Novo Celta 1.0 Hatchback Super

O pequeno notável da GM


  1. Home
  2. Testes
  3. Novo Celta 1.0 Hatchback Super
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon















ITENS TESTADOS 





























































  GOSTOU?


Celta
usado
 

Compare
todas as versões
  



 

  
 
 











Primeiro automóvel nacional
a ser comercializado via internet, o Celta 2003
já está nas revendas com novo motor
1.0 VHC, com 70 cavalos, exatos dez a mais que
a versão anterior.


O Celta, modelo de entrada da General Motors
do Brasil foi lançado no país em
setembro de 2000, e além de logo tornar-se
uma estrela do mercado automotivo por ser o primeiro
modelo a ser comercializado diretamente pela Internet,
logo tornou-se um sucesso de vendas no varejo.
O modelo na versão hatchback de três
portas equipado com motor 1.0 litro de oito válvulas
foi o mais vendido do segmento no Brasil em 2001,
com 91.174 unidades comercializadas.


O sucesso, é claro, deve-se não
somente ao preço competitivo (R$ 16,2 mil),
mas também às suas comprovadas qualidades
de veículo compacto, prático e eficiente.
Com a introdução do novo propulsor
1.0 VHC de 70 cavalos (o motor da versão
anterior tinha só 60 cv), o Celtinha ficou
mais arisco ainda e gostoso de dirigir.


Na versão testada por WebMotors, porém,
o modelito mais barato da GM não disponibilizava
nem mesmo ar-condicionado. Nessas condições,
embora o volante da direção tenha
um diâmetro razoavelmente grande, o carro
ficou ruim de manobrar. Nada impossível
de ser superado, mesmo por braços femininos,
mas tempos modernos, nem carro 1.0 o consumidor
aceita sem direção hidráulica.


Por outro lado, o pacote introduzido nessa unidade
de teste incorporava itens incomuns em modelos
da concorrência, como vidros das janelas
com controle elétrico, inclusive com sistema
‘one touch’, um conforto apreciável.
Mas o melhor mesmo é o motorzinho 1.0 VHC,
ágil, silencioso e com boas retomadas (considerando,
é claro, seus limites naturais de potência
e torque.


Fotos:
Luís Felipe Figueiredo





















































MAIS POTENTE

Novo motor de 1.0 litro, 8 válvulas e aspiração
natural ganhou 10 cv

Além dos 10 cavalos a mais de potência,
o Celta 1.0 2003 com motor VHC teve seu torque aumentado
de 8,3 para 8,8 mkgf (ou 81 para 86 Nm). O resultado
prático, auxiliado por um também novo
escalonamento de marchas, foi uma notável melhoria
nas acelerações e retomadas de velocidade.
Agora, o Celta acelera de 0 a 100 km/h em 13s1, contra
15s5 da mesma versão do Celta 2002.


Segundo a fábrica, a retomada de velocidade,
dos 40 aos 100 km/h, em quarta marcha, também
melhorou significativamente, sendo agora de 17s2, contra
20s6 do Celta 2002. A fábrica destaca ainda a
melhoria de consumo do Celta equipado com essa nova
motorização. No trânsito, segundo
a fábrica, o modelo faz uma média de 13,3
km/litro, contra 12,9 do Celta 2002.


voltar





















PACOTE VIRA VERSÃO



‘Super’ é agora versão do modelo,
e não pacote de equipamentos


A nova versão "Super" do Celta oferece
como principais itens de série pára-choques
pintados na cor do veículo, painel de instrumentos
com tacômetro (conta-giros) com iluminação
vermelha e componentes de acabamento na cor cinza metálico.


Essa nova versão tem ainda volante de direção
acolchoado de três raios com logotipo cromado,
acabamento em tecido nos painéis das portas,
painéis laterais traseiros e revestimento dos
bancos em tecido diferenciado do modelo básico,
chapa de proteção para motor e cárter,
pára-brisa degradê, desembaçador
elétrico do vidro traseiro com ar quente e com
luz de advertência no painel de instrumentos,
limpador e lavador elétrico do vidro traseiro
e temporizador do limpador do pára-brisa, além
de controle elétrico dos vidros das janelas dianteiras
do tipo ‘um toque’.


O ar condicionado integrado frio e quente é
um item opcional, que pode ser vendido sem qualquer
vínculo com os pacotes de opções.
E o leitor que não se iluda. Mesmo sendo um réles
‘mil’, relativamente leve, sem direção
hidráulica, até o Celta é ruim
de manobrar ou fazer curvas repentinas.


voltar





















CÂMBIO
MACIO


Transmissão tem relação
de marchas mais curtas e engates precisos




A transmissão do Celta 2003 é denominada
"WRGS" (Wide Ratio Gear Set), e tem engrenagens
de relações com diferença maior
entre a primeira e a quinta marchas, com relação
de diferencial mais adequada para uso em cidade e estrada
para motores de baixa cilindrada.


A nova transmissão ganhou um escalonamento de
marchas totalmente novo, em que buscou-se priorizar
as 1ª, 2ª e 3ª marchas com relações
mais reduzidas, enquanto nas 4ª e 5ª marchas
foram mantidas as relações um pouco mais
longas, característica já existente no
Celta 2002.


Com essas características, o Celta 2003 ficou
mais forte nas saídas, com notável melhoria
nos aclives. Um novo sistema de controle de engates
proporciona trocas de marchas precisas e macias, o que
resulta num maior conforto ao dirigir. Com alavanca
de bom tamanho e bem posicionada, o Celta é especialmente
gostoso de conduzir, mesmo (e principalmente) tendo
que efetuar trocas de marchas mais freqüentes,
como é comum em veículos com motores de
apenas mil cilindradas.


voltar






















INTERIOR ESPARTANO

Acabamento é bom, mas materiais
utilizados poderiam ser melhores




O Celta é bem acabado, mas a farta utilização
de materiais plásticos no seu interior deixa
um pouco a desejar em aparência. O painel inteiriço
lembra, guardadas as devidas proporções,
carrinhos de brinquedo de parques de diversões.
O quadro de instrumentos, com dois grandes mostradores
(conta-giros e velocímetro) em meia-lua, incomuns
no segmento, dão personalidade ao painel, mas
têm números muito pequenos e de difícil
leitura.


O controle do circulador de ar (ou ar-condicionado)
no centro do painel tem cores diferenciadas e, junto
com as saídas de ar arredondadas e móveis,
dão um toque de modernidade ao modelo. Mas o
volante da direção, em que pese o seu
diâmetro avantajado porém eficiente principalmente
para as unidades sem ar-condicionado, tem boa pegada
e desenho agradável, mas está muito perto
do painel. É comum, durante manobras, esbarrar
as mãos desconfortavelmente no quadro de instrumentos.


voltar





















CONCORRÊNCIA
FORTE


Segmento tem forte concorrência
entre modelos de entrada




É certo que o Celta tem conquistado vários
prêmios recordes de vendas. É certo também
que em 2001, o Celta ganhou o título de "Carro
Popular do Ano", prêmio concedido pela Abiauto,
a entidade que reúne os principais jornalistas
especializados do país. Mas a concorrência
é forte e as outras montadoras estão atentas
a esse segmento, composto pelos carros de entrada, em
tese os mais baratos do mercado.


Com as novidades incorporadas na linha 2003 do Celta,
a Chevrolet pretende manter a liderança no segmento
dos hatchbacks de 3 portas. Mas para isso o novo Celta
continuará tendo que enfrentar a competição
acirrada de tradicionais modelos populares, como o Gol
Special, da Volkswagen, e o Palio Fire.


Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors