Caoa Chery Arrizo 6 (17)

Chery Arrizo 6: muito além de coadjuvante

Andamos no sedã médio que surpreende pelo conforto - e que não deve muito à dupla líder Toyota Corolla e Honda Civic

    • Desempenho
    • Desempenho
    • 21,4/1750 kgfm/rpm
    • Consumo Gasolina
    • Consumo Gasolina
    • Cidade: N/A
      Estrada: N/A
    • Consumo Álcool
    • Consumo Álcool
    • Cidade: N/A
      Estrada: N/A
    • Porta Malas
    • Porta Malas
    • 570 litros
    • Câmbio
    • Câmbio
    • N/A
8.6

Overview


  • + Custo/benefício
  • + Acerto do câmbio
  • - Espaço interno
  • - Dinâmica em curvas
 
  • 0.0 Estrela icone
  • 0.0 de 5 estrelas
  1. Home
  2. Testes
  3. Chery Arrizo 6: muito além de coadjuvante
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Tente imaginar que você é George Harrison nos anos 1960. Você faz parte da maior banda de todos os tempos, é discreto e tem muito, mas muito talento. Porém, meu caro, seus companheiros de banda são John Lennon e Paul McCartney. É neste cenário que podemos inserir o Cherry Arrizo 6 que avaliamos por mais de uma semana.

Caoa Chery Arrizo 6 (36)
Lançado em julho de 2020, o Caoa Chery Arrizo 6 é o mais novo representante da categoria de sedãs médios
Crédito: Fernando Miragaya

Isso porque ao volante do carro feito em Jacareí (SP), temos um modelo que não deixa nada a desejar no segmento de sedãs médios. É confortável, tem bom nível de equipamentos e oferece desempenho conforme o que se espera na categoria. Só que seus companheiros de mercado são Toyota Corolla e Honda Civic.

Harrison fez do seu modo para não ficar à sombra da dupla. Soube aproveitar o espaço (indiscutivelmente menor) dentro dos Beatles com canções inesquecíveis como “While my guitar gently weeps”, “Something”, “I need you” e “I’me mine” - só para citar algumas que não devem em nada para as obras-primas da dupla “mais famosa”.

O Arrizo 6 vai em seu modo também, e se firma em um segmento de forma bastante estratégica. Sabe que tem dois modelos "casca-grossa" para encarar, mas não quer disputar liderança. Melhor aproveitar o enfraquecimento do próprio segmento de sedãs médios para marcar território com as qualidades das quais vou falar, e ser uma espécie de terceira via consolidada.

Ao volante

Caoa Chery Arrizo 6 (44)
Conforto no rodar é um dos destaques do Chery Arrizo 6 em sua avaliação
Crédito: Fernando Miragaya

A primeira mostra de que o Chery Arrizo 6 quer ser um coadjuvante reconhecido e de respeito está na vida a bordo. O carro tem nível de conforto no rodar bastante parecido com o dos concorrentes “japoneses”. O sedã desenvolve de forma suave e gradual nas acelerações, e o isolamento acústico se mostra eficiente mesmo com o motor em rotações mais altas.

O propulsor também merece elogios. O 1.5 turbo de 150/147 cv, em números, não chega perto dos 177 cv do aspirado com injeção direta do Corolla. Seu desempenho, acima de tudo, é pacato como o de gerações anteriores do Toyota e do Honda, ideal especialmente para trafegar na cidade.

O conjunto não vai eriçar nenhum pelo de sua sobrancelha com arrancadas vigorosas. Mas se você precisar fazer uma ultrapassagem, pode contar com boa força nas retomadas antes mesmo das 1.700 rpm para deixar aquele caminhão para trás com segurança. Isso porque, o motor tem como aliado uma transmissão CVT com nove marchas simuladas bem escalonada.

