Mercedes Benz A200 Sedan 49

Classe A Sedan apaga má reputação dos antepassados

Novo modelo da Mercedes tem mecânica eficiente e central sofisticada e espera por melhora da economia para ser plausível

    • Desempenho
    • Desempenho
    • 25,5/1620 kgfm/rpm
    • Consumo Gasolina
    • Consumo Gasolina
    • Cidade: N/A
      Estrada: N/A
    • Consumo Álcool
    • Consumo Álcool
    • Cidade: N/A
      Estrada: N/A
    • Porta Malas
    • Porta Malas
    • 430 litros
    • Câmbio
    • Câmbio
    • N/A
9.1

Overview

Sedã médio da Mercedes-Benz tem conjunto mecânico competente e acabamento de primeira para conquistar público de entrada do segmento premium.


  • + Motor
  • + Câmbio
  • + Sistema de entretenimento
  • - Preço
  • - Itens de série
 
  1. Home
  2. Testes
  3. Classe A Sedan apaga má reputação dos antepassados
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

O inédito Mercedes-Benz Classe A Sedan chegou ao Brasil no ano passado com o intuito de ser o primeiro carro da marca na vida de quem sempre sonhou em ter um modelo da empresa. Com interior refinado e sistema de entretenimento high-end, o modelo trazia indícios de que seria uma ótima compra. Mas a incessante escalada do dólar afastou a sonhadora clientela.

Explico: a versão base A200 Style chegou ao país por R$ 139.900 e agora tem etiqueta de R$ 190.900, o que representa um aumento de 36,4% no preço. Já a configuração aqui testada, chamada de Advance, saía por R$ 169.900 e atualmente custa R$ 213.900.

Diferença no dólar

A Mercedes-Benz alega que o dólar era cotado a R$ 4,03 no fim de 2019, enquanto agora ele oscila acima dos R$ 5. Importante ressaltar que o Classe A Sedan é importado do México e mesmo modelos nacionais também já estão sofrendo reajustes, porque muitas peças são compradas em dólar.

Em condições normais, o protagonista desta avaliação seria concorrente das versões mais caras de Toyota Corolla e Honda Civic. Mas como o atual momento da economia tem influência direta da pandemia em decorrência do novo coronavírus, qualquer discussão sobre valores seria distorcida.

Vamos ao carro

Resta-nos, de qualquer forma, apresentar os detalhes técnicos e práticos do modelo. A começar pelo design: enquanto a extremidade frontal é praticamente idêntica ao do Classe A Hatch, a parte traseira tem aspecto elegante, mas comedido. Oferece como destaque lanternas de LED e leve caída no teto.

Se por fora o sedã pode não despertar paixões, o ambiente interno pode causar amores à primeira vista. Há riqueza de materiais em couro, preto brilhante e alumínio escovado. Todas as peças são de ótima qualidade ao toque e conferem o requinte que todo Mercedes-Benz precisa oferecer.

O ambiente fica ainda mais agradável por conta da experiência tecnológica proporcionada pelas telas digitais que se fundem em uma peça só. O painel de instrumentos é configurável, enquanto a central multimídia é sensível ao toque e responde a comandos de voz.

Mas embora seja moderno, o sistema não é conectado à internet de tal forma que você consiga falar frases exatas para que o carro responda, por exemplo: "abrir a persiana do teto". Caso você pronuncie algo um pouco diferente, a central pode não compreender e responder algo aleatório do tipo "eu não conheço a sua tia".

Conexão por USB-C

Outro probleminha em relação à conectividade está nas portas USB. Existem duas na frente e outras duas para quem viaja atrás. Porém, o conector é do modelo USB-C, padrão ainda pouco utilizado no Brasil, embora crescente em todo o mundo. Ou seja, quase todo mundo vai precisar de adaptadores.

Se o apontamento acima é fugaz, o mesmo não pode ser considerado em relação à ausência de itens básicos para um carro de luxo, como ar-condicionado de duas zonas, ajustes elétricos para o banco do passageiro, além abertura das portas por presença. Em contrapartida, o sedã oferece sistema de frenagem de emergência, sete airbags, teto panorâmico e cinco modos de condução.

Embora seja o menor sedã da Mercedes, o Classe A ainda é bastante confortável para as pernas. Ele tem praticamente as mesmas medidas do BMW Série 2 Gran Coupé. São 4,55 metros de comprimento, sendo que o entre-eixos é de 2,72 m (maior que o de um Corolla, por exemplo). Por outro lado, o túnel central tem tamanho considerável e falta saída de ar-condicionado dedicada aos bancos traseiros.

Ainda falando sobre medidas internas, o porta-malas tem porte semelhante ao da concorrência, com volume de 430 litros.

icon photo
Legenda: Mercedes Benz A200 Sedan parece compacto, mas é médio e tem entre-eixos maior que o do Corolla
Crédito: Ricardo Rollo/WM1

E o motor?

Mas se o A200 Sedan apresenta ressalvas em vários quesitos, o mesmo não pode ser dito em relação ao motor. E olha que ele causa polêmica por ser feito em parceria com a Renault.

Paralelo ao debate sobre a origem dele, fato é que o propulsor 1.3 turbo é extremamente competente. Uma doce surpresa diante do insosso 1.6 que equipava a geração anterior do Classe A (que só existia na configuração hatch e na cupê, o conhecido CLA) e que ainda vive no Classe C.

O novo motor rende 163 cv de potência a 5.500 rpm e 25,4 kgf.m de torque entre 1.620 rpm e 4.000 giros. São números expressivos para um bloco tão compacto. Isso se reflete na aceleração de 0 a 100 km/h, que é cumprida em 8,1 segundos.

Na prática, o comportamento do Classe A está longe de ser explosivo, mas a performance é exemplar. Não traz nenhuma dor de cabeça. Pelo contrário: o consumo de combustível é daquelas que dão até gosto. Isso, graças a um sistema que desliga dois dos quatro cilindros em velocidades de cruzeiro.

De acordo com o Inmetro, o consumo médio na cidade é de 11,3 km/l e salta para 14,1 km/l, na estrada, o que significa nota "A" na categoria.

icon photo
Legenda: Motor do Classe A Sedan é feito em parceria com a Renault e impressiona pela desenvoltura
Crédito: Ricardo Rollo/WM1

Câmbio em sintonia

Quem também merece elogios é a caixa de transmissão de dupla embreagem e sete velocidades, que tem desempenho impecável. É extremamente ligeira na leitura do escalonamento. Ou seja, compreende qual tocada o motorista quer empregar e executa a escolha de marcha com rapidez e exatidão. Para quem quiser um pouco de diversão, vale usar as aletas atrás do volante.

O que causa curiosidade, ainda falando sobre dinâmica, é o desempenho da suspensão, que não é das mais modernas. Na parte traseira, a Mercedes utilizou eixo de torção em vez de multilink. E, acredite, isso parece mero detalhe, uma vez que o acerto é firme, mas sem esquecer do conforto. Fazer curvas é uma delícia até porque a posição de guiar é mais baixa, algo tradicional dos Mercedes.

A experiência a bordo do novo A200 Sedan nos leva, portanto, a esquecer a má reputação que o Classe A deixou quando era aquele monovolume - que, inclusive, chegou a ser produzido no Brasil.

Salvo a ausência de alguns equipamentos importantes, o modelo oferece dinamismo e tecnologia dignos para quem não tem bala na agulha para comprar os modelos mais caros da marca, mas que merece o requinte e precisão de todo carro com a marca da estrela.

Agora, espera-se que o modelo volte a ser vendido em uma faixa de preços mais acessível assim que a economia brasileira volte a ter dias mais amenos.

Ancora: Conclusão Score

Ficha Técnica

MERCEDES-BENZ - A 200 - 2019
1.3 CGI GASOLINA ADVANCE SEDAN 7G-DCT
R$ 169900

Motor / Desempenho / Consumo +

  • Cilindrada (litros)
  • 1.3
  • Cilindrada cm³
  • 1332
  • Disposição dos cilindros
  • Linha
  • Número de cilindros
  • 4
  • Número de válvulas por cilindro
  • 4
  • Comando de Válvulas
  • DOHC
  • Comando de válvulas variável
  • Sim
  • Alimentação
  • Turbo
  • Intercooler
  • Sim
  • Start-Stop
  • Sim
  • Nomenclatura do motor (comercial)
  • CGI
  • Potência (cv/rpm)
  • 163/5500
  • Torque (kgfm/rpm)
  • 25,5/1620
  • Velocidade máxima (km/hora)
  • 230
  • Aceleração 0-100 km/h (segundos)
  • 8,1

Transmissão +

  • Transmissão
  • Automatizada DCT
  • Número de marchas
  • 7
  • Nomenclatura da transmissão (comercial)
  • 7G-DCT
  • Localização do câmbio
  • Coluna de direção
  • Modo manual (p/ AT)
  • Sim
  • Tração
  • Dianteira

Freios / Suspensão / Direção +

  • Freios dianteiros
  • Disco ventilado
  • Freios traseiros
  • Disco sólido
  • Freio de estacionamento
  • Eletrônico
  • Suspensão - Dianteira
  • McPherson
  • Suspensão - Molas dianteiras
  • Helicoidal
  • Suspensão - Traseira
  • Multilink
  • Suspensão - Molas traseiras
  • Helicoidal
  • Direção - Assistência
  • Elétrica
  • Direção - Ajustes
  • Altura e profundidade

Dimensões e Capacidades +

  • Comprimento (mm)
  • 4549
  • Largura (mm)
  • 1992
  • Altura (mm)
  • 1446
  • Entre-eixos (mm)
  • 2728
  • Capacidade tanque de combustível (litros)
  • 48
  • Capacidade do porta-malas (litros)
  • 430

Tecnologia / Conectividade +

  • Sistema de áudio - Tipo
  • Multifunções
  • USB
  • Sim
  • CD/MP3 player
  • Sim
  • SD-Card
  • Sim
  • Bluetooth
  • Função Streaming
  • Tela de entretenimento - Tamanho da tela (pol.)
  • 7
  • Tela de entretenimento - Espelhamento com smartphone
  • Apple CarPlay + Google Android Auto
  • Tela de entretenimento - Navegação (GPS)
  • Integrado
  • Tela de entretenimento - DVD
  • Sim
  • Controle de áudio
  • No volante

Rodas e Pneus +

  • Tipo de roda - Tipo de roda
  • Liga leve
  • Tipo de roda - Design/cor
  • Dois tons
  • Dianteira - Aro (pol.)
  • 18
  • Dianteira - Pneus (largura/perfil/aro)
  • 225/45
  • Traseira - Aro (pol.)
  • 18
  • Traseira - Pneus (largura/perfil)
  • 225/45
  • Estepe
  • Space saver
  • No Bolso8.4
  • Tecnologia9.7
  • Vida a bordo9.3
  • Desempenho9.5
  • Opinião do repórter9.2
  • + Motor
  • + Câmbio
  • + Sistema de entretenimento
  • - Preço
  • - Itens de série
 
9.1

  • Lukas Kenji
  • Quando deixa um pouco de lado a carreira brilhante como piloto de Gran Turismo e Fórmula 1 (no Playstation), faz cobertura diária do setor automobilístico. Muscles cars e clássicos dos anos 1990 são as máquinas prediletas.
Compartilhar
0
Comentários