Avaliamos o Fiat Linea LX, equipado com motor E.TorQ de 127 cv

Modelo que tem valor sugerido de R$ 55,90 mil, oferece uma boa opção para quem pretende ingressar no segmento dos sedãs médios


  1. Home
  2. Testes
  3. Avaliamos o Fiat Linea LX, equipado com motor E.TorQ de 127 cv
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- A Fiat lançou no ano passado o sedã Linea equipado com o motor 1.8 E.TorQ de 16V. A grande missão desse novo motor foi tirar o 1.9 16V que vinha da Argentina e passar a usar o propulsor produzido pela FPT Powertrain Technologies. O mesmo conjunto já equipa os modelos: Punto, Palio, Siena e Idea.

Para galgar maiores posições no ranking, a Fiat inseriu duas versões ao Linea que são voltadas aos frotistas. Trata-se das LX e LX Dualogic que também são equipadas com o motor 1.8 E.TorQ de 16V, só que com 127 cv de potência máxima. Os E.Torq das versões HLX e Absolute, por exemplo, têm 132 cv quando usam álcool. A diferença foi “milimetricamente” calculada para cair na faixa do limite máximo da potência para que taxistas se beneficiem da isenção de ICMS.

O WebMotors ficou uma semana com a versão voltada aos frotistas, equipada com câmbio manual, e que também está disponível nas concessionárias e pôde concluir: a Fiat realocou o Linea novamente para ganhar novas posições no ranking.

Com um valor sugerido de R$ 55,90 mil, o Linea LX concorre com sedãs compactos, categoria que o Linea não deveria se encaixar de acordo com a Fiat e com a Fenabrave Fcaptionação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores.

Consumo

Nessa categoria o que vale é o bolso. Por isso, durante as medições do WebMotors o Fiat Linea LX com câmbio manual fez 13 km/l gasolina e 6,2 km/l álcool no circuito urbano. No regime rodoviário só conseguimos aferir a média consumida no etanol, registro de 10,8 km/l. De acordo com as medições da Fiat Norma NBR 7024, o Linea LX fez: 16,1 km/l gasolina e 10,8 km/l álcool na estrada e 11,3 km/l gasolina e 7,7 km/l álcool na cidade.

Equipamentos de série da versão de entrada

Os principais equipamentos da versão LX são: airbag duplo, ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, direção hidráulica, vidros e travas elétricos, retrovisores com regulagem interna e volante com regulagem de altura e profundidade. Se comparado com o Linea HLX que tem um valor sugerido de R$ 58,65 mil e 5 cv a mais, o LX só deixa a desejar por não oferecer o ABS de série. Ou seja, aumentando um degrau de versão você gastaria R$ 2,75 mil e levaria para casa o ABS e mais 5 cv de potência. Levando em conta que o LX tem um peso em ordem de marcha de 1.300 kg e o HLX, 1.305 kg. A diferença no desempenho desses cavalinhos controlados por chip é minúscula. A relação peso/potência do LX é de 10,23 kg/cv e a do HLX é de 9,8 kg/cv.

De acordo com a Fiat, o Linea LX acelera de 0 a 100 km/h em 10,5 s, independentemente do combustível utilizado. Se o Fiat Linea HLX estiver abastecido com gasolina, ele leva 10,3 s para efetuar a mesma tarefa.

Motor 1.8 E.Torq

O WebMotors rodou por diversas vezes com o Fiat Linea equipado com motor 1.9 de 16V. Chegamos também comparar a versão aspirada com a sobrealimentada Fiat Linea T-Jet enfrenta Aboslute com câmbio Dualogic. Com o motor 1.8 de 16V o sedã da marca italiana ficou mais equilibrado, principalmente se comparado com os modelos aspirados anteriores.

O reflexo disso e da melhor aceitação pelo consumidor pode ser visto no número de emplacamentos da Fenabrave. No acumulado de 2010, por exemplo, o carro fabricado em Betim, MG, registrou 12.082 unidades emplacadas, média de mil unidades por mês. Para se ter uma ideia, quando começou a ser fabricado, em 2008, o Linea vendia 600 unidades ao mês. Se posicionado no ranking dos médios, o Fiat Linea registra a 5ª posição, ficando atrás de modelos como: Kia Cerato, Chevrolet Vectra, Honda Civic e Toyota Corolla. Se colocado no ranking dos sedãs compactos, o Linea fica na 4ª posição. Modelos como Honda City, Peugeot 207 e VW Polo, todos estão a sua frente.

Comprar ou não comprar? Eis a questão!

Se você acha interessante gastar cerca de R$ 3 mil a mais por um ABS, dispense o LX e use o HLX. Se você pretende pagar um pouco menos de imposto IPVA e seguro e não faz questão de ter um motor que ofereça tanta potência, o LX é uma excelente opção. Repare que o valor do Linea LX é bem apetitoso. Agora vale também você compará-lo com outros modelos da sua categoria. Um exemplo bem legal é o comparativo feito entre o Honda Civic e o sedã italiano.

Relembre também:

Fiat Marea sai do cenário em 2008

Focus Sedan X C4 Pallas X Mégane: qual leva a melhor?


Motor

Quatro cilindros em linha, dianteiro, transversal, 16 válvulas, 1747 cm³

Potência

127 cv etanol ou gasolina a 5.250 rpm

Torque

185 Nm / 18,9 kgfm etanol - 180 Nm / 18,4 kgfm gasolina a 4.500 rpm

Câmbio

Manual, com cinco marchas

Tração

Dianteira

Direção

Por pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica

Rodas

Dianteiras e traseiras em aro 15” de liga-leve

Pneus

Dianteiros e traseiros 195/65 R15

Comprimento

4,56 m

Altura

1,50 m

Largura

1,73 m

Entre-eixos

2,60 m

Porta-malas

500 l

Peso em ordem de marcha

1.300 kg

Tanque

60 l

Suspensão

Dianteira independente, tipo McPherson; traseira semi-dependente, tipo barra de torção

Freios

Disco ventilados

Preço

R$ 55.900

Twitter
_________________

Gosta de sedãs?

Então veja as ofertas do segmento da moda no WebMotors:

Ford Fusion

Ford Focus Sedan

Chevrolet Vectra

Honda Civic

Renault Mégane Sedan

Renault Mégane Sedan

Renault Mégane Sedan

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors