos fornecidos no mercado brasileiro e fornecer informações que sirvam como solução para os públicos citados, o CESVI BRASIL está lançando mais um estudo, abordando agora o risco relacionado a enchentes e os possíveis danos que os veículos possam sofrer em função de suas características mecânicas e eletroeletrônicas. O estudo resultou no Índice de Danos de Enchente.

Conceito
Por definição, o Índice é uma ferramenta que avalia nos veículos suas características técnicas essenciais na promoção da mobilidade e os classifica em um ranking quanto ao risco de cada um sofrer danos provocados por enchentes derivadas de fortes chuvas.
Para a obtenção deste fator de risco, são avaliados os principais componentes que, caso em contato com a água proveniente de enchente, possam comprometer o perfeito funcionamento do veículo e a condução veicular.
Por meio de um estudo detalhado, foram identificados os fatores que interferem na ocorrência da contaminação por água e, em seguida, reunidos em uma escala de valores. O resultado final é um ranking que indica e compara a eficiência de cada veículo em manter seu funcionamento quando submetido a enchente, garantindo sua mobilidade.

Composição do índice
Para chegar ao Índice, uma análise detalhada é realizada em cada modelo, avaliando a possibilidade de danos por enchente sob duas óticas: risco de sofrer o calço hidráulico e risco de comprometimento de seu funcionamento por danos em componentes fundamentais.

Para se chegar a um denominador, os seguintes itens são estudados:

Sistema de admissão
Em caso de enchentes, é por meio dele que a água pode ter acesso ao interior dos cilindros do motor. Avaliações realizadas:
• Altura da tomada de ar sujo em relação ao solo.
• Ponto mais alto do duto de admissão em relação ao solo.
• Altura compreendida entre os pontos mais alto e mais baixo do duto de admissão.
• Distância percorrida pela água até atingir o ponto mais alto do duto de admissão.

Sistema de escape
Também significa uma via de acesso para a água, principalmente levando em consideração casos em que o motor esteja desligado.
Avaliação realizada: máxima altura do sistema de escape.

Cilindrada do motor
Quanto maior a cilindrada do motor, mais facilmente o motor absorve a água pelo duto de admissão, aumentando o risco.
Avaliação realizada: obtenção da cilindrada.

Taxa de compressão
Quanto maior for a taxa de compressão, menor é o tamanho da câmara de explosão, conseqüentemente menor será a tolerância ao volume de água admitido.
Avaliação realizada: obtenção da taxa de compressão.

Alternador
Caso atingido pela água, pode causar parada do veículo em função de dano ao sistema de carga da bateria. Avaliações realizadas:

• Medição da altura do alternador em relação ao nível do solo.
• Análise da concepção do corpo do alternador, visando a identificar a facilidade de entrada de água.
• Análise de sua posição em relação ao motor.

Centrais elétricas
Havendo a contaminação destes quadros elétricos, há o comprometimento dos respectivos circuitos protegidos pelos fusíveis ou acionados por relés, podendo indiretamente ocasionar a parada do veículo pela interrupção do funcionamento destes circuitos. Avaliações realizadas:

• Medição da altura em relação ao nível do solo.
• Análise do tipo de componentes inseridos em seu quadro.
• Análise de sua localização junto ao veículo.

Sensor de oxigênio Lambda
Em contato com a água, pode ter sua leitura distorcida ou até mesmo interrompida, comprometendo ou mesmo impedindo o gerenciamento da injeção eletrônica, vital para a manutenção do funcionamento do motor. Avaliação realizada:

• Medição da altura em relação ao solo.

Sensor de rotação do motor
Seu funcionamento depende do perfeito monitoramento de um elemento de referência. Havendo a contaminação por água de seu captador, pode ocorrer a falha e interrupção do gerenciamento da injeção eletrônica ao motor.
Avaliações realizadas:

• Medição da altura em relação ao solo.
• Análise da localização junto ao motor.

Unidades de controle
A contaminação de água em seu interior fatalmente produzirá curto-circuito, comprometendo seu funcionamento. Avaliações realizadas:
• Medição da altura em relação ao solo.
• Análise da vedação oferecida pelo respectivo encapsulamento.
• Análise de sua localização junto ao veículo.

Embreagem
Seu funcionamento depende de elementos de fricção para assegurar o fluxo de propulsão do motor até as rodas. Quando esses elementos são contaminados pela água, podem comprometer sua aderência e, conseqüentemente, a tração do veículo.
Avaliações realizadas:

• Medição da altura da caixa seca até o solo.
• Concepção da carcaça da caixa seca com relação aos possíveis acessos para a passagem de água ao seu interior.
• Posicionamento junto ao veículo.

Classificação
O comparativo do veículo se dá por meio das seguintes premissas:

• Os veículos são agrupados de acordo com a sua categoria.
• O resultado se dá em forma de estrelas: quanto mais estrelas, melhor será o veículo e menor seu risco de apresentar danos em enchentes que provoquem a parada do veículo.
• Havendo a ocorrência de um lançamento de veículo, ele será devidamente enquadrado na respectiva categoria.

Considerações do CESVI
• Veículos que possuem componentes essenciais para sua mobilidade em locais elevados têm menor probabilidade de sofrer danos relacionados a enchentes.
• Existem configurações de motorizações que, além de possuírem suas tomadas de ar mais altas, fazem com que a água decorrente de alagamento, se admitida através do sistema de admissão, seja drenada e retida ainda nele, dificultando assim seu acesso aos cilindros.
• Um mesmo modelo de veículo, de acordo com sua versão/motorização, pode ter diferentes configurações de componentes mecânicos, elétricos e eletrônicos, diferenciando também o seu risco quanto a danos de enchentes.
• Sistemas de admissão mais baixos, curtos, horizontais e menos sinuosos, englobam riscos maiores aos veículos no que diz respeito a danos de enchentes; esta condição é agravada quando funcionam com motores de cilindradas e taxas de compressão mais altas.
• A suspensão elevada nas versões “fora-de-estrada” pode contribuir para a diminuição do índice de danos de enchentes do veículo em relação à sua versão convencional.
Confira resultado nos quadros ao lado.


Leia também:

Medo de água? Veja aqui dicas contra enchentes

Quais as chances de sermos atingidos por um raio dentro do carro ou na moto?

Dicas de segurança para motociclistas e motoristas

Se meu dono me ouvisse...

Como conduzir seu 4x4 com eficiencia e seguranca

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors