630x386 25b7534b 69dc 41e5 9e94 077a84a86298 0

Belo, CLA 200 Turbo não é tudo o que aparenta

Sedã da Mercedes-Benz tem desempenho apenas 'ok' e preço ligeiramente salgado


  1. Home
  2. Testes
  3. Belo, CLA 200 Turbo não é tudo o que aparenta
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon


Quem nunca se deixou levar pelo olhar sedutor e corpo com curvas estonteantes de uma mulher? O Mercedes-Benz CLA 200 Turbo First Edition (R$ 150.500) tem em sua personalidade este ‘veneno’ ludibriante. Arranca elogios e arrebata clientes sem fazer esforço. Basta ficar ali parado, no meio do showroom, para ser assediado. No entanto, como acontece com algumas mulheres estonteantes, nem tudo é como no primeiro encontro...

Fabricado na Hungria e concebido para rejuvenescer o leque de clientes da marca – mesma missão, aliás, do novo Classe A -, o CLA cumpre seu objetivo de atrair aqueles que querem fugir do ‘careta’. As linhas ousadas do sedã esculpidas com pegada de cupê asseguram personalidade ao modelo. A influência do CLS é nítida, especialmente no teto arredondado (com teto solar de série) e na longa caída da coluna ‘C’, que se funde suavemente com a traseira.



A dianteira tem para-choque robusto, com três entradas de ar ao melhor estilo AMG (divisão de alta performance da Mercedes-Benz). E os faróis (bi-xenônio) realçam a personalidade invocada do sedã. As laterais, com linha de cintura arqueada – acompanhando a do teto –, têm vincos marcantes. As rodas de liga leve de 18 polegadas, por outro lado, poderiam ter desenho mais esportivo. A traseira chama atenção pelas lanternas que não invadem a tampa do porta-malas e pela saída dupla do escapamento.

DESEMPENHO

A primeira ressalva deste ‘mini CLS’ está no desempenho. Não que seja ruim de acelerar, mas em relação à concorrência falta ‘tempero’. O motor 1.6 turbo de quatro cilindros (gasolina) tem bom torque de 25,49 kgf.m entre 1.250 e 4.000 rpm, mas deve em ‘fôlego’. São apenas 156 cv a 5.300 rotações. Com tais números – e pesando 1.430 quilos (ligeiramente gordinho) -, o CLA vai de 0 a 100 km/h em 8,5 segundos e atinge a velocidade máxima de 223 km/h.

Apenas como base de comparação, o Audi A3 Sedan 1.8, seu concorrente direto, tem o mesmo torque de 25,5 kgf.m, porém disponível a uma faixa mais ampla de giros – de 1.250 a 5.000 rpm. A potência também é superior, 180 cv entre 5.100 e 6.200 rotações. E pesando 135 quilos a menos, o rival – que nem de perto tem o charme do CLA, reconhecemos – acelera de 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e atinge a velocidade máxima de 235 km/h.

Voltando ao Mercedes-Benz, ponto positivo para a transmissão automatizada de dupla embreagem e sete marchas (7G DCT), que tira de letra a demanda do propulsor, passando marchas com suavidade e proporcionando maior conforto e economia de combustível. Na realidade, trata-se de um câmbio muito bom para um motor apenas bom.

O ajuste da suspensão agrada. Faz a linha Mercedes-Benz de ser, com personalidade rígida, ideal para uma ‘tocada’ mais abusada, sem ser, no entanto, dura ao extremo para causar incômodo aos ocupantes que querem apenas passear. Ao entrar nas curvas com um pouco mais ímpeto, o CLA não sai de frente ou traseira.

Ponto positivo também para o bom pacote de recursos eletrônicos, como controles de tração e estabilidade, freios com ABS com assistente (BAS) e distribuição eletrônica da força de frenagem (EBD), tração eletrônica em cada roda (ETS), tecnologia start-stop (desliga e liga o motor automaticamente em semáforos, por exemplo).

Agrada também a posição ao volante. Os bancos revestidos em tecido (no A3 Sedan são em couro) têm desenho esportivo e o volante multifuncional com shift paddle para troca de marchas oferece boa empunhadura. Os ajustes de altura e profundidade dos assentos, no entanto, são manuais – um recurso eletrônico não seria nenhum absurdo para um Mercedes-Benz.

PREÇO VS. EQUIPAMENTOS

A segunda ressalva do CLA 200 Turbo First Edition está no preço de R$ 150.500, muito alto para um sedã que entrega um pacote de equipamentos de série longe de ser de outro mundo. Câmera de ré, que hoje começa a invadir o segmento dos hatches compactos – Nissan New March e novo Renault Sandero -, não está disponível. Pior, nem um simples sensor de estacionamento traseiro faz parte dos itens de fábrica.

Outro porém é a tela de 5,8 polegadas do sistema de entretenimento, que exibe as funções do sistemas de navegação (GPS) e áudio (conexão Bluetooth com celular e players de mídia) e fica fixa no painel (parece um tablete), remetendo, por exemplo, ao Maps & More que equipa o Volkswagen up!. O Audi A3 Sedan 1.8, que parte de R$ 118.200 - R$  32.300 mais em conta - tem tela básica também de 5,8 polegadas (tem opção de tela de 7 polegadas) que é escamoteável.

Entre outros equipamentos de série destaque para a direção elétrica, ar-condicionado, air bags frontais, laterais e de joelhos para o motorista, suporte isofix, freio de estacionamento elétrico, controlador e limitador de velocidade, sensores de chuva e de alarme dos vidros, aviso de perda de pressão dos pneus, entre outros.

ESPAÇO INTERNO

O Mercedes-Benz CLA 200 Turbo First Edition não chega a ser um latifúndio, mas tem bom espaço interno. Com 4,63 metros de comprimento, sendo2,70 metros de distância entre os eixos, quatro adultos de estaturas medianas viajam se problema. Apenas o acesso ao banco traseiro é ligeiramente incômodo por conta da queda da coluna ‘C’, que obriga os grandalhões encolherem o pescoço para não baterem a cabeça. O porta-malas tem capacidade para 470 litros.

CONCLUSÃO

Para quem se preocupa com a imagem e quer causar uma excelente primeira impressão onde quer que chegue, o Mercedes-Benz CLA 200 Turbo First Edition é o ‘cara’. Tem visual ousado e não raro é chamado de ‘Mini CLS’, um dos modelos mais arrojados e bonitos da marca alemã. No entanto, o valor elevado e o desempenho apenas ‘ok’ – principalmente quando comparado à concorrência – deixam o sedã em dívida com o cliente.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors