Nissan Tiida promete mexer com mercado de hatches médios

Modelo, importado do México, tem preços de R$ 53,29 mil a R$ 67,59 mil


  1. Home
  2. Testes
  3. Nissan Tiida promete mexer com mercado de hatches médios
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Mais de uma empresa já notou que o segmento dos hatches médios vem pedindo novidades. A Volkswagen, tentando segurar mercado, lançou o Golf reestilizado leia mais sobre ele aqui. A Chevrolet, que liderou por muitos anos o segmento, prepara o Vectra GT para surpreender a concorrência leia mais sobre ele aqui. A Fiat, por sua vez, dá os últimos retoques na versão 2008 do Stilo leia mais sobre ele aqui, possivelmente tentando segurar mercado até a chegada do Bravo, carro que vem conquistando a Europa leia mais sobre ele aqui. Além dos fabricantes mais antigos, tem gente nova querendo uma fatia deste mercado, e com boas razões para acreditar que terá sucesso. Quem duvida tem de dar uma boa olhada no novo Tiida, da Nissan.

Apresentado ontem à imprensa em Guarulhos, na Grande São Paulo, o Tiida começará a entrar no mercado de maneira, a princípio, tímida, como já se tornou tradição entre os fabricantes japoneses. A meta da empresa é vender 260 unidades por mês até o final deste ano, o que dará um total de 1.300 unidades.

Com preços entre R$ 53,29 mil na versão S, manual e R$ 67,59 mil SL, automático, o carro competirá numa fatia em que apenas 35% dos hatches médios são vendidos. O grosso deste mercado está nos carros abaixo dos R$ 52 mil. A questão é que, entre estes 35%, o Tiida tem qualidades para vender muito.

Na versão mais simples, a S, ele já vem com ar-condicionado, direção com assistência elétrica, airbags frontais, alarme, toca-CD e os demais itens de conveniência do segmento, mas com o motor mais potente, um 1,8-litro de 124 cv a 5.500 rpm. A desvantagem é que o motor não tem, e não deve ter, pelo menos a curto prazo, uma versão flexível em combustível.

Na versão mais sofisticada, a SL, os bancos são de couro, o ar-condicionado tem controle digital, o toca-CD tem seis auto-falantes, em vez de quatro, e os freios contam com ABS, EBD distribuição eletrônica de frenagem e BA assistência à frenagem.

O único opcional do Tiida é um câmbio de quatro marchas automático, que acrescenta R$ 4 mil aos valores básicos das duas versões R$ 53,29 mil para a S e R$ 63,59 mil para a SL, algo que os compradores devem comemorar. Não é segredo para ninguém que colocar equipamentos opcionais em um veículo é certeza de perder dinheiro, já que as cotações de tabela não levam em conta estes itens, mas sim o valor da versão básica, com os equipamentos que ela traz de série. Você pode até vender seu carro mais fácil, se ele for completo, mas não vai recuperar o investimento feito no seu conforto.

Na estrada

O WebMotors teve a oportunidade de avaliar a versão mais completa do Tiida, a SL, tanto com câmbio manual quanto com automático, em uma viagem de ida e volta a Campos do Jordão. A ida foi ao volante do modelo com transmissão de seis marchas.

Logo no primeiro contato com o carro o que se nota é um desenho híbrido entre o do Murano e o do 350Z, os modelos que a Nissan considera como “aspiracionais”, ou seja, aqueles que qualquer fã da marca gostaria de ter. A grade dianteira é nitidamente inspirada na do Murano, enquanto as lanternas traseiras lembram as do 350Z, mas também remetem fortemente ao Peugeot 307, que a marca japonesa aponta como o maior concorrente do Tiida.

Uma olhada mais atenta também mostrará outros elementos de inspiração, como o Chrysler PT Cruiser preste bastante atenção ao capô e a seus vincos, além do formato da carroceria.

Por dentro, o Tiida traz um acabamento bem cuidado, com materiais de excelente aparência. Os plásticos são macios e o carro todo transmite uma sensação de solidez de construção, que, se for real, dará a seus compradores um carro muito silencioso, apesar de o piso brasileiro não ajudar nisso. Vale lembrar que a Nissan oferece dois anos de garantia ao modelo. Nesse meio tempo, se os painéis começarem a bater, sempre se pode exigir do concessionário a correção do problema.

Os comandos do carro são, de modo geral, bem distribuídos, com sacadas muito boas, como a colocação das regulagens de altura e inclinação do encosto do banco perto do console central, o que abriu espaço para bancos maiores.

O comando dos retrovisores elétricos, de todo modo, fica um pouco escondido, na parte inferior esquerda do painel. O volante também carece de regulagem de distância. Só é possível acertar sua altura, o que não é suficiente para encontrar a melhor posição de dirigir.

Porta-trecos, como se pode imaginar, existem aos montes no carro. Em parte, eles ajudam a compensar o porta-malas pequeno do modelo, de apenas 289 l, menor, por exemplo, que o de um Ford Fiesta.

Na versão SL, o banco traseiro pode ser puxado para a frente e para trás, como no VW Fox, o que ajuda a aumentar a capacidade do porta-malas para 463 l. O custo é que acaba sendo alto, já que o bom espaço interno no banco de trás, uma das características mais positivas do Tiida, acaba ficando muito reduzido.

Além de bascular, o banco traseiro também pode ser reclinado, um luxo interessante para os passageiros que gostam de um pouco mais de conforto.

Em termos dinâmicos, o Tiida se mostrou muito bem acertado e, melhor do que isso, econômico. Com câmbio manual, em sexta marcha, o carro conseguiu manter 120 km/h a 3.100 rpm, algo excelente para um carro com motor 1,8-litro. O nível de ruído interno é bem baixo. Em curvas, apesar de sua proposta de conforto e espaço interno, o Tiida se mostra firme.

O fator mais surpreendente foi o câmbio automático de quatro marchas. Normalmente uma deficiência em outros modelos, no Tiida ele se apresentou muito bem acertado. Ágil na medida certa, ele respondeu prontamente em situações de ultrapassagem e subidas, sem causar ao motorista a mínima sensação de que poderia deixá-lo na mão. De quatro marchas, sim, mas companheiro a toda prova!

Com este bom conjunto e um preço que vai dar o que pensar até no seguro, que começa nos R$ 890 pela Mapfre, o Tiida promete agitar o segmento. Não por acaso, seu nome deriva de “Tide”. Maré, em inglês. Para a Nissan, pode ser uma maré de boa sorte e vendas expressivas.

FICHA TÉCNICA – Nissan Tiida


MOTOR Quatro tempos, quatro cilindros em linha, longitudinal, quatro válvulas por cilindro, duplo comando no cabeçote DOHC, sistema CVVTCS de comando variável de válvulas e refrigeração a água, 1.798 cm³
POTÊNCIA124 cv a 5.500 rpm
TORQUE 17,5 kgm a 4.800 rpm
CÂMBIO Manual de seis velocidades ou automático de quatro
TRANSMISSÃODianteira
DIREÇÃO Com assistência elétrica, por pinhão e cremalheira
RODAS Dianteiras e traseiras em aro 15”, de liga-leve
PNEUS Dianteiros e traseiros 185/65 R15
COMPRIMENTO 4,30 m
ALTURA 1,55 m
LARGURA 1,70 m
ENTREEIXOS 2,60 m
PORTA-MALAS 289 l a 463 l, com os bancos traseiros recuados opção disponível apenas na versão SL
PESO em ordem de marcha 1.207 kg S, manual a 1.260 kg SL, automático
TANQUE52 l
SUSPENSÃO Dianteira independente, tipo McPherson; traseira com eixo de torção
FREIOS Discos na dianteira e tambores na traseira
CONSUMO Consumo urbano de 11,6 km/l manual e 11,2 km/l automático; consumo rodoviário de 16,8 km/l manual e 16,5 km/l automático
PREÇOS R$ 53,29 mil S, manual, R$ 57,29 mil S, automático, R$ 63,59 mil SL, manual e R$ 67,59 mil SL, automático
Gosta de hatches médios?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Peugeot 307

Peugeot 306

Volkswagen Golf

Renault Mégane

Chevrolet Astra

Ford Focus

Fiat Stilo

Leia também:

SEGREDO! – Vectra GT começa a aparecer nas ruas

SEGREDO! – Fiat Stilo 2008 trará câmbio automatizado

VW Golf 2008, o filho da necessidade

Fiat Bravo chega em janeiro de 2007

Peugeot apresenta seu novo hatch médio, o 308
________________________________

Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro!
________________________________
E-mail: Comente esta matéria

Envie essa matéria para uma amigoa

Comentários