BMW 550i Sport coloca paraíso a R$ 400 mil de distância


  1. Home
  2. Testes
  3. BMW 550i Sport coloca paraíso a R$ 400 mil de distância
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- É fácil apreciar um BMW. Não somente pela aura que envolve a marca, mas por suas qualidades específicas. Visual arrojado, esportividade natural expressa em detalhes como o pequeno balanço dianteiro distância entre o centro da roda e a extremidade do pára-choque; a construção primorosa do trem-de-força, com a tradição dos motores de 6 cilindros em linha, os V8 e V10 de alta tecnologia; a tração traseira aplicada até aos modelos “de entrada”, os compactos da Série 1; a precisão em cada detalhe de seu interior.

Essa ideologia imutável que beira a teimosia confirma seu acerto nos crescentes números de vendas apresentados pela marca. Em 2006, foram 5,2% a mais sobre o ano anterior 1.185.049 veículos. Os modelos da Série 5 representam 19,59% desse montante, com 232.162 unidades vendidas no ano passado em todo o mundo.

É nesse paraíso automobilístico que se combinam quase perfeitamente as características de esportividade, conforto, tecnologia e economia de combustível. Para adentrá-lo, no entanto, há um preço. No caso do 550i, começa em R$ 387 mil para a versão Top; R$ 399 mil na Sport, avaliada pelo WebMotors; e R$ 409 mil na Sport equipada com câmbio seqüencial SMG.

A versão Sport caracteriza-se por trazer itens de aerodinâmica defletores dianteiro e traseiro, na tampa do porta-malas, e laterais, rodas especiais, o volante “M”, alterações na suspensão e acabamento com detalhes em alumínio.

O sedã grande 550i foi lançado no final de 2005, chegando ao Brasil no ano seguinte. Substitui o 545i, com motor de maior cilindrada – 4,8 litros o que lhe daria o nome de 548, mas a BMW preferiu a opção mais harmônica para nomeá-lo, ante 4,4 litros do modelo anterior – e potência 367 cv a 6.300 rpm, um ganho de 10,8%, ou 34 cv, sobre o 333 cv do 545i. Houve ganho também no torque, que passou de 45,9 kgfm para 49 kgfm a 3.400 rpm.

Esse V8 empurra o sedã de 1.735 kg da imobilidade aos 100 km/h em apenas 5,2 segundos. Acelerado a pleno, é capaz de causar náuseas e calafrios em passageiros desavisados... Velocidade máxima é limitada a 250 km/h, mas poderia ir além. Isso tudo percorrendo 10 km/l na estrada e 5 km/l na cidade, aferindo pelo computador de bordo. São números que assustam se comparados a um carro com motor de 1 litro, mas bastante expressivos para um V8 de 4,8 litros. O Chevrolet Vectra, que tem motor de quatro cilindros e 2,4 litros de cilindrada, faz o mesmo, com 217 cv a menos.

Assim como o 6-cilindros em linha do 325i Touring avaliado pelo WebMotors em dezembro de 2006, esse V8 é equipado com os sistemas Valvetronic e Vanos. O primeiro atua servindo ao mesmo tempo como borboleta de aceleração, que deixa de existir, e variando de maneira infinita o levantamento das válvulas de admissão, otimizando a entrada de ar nos cilindros segundo as necessidades do motor. Proporciona, segundo a fábrica, 10% de economia em consumo de combustível.

A sigla Vanos vem de Variable Nockenwellen Steuerung, controle variável da árvore de comando de válvulas em alemão. Este V8 tem comando duplo, por isso é um Duplo-Vanos. O sistema atua nas árvores de comando de válvulas de admissão e escapamento, de acordo com o regime de rotação do motor e a posição do pedal do acelerador. Retarda ou adianta a abertura das válvulas, alterando, assim, a entrada de ar nos cilindros e a saída dos gases queimados.

Seu câmbio é automático de 6 marchas, com opção de acionamento seqüencial. A eficiência do conjunto passa pela economia de combustível, desempenho e chega ao conforto, colaborando para o conforto a bordo. Cruzando a 120 km/h, o motor está girando a 2.250 rpm, graças ao bom escalonamento do câmbio. Há o esperado de uma caixa moderna como essa – controles eletrônicos que previnem erros e sobregiro, ao mesmo tempo em que conferem liberdade para a tocada esportiva. O corte de injeção ocorre a 6.500 rpm. No modo manual, a troca de marcha automática só acontece quando o motor chega a essa rotação.

A direção é equipada com sistema Servotronic, que varia a assistência e a resposta de direção. Rodando a baixas velocidades, há mais assistência e o volante pode ser girado pouco para que se mude de direção. Em altas velocidades o processo é inverso. Há menos assistência e deve-se girar mais o volante para que o sedã mude de trajetória. Ainda sobre a direção, volante tem diâmetro e empunhadura ideais.

Com 4,81 metros de comprimento, o 550i tem 1,47 m de altura e 1,85 m de largura. A distribuição de peso é próxima da perfeita: 51,4% na dianteira, 48,6% na traseira. Graças aos 2,89 metros de distância entre eixos e à inteligência em dispor o interior, o espaço interno é vasto. Comporta bem três adultos no banco de trás, embora dois tenham mais conforto – o encosto central pode ser rebatido, tornando-se apoio para braço; por isso incomoda as costas de quem ali se senta.

O banco do motorista possui um “extensor” longitudinal do assento, acionado eletricamente, que proporciona mais apoio para as pernas e concorre para a posição de dirigir perfeita. Há telas retráteis no vidro traseiro, acionada eletricamente por tecla na porta do motorista, e nas portas traseiras manuais. Interessante é o recurso da projeção do mostrador no vidro dianteiro chamada pela BMW de “head-up-display”, à frente do motorista. Colabora para a segurança, já que o condutor não precisa desviar os olhos da estrada.

O 550i é equipado com o sistema multimídia iDrive. Por meio do botão no console central é possível controlar ar-condicionado independente motorista/passageiro, sistema de som, computador de bordo e funções de entretenimento. A princípio complicado, leva-se algum tempo para aprender todos os recursos do iDrive.

Há uma infinidade de recursos eletrônicos, todos para auxiliar o dirigir ou garantir maior segurança. Assistência para saídas, que evita o recuo do sedã em uma ladeira, por exemplo; frenagem de emergência, que preventivamente deixa as pastilhas de freio mais próximas dos discos, caso o motorista retire o pé do acelerador abruptamente – reduz o tempo de resposta do freio. Sistema de secagem dos freios, que periódica e imperceptivelmente, quando rodando sobre piso molhado, faz as pastilhas tocarem os discos sem que isso interfira na direção ou na velocidade. Evita a formação de película de água, que comprometeria a frenagem eficaz, se necessária.

O sedã é equipado ainda com sistema de compensação de fading dos freios perda de eficiência por superaquecimento, aumentando a pressão no sistema. E traz a função de “parada suave”, que evita o mergulho excessivo da dianteira em frenagem e reduz a pressão nos freios para “matar” a inércia, próximo da parada total.

Paraíso imperfeito

Mas esse éden alemão tem imperfeições. Para um carro de 367 cv, os bancos deveriam oferecer melhor apoio lateral como no Jaguar S-Type R, o que traria mais conforto a motorista e passageiro em curvas. Seu porta-malas tem bons 520 litros de capacidade, mas a tampa possui articulação do tipo “pescoço de ganso”, que roubam espaço do interior do compartimento. Antes fosse usado o sistema pantográfico, solução encontrada em carros bem mais baratos e menos sofisticados, como o VW Polo ou o Ford Fiesta.

Frustração para quem desembolsa R$ 400 mil em um carro: seu leitor de DVD “entende” apenas discos de navegação. Para assistir a discos de shows ou filmes o proprietário deve instalar outro leitor e a tela específica. Os Mercedes-Benz da Classe E oferece o equipamento completo.

A suspensão independente nas quatro rodas, tipo McPherson na dianteira e multibraço na traseira ambas montadas em subchassi e com barra estabilizadora, tem acerto esportivo e proporciona grande prazer ao dirigir. Combinada às rodas de 18 polegadas, com pneus 245/40 R18, forma conjunto ideal. Mas sofre com o piso irregular encontrado na maioria das estradas brasileiras – embora a própria fábrica alerte para a maior sensibilidade. Os pneus são do tipo “run-flat”, que dispensam estepe e podem rodar por quilômetros mesmo furados. O problema está no preço de um componente desse. Cada pneu run-flat custa mais de R$ 3.000,00.

Agradecimento especial

Agradecimentos especiais ao senhor Vanderley Bozzo. Motorista profissional, acompanhou-nos gentilmente em Santos, SP, mostrando não apenas a cidade e alguns de seus belos pontos turísticos onde fizemos grande parte das fotos, mas principalmente seu ótimo senso de humor. Educação e cordialidade raros de se encontrar.

Baixe aqui, aqui e aqui fundos de tela 1.024x768 deste belo carrão!Gosta do BMW Série 5?

Então veja aqui em nossos estoques as melhores ofertas para este sedã e perua e seus principais concorrentes:

BMW 528i

BMW 528iA

BMW 540i

BMW 540i Touring

Mercedes-Benz E 320

Mercedes-Benz E 430

Audi A6

Audi A6 Avant

Leia também

Jaguar S-Type R

Fiat Idea Adventure x Peugeot 206 Escapade

Alfa Romeo 159

Prisma x Fiesta 1.0 Flex

BMW 325i Touring
________________________________

Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro!
________________________________
E-mail: Comente esta matéria

Envie essa matéria para uma amigoa

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors