Mercedes-Benz C 63 AMG

Rápido como um foguete e seguro como um carro-forte. O C 63 AMG consegue reunir o melhor da marca.


  1. Home
  2. Testes
  3. Mercedes-Benz C 63 AMG
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Se o simples fato de olhar para a ficha técnica do Mercedes-Benz C 63 AMG já nos deixou com água na boca, imagine só então acelerar uma máquina destas. Pois é, o WebMotors foi convidado para ver de perto como anda o Mercedes-Benz C 63 AMG.

Esteticamente o novo Mercedes-Benz buscou a mesma inspiração do bólido que disputa a categoria DTM européia. O motor que move o carro esportivo é um V8 de 6,3 litros que desenvolve uma potência de 457 cv e um torque máximo de 61,2 kgm. O resultado é uma aceleração de zero a 100 km/h em 4,5 s e uma velocidade máxima limitada eletronicamente a 250 km/h. Para ter idéia, a relação peso/potência é de 3,6 kg/cv.

Diferença para outras versões

Só para comparar, o Mercedes-Benz C 200 Kompressor é equipado com um motor quatro cilindros em linha, de 1,8 litros, sobrealimentado por compressor mecânico. A potência é de 184 cv a 5.500 rpm. Mas não é só pela motorização que a linha AMG se diferencia. Ela também eleva o C 63 com a oferta de itens exclusivos. Um exemplo é o volante cortado, imitando o mesmo que é utilizado em um carro de fórmula 1.

A transmissão é a AMG Speed Shift–Plus 7G-Tronic, automática, que pode ser comandada por borboletas de mudança no volante. A sensação de segurança e ao mesmo tempo de esportividade é transmitida pela suspensão dianteira recalibrada e direção esportiva sensível à velocidade. Outro fator que instiga o pisar são as rodas de liga-leve de aro 18”.

O escapamento redimensionado com quatro saídas gera um ronco à altura dos modelos esportivos. O mais interessante deste item é que, a bordo do carro, o ruído é praticamente zero. Quem gostar do ronco vai ter de abrir a janela.

Os bancos do C 63 AMG são condizentes com a tecnologia incorporada. Todos os comandos de ajustes são elétricos e o encosto é integrado. Ao entrar nas curvas, fica nítida a necessidade de um banco que lhe abrace.

A diferença é que não se trata de um assento concha de stock car, que lhe deixa um semi-manco ao sair do carro. Ele lhe abraça com carinho. Algo prazeroso de verdade.

Pista de corrida na fazenda

A Mercedes-Benz convidou o WebMotors para conhecer o novo C 63 em um mini-autódromo construído dentro de uma fazenda próxima à Campinas, São Paulo. A pista no sentido anti-horário conta com duas retas de alta, duas de média velocidade e um trecho travado por serra. A chicane foi eliminada da segunda reta e, antes da entrada dos boxes, foram colocados cones em forma de slalom, para diminuir a velocidade de retorno.

Pisando fundo o Mercedes atingia nos trechos de alta a velocidade de 180 km/h e, nas curvas de baixa, 100 km/h. A brincadeira fica divertida mesmo com o controle de tração ligado, um anjo da guarda que não permite a menor barbeiragem. Desligá-lo pode ser divertido para quem se garante ao volante. Os mais prudentes devem evitar isso. Com tanta potência, a traseira pode se solta ao menor abuso.

Segurança para pilotos e braços duros

O grande trunfo do C 63 AMG é a facilidade de pilotar. Apesar de toda selvageria impulsionada pelo propulsor, o carro não é arisco. Quando você dá pedal ele responde, e quando a idéia é desfilar ele anda tiozinho.

O sistema de freios é composto por disco internamente ventilados e perfurados em todas as rodas. Os dianteiros têm discos de 360 mm x 36 mm, com pinças fixas de seis pistões, enquanto os traseiros possuem 330 mm x 26 mm e pinças de quatro pistões.

O Programa Eletrônico de Estabilidade ESP oferece três estágios, que podem ser acionados pelo console: “ESP LIGADO”, “ESP SPORT” e “ESP DESLIGADO”.

No modo “ESP LIGADO”, que se pode chamar de “convencional”, a ocorrência de uma instabilidade direcional leva à intervenção imediata.

Já no “ESP SPORT”, acionado por um breve toque na tecla de comando, a ação do sistema de freios, bem como a simultânea redução do torque do motor, permitem um limite dinâmico mais avançado. Isto é: o motorista da C 63 AMG beneficia-se de um prazer de dirigir bem mais ativo e de mais autonomia. O sistema de controle de estabilidade retoma para a função convencional assim que o pedal do freio é pressionado.

Com o sistema totalmente desligado o carro passa a sensação de puro prazer. Agora, para fazer isso é preciso ter muito braço. Utilizamos a primeira curva do traçado para analisar as três posições. A diferença de um para os outros é fundamental para não esborrachar a cara no muro. A rota de fuga para o ESP desligado também é o pedal de freio. A partir do momento que o piloto utiliza o freio, ele volta a funcionar.

Pontos fortes
- Esportividade
- Design e Estilo

Pontos fracos
- Preço – Nos EUA o mesmo carro custa US$ 56 mil e aqui, R$ 331 mil

FICHA TÉCNICA – Mercedes-Benz C 63 AMG

















MOTOROito cilindros em V, longitudinal, quatro válvulas por cilindro, 6.208 cm³
POTÊNCIA457 cv a 6.800 rpm
TORQUE 61,1 kgm a 5.000 rpm
CÂMBIO 7G-TRONIC
DIREÇÃO Por pinhão e cremalheira; hidráulica progressiva
RODAS Dianteiras e traseiras em aro 18”, de liga-leve AMG
PNEUS Dianteiros 235/40 ZR18 e traseiros 255/35 ZR18
COMPRIMENTO 4,72 m
ALTURA 1,43 m
LARGURA 1,79 m
ENTREEIXOS 2,76 m
PESO em ordem de marcha1.730 kg
TANQUE66 l
SUSPENSÃO Dianteira independente, três braços, molas helicoidais, amortecedores a gás e barra estabilizadora. Traseira independente, multilink, molas helicoidais, amortecedores a gás e barra estabilizadora
FREIOS A disco nas quatro rodas, ventilados e perfurados
PREÇOR$ 331 mil


Gosta de esportivos de alto luxo?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Maserati

Lamborghini

Ferrari

Jaguar

Porsche

Leia também:

Chrysler 300C V6, por R$ 139,9 mil, se torna um papa-Omega

Renault Sandero Privilège 1.6 16V

Volvo C30 mostra como menos é mais

Volkswagen Jetta mostra o prazer que há na solidez

Citroën Xsara Picasso Exclusive BVA

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors