Chevrolet Tracker 1.0 Foto 19

Chevrolet Tracker 1.0 fica muito atrás do 1.2?

Motor maior está disponível agora somente na versão topo de linha. Será que o menor dá conta do recado?

    • Desempenho
    • Desempenho
    • 16,3/2000 kgfm/rpm
    • Consumo Gasolina
    • Consumo Gasolina
    • Cidade: N/A
      Estrada: N/A
    • Consumo Álcool
    • Consumo Álcool
    • Cidade: N/A
      Estrada: N/A
    • Porta Malas
    • Porta Malas
    • 393 litros
    • Câmbio
    • Câmbio
    • N/A
9.1

Overview


  • + Segurança
  • + Itens de série
  • - Seguro
  • - Autonomia de combustível
 
  • 0.0 Estrela icone
  • 0.0 de 5 estrelas
  1. Home
  2. Testes
  3. Chevrolet Tracker 1.0 fica muito atrás do 1.2?
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Em time que está ganhando não se mexe, correto? Errado, entende a GM. Atual líder de vendas do segmento de SUVs, o novo Chevrolet Tracker ganhou uma atualização após sete meses de seu lançamento. Agora, o motor 1.2 turbo fica restrito à versão topo de linha Premier, enquanto as outras cinco versões utilizam a opção 1.0, também turbinada. Será que o motor menor fica muito atrás do maior?

Para sanar a dúvida, testamos a versão 1.0 Premier, a mais completa equipada com o motor de 116 cv de potência. Nessa configuração, a Tracker custa R$ 115.690. Em termos de equipamentos, só não tem teto solar, item restrito à versão 1.2, que sai por R$ 122.490.

São itens de série do modelo os faróis de LED com acendimento automático, além de luzes diurnas e lanternas em LED. Há também sensores de estacionamento frontais e traseiros, raque de teto, rodas de alumínio de 17 polegadas, ar-condicionado digital, carregador de celular por indução, direção com ajustes de altura e profundidade e volante multifuncional revestido em couro.

Chevrolet Tracker 1.0 Foto 10
Bancos do Chevrolet Tracker 1.0 Premier vêm com revestimento de couro
Crédito: Ricardo Rollo

O Chevrolet Tracker 1.0 Premier entrega ainda revestimento em couro nos bancos, trio elétrico, chave presencial com partida por botão e controle de cruzeiro. Também é de série a central multimídia de oito polegadas com câmera de ré e compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay, além de Wi-Fi.

Um dos segredos para o sucesso do SUV, que emplacou mais de 6 mil unidades nos últimos dois meses, segundo a Fenabrave (Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores), é a boa oferta também em relação a equipamentos de segurança. Há seis airbags, alerta de colisão, controles de estabilidade e tração, alerta de ponto cego, monitoramento da pressão dos pneus e freios ABS com EBD (antitravamento com distribuição da força de frenagem nas quatro rodas).

O que falta?

No que se refere a equipamentos básicos, as ausências mais sentidas ficam por conta de saídas de ar-condicionado e entradas USB para quem viaja no banco traseiro. Já itens mais sofisticados seriam o ACC, presente no Volkswagen Nivus, e câmeras 360°, que equipam Nissan Kicks e Renault Duster.

Antes de partirmos para desempenho, vamos falar sobre outro ponto importante, especialmente quando o assunto é SUV: espaço. O Tracker tem 4,27 metros de comprimento, mesma medida do Nivus. Já o entre-eixos é de 2,57 m. Ele garante espaço suficiente para que passageiros com estatura mediana viajem tranquilamente. Mas o destaque vai para a largura de 1,79 m, o que torna possível abrigar três pessoas com razoável conforto no banco traseiro.

Chevrolet Tracker 1.0 Foto 16
O Tracker tem 4,27 metros de comprimento e o entre-eixos é de 2,57 m
Crédito: Ricardo Rollo

Também é plausível o volume de 393 litros do porta-malas. O carro vem com um forro emborrachado que protege o bagageiro de sujeiras. No entanto, o compartimento é inferior, por exemplo, ao do ‘primo’ Onix Plus, que entrega 469 litros de volume.

Agora que esmiuçamos as propriedades do Tracker, bora falar de performance: o motor 1.0 de 116 cv fica muito atrás do 1.2 de 133 cv? É preciso destacar, antes de qualquer coisa, que falamos de dois propulsores turboflex com características semelhantes de construção e de comportamento.

Ambos têm três cilindros e entregam boa margem de torque em baixas rotações (2.000 rpm). O motor maior desenvolve 21,4 kgf.m, contra 16,8 kgf.m do 1.0. Desta forma, o 1.2 tem acelerações mais satisfatórias, com progressões mais vigorosas.

O motor do Tracker 1.0 cumpre o 0 a 100 km/l em 10,5 segundos
Crédito: Ricardo Rollo

A opção mais potente apresenta aceleração de 0 a 100 km/l em 9,4 segundos. É, portanto, 1,1 s mais rápido do que o motor 1.0, que cumpre com a tarefa é 10,5 s.

Em contrapartida, o 1.0 não fica muito atrás quando o assunto é retomada. O motor, que também equipa a linha Onix, é competente tanto na estrada, quanto nas ladeiras da cidade.

Mais econômico

Se vai bem em desempenho, é ainda melhor em consumo de combustível. Segundo o Inmetro, o Tracker 1.0 é o mais econômico da categoria rodando na cidade com gasolina, com índice de 11,9 km/l. No mesmo cenário, com etanol no tanque, a média é de 8,2 km/l.

Nas rodovias, o utilitário esportivo desenvolve 13,7 km/l com combustível de origem mineral, e 9,6 km/l, com o insumo vegetal.

Chevrolet Tracker 1.0 tem posição alta de guiar, mas com suspensão estável e confortável.
Crédito: Ricardo Rollo

O problema é que o tanque do Tracker não ajuda muito. Ele tem 44 litros. Na categoria, só não é menor do que o do Nissan Kicks, que tem 41 litros. Isso prejudica a autonomia do veículo. Dá até falsa impressão de que o carro bebe além da conta.

Ainda sobre dinâmica de direção, vale destacar que o Tracker tem posição alta de guiar, mas com suspensão estável e confortável. A única ressalva é que o modelo apresenta um pequeno gargalo em algumas acelerações a partir da inércia. Isto é, a transmissão de seis velocidades demora um pouco para engrenar as marchas iniciais. Mas isso é um pormenor que não tira do Tracker a qualidade de ser um veículo prazeroso de dirigir.

Além disso, o sucesso do modelo também é explicado pela oferta de conectividade, segurança e bom pacote de equipamentos.

Pequena diferença

Embora tenham desempenho semelhante, porém, esperava-se que as versões 1.0 tivessem diferença mais expressiva de preço na comparação com as antigas configurações 1.2 equivalentes. O “desconto” não ultrapassa os R$ 1.000.

Modelo vem equipado com direção com ajustes de altura e profundidade e volante revestido em couro
Crédito: Ricardo Rollo

Também chama atenção o valor de seguro do modelo. A apólice mais vantajosa encontrada no AutoCompara é de R$ 6.227,42. Levamos em consideração o perfil de homem, 45 anos, residente na Zona Sul de São Paulo.

Já a tabela de revisões com preço fixo está na média do mercado. A soma dos seis primeiros serviços (60.000 quilômetros rodados) é de R$ 3.248.

 

Ficha Técnica

CHEVROLET - TRACKER - 2021
1.0 TURBO FLEX PREMIER AUTOMÁTICO
R$ 117990

Motor / Desempenho / Consumo +

  • Cilindrada (litros)
  • 1.0
  • Cilindrada cm³
  • 999
  • Disposição dos cilindros
  • Linha
  • Número de cilindros
  • 3
  • Taxa de compressão
  • 10,5:1
  • Número de válvulas por cilindro
  • 2
  • Número de válvulas (comercial)
  • 12
  • Comando de Válvulas
  • DOHC
  • Comando de válvulas variável
  • Não
  • Combustível (comercial)
  • Econo.flex
  • Combustível secundário
  • Gasolina
  • Alimentação
  • Turbo
  • Start-Stop
  • Sim
  • Desligamento de cilindros
  • Sim
  • Potência (cv/rpm)
  • 116/5500
  • Torque (kgfm/rpm)
  • 16,3/2000
  • Potência secundária (cv/rpm)
  • 116/5500
  • Torque secundário (kgfm/rpm)
  • 16,8/2000

Transmissão +

  • Transmissão
  • Automática
  • Número de marchas
  • 6
  • Localização do câmbio
  • Assoalho
  • Tração
  • Dianteira

Freios / Suspensão / Direção +

  • Freios dianteiros
  • Disco ventilado
  • Freios traseiros
  • Tambor
  • Freio de estacionamento
  • Manual
  • Suspensão - Dianteira
  • McPherson
  • Suspensão - Molas dianteiras
  • Helicoidal
  • Suspensão - Traseira
  • Eixo de torção
  • Suspensão - Molas traseiras
  • Helicoidal
  • Direção - Assistência
  • Elétrica
  • Direção - Ajustes
  • Altura

Dimensões e Capacidades +

  • Comprimento (mm)
  • 4270
  • Largura (mm)
  • 1791
  • Altura (mm)
  • 1624
  • Entre-eixos (mm)
  • 2570
  • Capacidade tanque de combustível (litros)
  • 44
  • Capacidade do porta-malas (litros)
  • 393
  • Peso líquido em ordem de marcha (kg)
  • 1.228

Tecnologia / Conectividade +

  • Sistema de áudio - Tipo
  • Multifunções
  • Sistema de áudio - Nomenclatura (comercial)
  • MyLink
  • USB
  • Sim
  • CD/MP3 player
  • Sim
  • Bluetooth
  • Função Streaming
  • Tela de entretenimento - Tamanho da tela (pol.)
  • 7
  • Tela de entretenimento - Sensível ao toque
  • Sim
  • Tela de entretenimento - Espelhamento com smartphone
  • Apple CarPlay + Google Android Auto
  • Controle de áudio
  • No volante
  • Alto-falantes - Quantidade
  • 6

Rodas e Pneus +

  • Tipo de roda - Tipo de roda
  • Liga leve
  • Tipo de roda - Calotas
  • Integrais
  • Dianteira - Aro (pol.)
  • 17
  • Dianteira - Pneus (largura/perfil/aro)
  • 215/55
  • Traseira - Aro (pol.)
  • 17
  • Traseira - Pneus (largura/perfil)
  • 215/55
  • Estepe
  • Convencional

Garantia +

  • Garantia total do veículo - Duração (meses)
  • 36
  • Garantia de motor e transmissão - Duração (meses)
  • 36
  • No Bolso8.8
  • Tecnologia9.5
  • Vida a bordo9.2
  • Desempenho9.2
  • Opinião do repórter9.0
  • + Segurança
  • + Itens de série
  • - Seguro
  • - Autonomia de combustível
 
9.1

  • Lukas Kenji
  • Quando deixa um pouco de lado a carreira brilhante como piloto de Gran Turismo e Fórmula 1 (no Playstation), faz cobertura diária do setor automobilístico. Muscles cars e clássicos dos anos 1990 são as máquinas prediletas.
Compartilhar
0
Comentários