Caoa Chery Arrizo 6 (6)
Sedã tem 4,67 m de comprimento, maior que os rivais, porém o entre-eixos de 2,65 é o mesmo do Arrizo 5
Crédito: Fernando Miragaya

A transmissão - que também passou a equipar o Arrizo 5 - lida bem com o propulsor turbinado, sem trancos - como é de se esperar em uma caixa continuamente variável -, porém sem aquele comportamento enceradeira. E nessas retomadas, isso fica ainda mais evidente: não há turbo lag, o câmbio responde rápido e não segura demais os giros ao pisar forte no acelerador.

No balé de curvas em uma serra, o conjunto mecânico do Chery Arrizo 6 é competente. Na alavanca do câmbio, é possível "brincar" um pouco com as nove marchas virtuais do CVT, o que se torna um eficiente freio-motor nas descidas. E com essa força em baixos giros, o sedã não pede arrego na subida.

Nas retas, em velocidade de cruzeiro, aquela suavidade ao rodar que citei. A nona marcha do CVT funciona como um over drive e o motor trabalha abaixo das 2.000 rpm a 100 km/h. Tem um modo Sport que eleva os giros, mas confesso que faz pouca diferença neste pacato cidadão que é esse três-volumes.

No consumo, o carro se portou bem. Na cidade, anotou médias de 11,4 km/l e na estrada, de mais de 14 km/l, sempre com gasolina. Pelas medições do Inmetro, faz 11 km/l (urbano) e 13,3 km/l (rodoviário), com o combustível fóssil. Com etanol, as médias ficam em 7,6 km/l e 9,4 km/l, respectivamente.

Design do Chery Arrizo 6 é previsível como em boa parte do segmento, mas é harmonioso
Crédito: Fernando Miragaya

Chamam a atenção no Chery Arrizo 6 também a calibragem da direção e da suspensão. A assistência elétrica entrega um volante que, se não é tão direto e firme, filtra de forma razoável as trepidações. A suspensão também isola corretamente as irregularidades da pista. Na traseira, o acerto macio do eixo de torção privilegia claramente o conforto dos passageiros.

O sedã tem seus vacilos, obviamente. E eles estão ligados diretamente à dinâmica. Nas curvas, a carroceria inclina bastante e o carro faz menção constante de sair de frente - o modelo sai de fábrica com os agora obrigatórios controles de estabilidade e tração.

Importante ressaltar que em nada lembra o comportamento "João Bobo" dos chineses de antigamente, mas uma calibragem mais fina e reforços estruturais poderiam minimizar essa sensação.

Até porque a engenharia do Grupo Caoa, controladora da Chery aqui no Brasil, melhorou muito os carros da marca - e conferiu até outra percepção menos estereotipada que o segmento tinha de projetos chineses. Esse capricho fica evidente, a propósito, na cabine.

Vida a bordo

Quadro de instrumentos com tela central digital mostra a pressão e temperatura dos pneus
Crédito: Divulgação

O acabamento interno agrada, com muitos materiais emborrachados no painel e revestimento de couro no volante e nos bancos. Encaixes e frestas das peças se mostram uniformes, e o fechamento da porta, extremamente suave e amortecido, deixam claro que o pessoal de Jacareí (SP) deu atenção aos detalhes.

Mesmo assim, o espaço interno volta a depor contra o Chery Arrizo 6. Motorista e passageiros até acomodam bem pernas e joelhos e a posição de dirigir é boa, apesar da ausência de um ajuste de profundidade do volante. Mas quem estiver no banco traseiro vai duvidar que se trata de um sedã médio. O vão para pernas fica no limite e pessoas com 1,75 m de altura vão raspar a cabeça no teto.

A razão está na base do Arrizo 6. O modelo usa a mesma plataforma do Arrizo 5, sedã que briga ali om os compactos premium, como VW Virtus, Fiat Cronos e Toyota Yaris Sedan. O entre-eixos tem os mesmos 2,65 m do irmão menor e perde para o da dupla Corolla/Civic (2,70 m). Isso apesar da esticada que a Caoa Chery deu no carro, que tem 4,67 m de comprimento, maior que os dois rivais.

Porta-malas de 570 litros é um dos pontos fortes do Chery Arrizo 6
Crédito: Divulgação

A compensação vem na forma de volume para as tralhas da família. O Chery Arrizo tem um porta-malas gigante, de 570 litros, com boa abertura para colocação das bagagens. Supera em muito os concorrentes: Toyota (470 l) e Honda (525 l).

Custo/benefício

Modelo é vendido em versão única no Brasil e fica no meio-termo entre o Civic e o Corolla mais baratos
Crédito: Fernando Miragaya

Essa avaliação não é um comparativo, mas não há como escrever sobre o Arrizo 6 sem dar uma olhada nos concorrentes. E a tradição dos chineses neste assunto se mantém. O modelo da Caoa Chery se sobressai com equipamentos interessantes nesta configuração única de R$ 108.750.

Além dos seis airbags, ESP e assistente à partida em rampas, destaque para o quadro de instrumentos com tela digital e indicador de pressão e temperatura de cada um dos pneus. O modelo também é equipado com chave presencial para abertura das portas e partida do motor por botão, retrovisores rebatíveis eletricamente e teto solar.

A central multimídia com tela de 9” tem conectividade com Android Auto e Apple CarPlay é levemente voltada para o motorista, oferece ótima visibilidade, mas poderia ser mais intuitiva e rápida. Ela exibe as imagens da câmera 360 graus de uma forma interessante, bipartida, que pode mostrar desde a lateral mais rente ao meio fio como o que ocorre à frente do veículo, conforme o estágio de manobra.

O sistema de climatização também merece menção por motivos extremos. Os ajustes de direcionamento da ventilação, recirculação, desembaçadores e de ligar/desligar estão em um display bacana, sensível ao toque. Os comandos de temperatura e velocidade, porém, são em botões giratórios e com mostradores digitais: contudo, o sistema de ar-condicionado não é automático nem bizona.

Ar-condicionado tem comandos sensíveis ao toque mas não é automático
Crédito: Divulgação

O modelo só deve isso de fato em relação às versões de entrada de Corolla e Civic, com quem briga. O Honda, na configuração mais básica LX, é pouca coisa mais barato (R$ 107.200), não tem bancos de couro ou chave presencial, a tela multimídia é de 5” e a câmera mostra apenas três estágios do que se passa atrás do carro.

O Corolla GLi se aproxima um pouco mais e traz a nova central multimídia da Toyota, a Play +, com tela de 8”. Contudo, o sedã médio mais vendido da categoria é mais caro. Parte dos R$ R$ 114.590 nesta configuração mais básica.

E depois de comprar?

O Chery Arrizo 6 se vale de uma garantia de cinco anos que a Caoa concede à sua linha no Brasil. Mas o sedã não é lá tão barato de manter. As seis primeiras revisões vão somar uma cifra que passa dos R$ 4 mil. Veja quanto custa cada uma das visitas:

  • 10.000 km: R$ 486,19
  • 20.000 km: R$ 577,01
  • 30.000 km: R$ 876,01
  • 40.000 km: R$ 1.074,04
  • 50.000 km: R$ 486,19
  • 60.000 km: R$ 577,01
  • Total: R$ 4.076,45
  • O beatle calado?

    Arrizo 6 pode ser estratégico para a Chery ter um representante no segmento de sedãs médios
    Crédito: Fernando Miragaya

    A boa impressão deixada pelo Chery Arrizo 6 será o suficiente para incomodar o líder absoluto Corolla? Muito dificilmente. O modelo sino-brasileiro, contudo, vai fazer a sua parte. Em cinco meses cheios de vendas no Brasil em 2020, emplacou 1.212 unidades. E fique atento porque a Caoa pensa lá na frente.

    Isso porque o segmento de sedãs médios encolheu - e tende a encolher mais com a obsessão por SUVs quase tão avassaladora quanto a Beatlemania. A categoria perdeu integrantes recentes, como Ford Focus e Citroën C4 Lounge, deve ficar sem o Chevrolet Cruze e nem mesmo a Honda tem certeza se fabricará por aqui a próxima geração do Civic.

    Ou seja, o Arrizo 6 poderia ser a opção ao vácuo que será deixado por esses carros. E argumentos para isso o carro tem de sobra como você leu. Assim como George Harrison se destacou por composições magistrais, em sua carreira solo e fez trabalhos sensacionais, inclusive o disco triplo "All things must pass", considerado um dos melhores álbuns da música internacional de todos os tempos, quem sabe o sedã da Chery não tem a mesma maestria?

     

    Ficha Técnica

    CHERY - ARRIZO 6 - 2021
    1.5 VVT TURBO IFLEX GSX CVT
    R$ 113890

    Motor / Desempenho / Consumo +

    • Cilindrada (litros)
    • 1.5
    • Cilindrada cm³
    • 1496
    • Disposição dos cilindros
    • Linha
    • Número de cilindros
    • 4
    • Número de cilindros (comercial)
    • 4
    • Número de válvulas por cilindro
    • 4
    • Número de válvulas (comercial)
    • 16V
    • Comando de Válvulas
    • DOHC
    • Comando de válvulas variável
    • Sim
    • Combustível (comercial)
    • iFlex
    • Combustível secundário
    • Gasolina
    • Alimentação
    • Turbo
    • Potência (cv/rpm)
    • 150/5500
    • Torque (kgfm/rpm)
    • 21,4/1750
    • Potência secundária (cv/rpm)
    • 147/5500
    • Torque secundário (kgfm/rpm)
    • 21,41750
    • Aceleração 0-100 km/h (segundos)
    • 9,98

    Transmissão +

    • Transmissão
    • CVT
    • Número de marchas
    • 9
    • Nomenclatura da transmissão (comercial)
    • CVT
    • Localização do câmbio
    • Assoalho
    • Tração
    • Dianteira

    Freios / Suspensão / Direção +

    • Freios dianteiros
    • Disco ventilado
    • Freios traseiros
    • Disco sólido
    • Freio de estacionamento
    • Eletrônico
    • Suspensão - Dianteira
    • McPherson
    • Suspensão - Molas dianteiras
    • Helicoidal
    • Suspensão - Traseira
    • Eixo de torção
    • Suspensão - Molas traseiras
    • Helicoidal
    • Direção - Assistência
    • Elétrica
    • Direção - Ajustes
    • Altura

    Dimensões e Capacidades +

    • Comprimento (mm)
    • 4675
    • Largura (mm)
    • 1814
    • Altura (mm)
    • 1493
    • Entre-eixos (mm)
    • 2650
    • Ângulo de ataque (graus)
    • 14,8
    • Ângulo de saída (graus)
    • 20,1
    • Capacidade tanque de combustível (litros)
    • 48
    • Capacidade do porta-malas (litros)
    • 570

    Tecnologia / Conectividade +

    • Sistema de áudio - Tipo
    • Multifunções
    • USB
    • Sim
    • CD/MP3 player
    • Sim
    • Bluetooth
    • Função Streaming
    • Tela de entretenimento - Tamanho da tela (pol.)
    • 7
    • Tela de entretenimento - Espelhamento com smartphone
    • Apple CarPlay + Google Android Auto
    • Controle de áudio
    • No volante
    • Alto-falantes - Quantidade
    • 6

    Rodas e Pneus +

    • Tipo de roda - Tipo de roda
    • Liga leve
    • Tipo de roda - Design/cor
    • Diamantada
    • Dianteira - Aro (pol.)
    • 17
    • Dianteira - Pneus (largura/perfil/aro)
    • 205/50
    • Traseira - Aro (pol.)
    • 17
    • Traseira - Pneus (largura/perfil)
    • 205/50
    • Estepe
    • Convencional

    Garantia +

    • Garantia total do veículo - Duração (meses)
    • 36
    • Garantia de motor e transmissão - Duração (meses)
    • 60
    • No Bolso8.9
    • Tecnologia8.3
    • Vida a bordo8.5
    • Desempenho8.8
    • Opinião do repórter8.5
    • + Custo/benefício
    • + Acerto do câmbio
    • - Espaço interno
    • - Dinâmica em curvas
     
    8.6

    Compartilhar
    Comentários