Pesquisa revela que 300 mil acidentes foram provocados pelo farol de neblina

Uso indevido do equipamento também provocou dois milhões de “quase” colisões
  1. Home
  2. Tecnologia
  3. Pesquisa revela que 300 mil acidentes foram provocados pelo farol de neblina
Rodrigo Ribeiro
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Apesar do nome sugestivo, ainda tem muita gente que usa o farol de neblina em diversas situações além daquelas onde há baixa visibilidade. Projetado apenas para esse tipo de situação, o farol e a lanterna de neblina ofuscam outros motoristas quando usados indevidamente. Por isso seu uso em situações desnecessárias é proibido em diversos países, como a Inglaterra. A lei, contudo, não impediu que mais de 300 mil acidentes fossem provocados pelo acessório, segundo pesquisa da seguradora britânica Swiftcover.

O estudo também questionou o motivo de manter as luzes acesas quando não há necessidade. Entre diversas justificativas, há coisas como “meu farol baixo não é forte o suficiente” ou “para dissuadir motoristas que andam muito colado na minha traseira” no caso da lanterna de neblina. Uma das mais usadas, entretanto, foi a de que “assim meu carro fica mais legal/bonito”. A resposta foi amplamente usada entre motoristas com menos de 34 anos, chegando a 22% do total deste grupo.

“Ao tentar parecer legais com os faróis de neblina ligados, esses jovens acabam se tornando imprudentes e não pensam no perigo aos outros motoristas”, afirmou Robin Reames, executivo da seguradora. “Essas luzes foram projetadas para um uso específico, ajudando motoristas a ver e serem vistos quando há pouca visibilidade. Usá-las em outras situações provoca ofuscamentos e acidentes, como nossa pesquisa comprovou”, explicou Reames.

O levantamento também revelou que os londrinos são os mais irresponsáveis, com metade dos acidentes da cidade tendo sido provocados pelos faróis de neblina. “É uma questão de bom-senso e cortesia. Você não gosta de ser ofuscado por outros motoristas, então não ofusque os outros”, concluiu Reames.

No Brasil
Por aqui não há nenhuma lei que impeça o uso do acessório em situações de boa visibilidade. As restrições dizem respeito apenas às lâmpadas o xênon só é autorizado se for original de fábrica e à obrigatoriedade do farol baixo entre o pôr-do-sol e o nascer do sol. 

Contudo, para estimular o uso racional do farol e da lanterna de neblina, o WebMotors procura sempre não usar o dispositivo em suas produções de fotos e vídeos, como você pode ver nas fotos ao lado. Dessa forma procuramos conscientizar os leitores de que melhor do que parecer mais bonito para os outros, é respeitá-los. Além disso, você acha que carro com o farol de neblina apagado fica feio? Dê uma olhada nas fotos ao lado e dê sua opinião em nosso Twitter ou Facebook!
_________________

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors