Novo Corsa Hatch 1.0 Autoclutch

Boa relação conforto, desempenho e econômia


  1. Home
  2. Testes
  3. Novo Corsa Hatch 1.0 Autoclutch
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

















ITENS TESTADOS 















































A General Motors do Brasil investiu
nada mais nada menos do que US$ 360 milhões no
desenvolvimento do novo Corsa e na modernização
do Complexo Industrial de São José dos
Campos, interior de São Paulo, onde o modelo
passou a ser produzido. O resultado, irrefutavelmente
feliz, já está nas ruas para todo mundo
comprovar. A nova família Corsa, “menina
dos olhos” da GM, tanto nas versões hatch
quanto sedã, ficou mais bonita, mais moderna,
mais eficiente e... bem mais cara que modelos semelhantes
de outras marcas.


A unidade testada por WebMotors, com
câmbio semi-automático (Autoclutch), que
dispensa o pedal de embreagem, equipada com direção
hidráulica, ar-condicionado, banco do motorista
com regulagem de altura, duplo air-bag, trio elétrico,
sistema de som com CD Player e painel anti-roubo, foi
aprovada quase que por unanimidade. Eu, pessoalmente,
gostei muito do carro. Mas o preço (ah, sempre
o preço...) arrancou exclamações
decepcionadas. Essa versão do modelo, digamos
“X-tudo”, ou seja, com todos os opcionais
disponíveis, custa por volta de R$ 29.745,00!
Vale lembrar que com mais R$ 4 mil você pode comprar
um Astra GL 2.0, por exemplo.

















texto:
Ricardo Panessa

fotos: Diogo Ribeiro

























BONITO E MODERNO




Novo Corsa
1.0 é um carro atual. Mas, continua sendo apenas
mais um modelo “mil”


Tudo bem. Novidade, tecnologia de ponta, desenho moderno
(“inspirado” na linha Astra) e performance
comprovada justificam o aumento de preços. Mas
que dói no bolso, dói.


Afinal, mesmo incorporando uma enorme parafernália
de modernas alternativas da engenharia automotiva de
ponta, o novo Corsa Hatch 1.0 de 8 válvulas,
capaz de desenvolver 71 cavalos de potência, podendo
se vangloriar, assim, de ser o 1.0 mais potente da categoria,
continua sendo só mais um modelo 1.0, com todas
as limitações que a física impõe
a um veículo com motorização semelhante.


voltar






















PARECIDO COM
UM ASTRA


Bonito, novo visual do Corsa remete em
aparência ao “irmão” maior




Com linhas mais limpas e contemporâneas, o novo
Corsa Hatch agrada no visual. A aparência, embora
lembre o Astra, principalmente na parte dianteira, tem
personalidade própria, passando sensação
de robustez. Os novos faróis, com dimensões
maiores que as da versão “antiga”,
tem forma parabólica e superfície multifacetada,
dando uma cara de “marrudo” ao modelo. Os
pára-choques são pintados na mesma cor
da carroceria.


A traseira, por sua vez, tem como maior destaque as
atraentes lanternas verticais integradas ao vidro traseiro,
que melhoraram sensivelmente a visualização
da luz de freios.


voltar






















INTERIOR FUNCIONAL

Modelo é bem resolvido ergonomicamente




O interior do novo Corsa também foi rejuvenescido.
Além de bem acabado, utiliza nas forrações
dos bancos e laterais das portas motivos leves e bem-humorados.
Na unidade testada o banco do motorista oferecia regulagem
de altura, mas o volante da direção, de
design especialmente atraente e empunhadura agradável,
não permitia nenhuma regulagem. Maior em largura,
comprimento e altura (a distância entre-eixos
é de 2.491 mm), o modelo ficou notadamente mais
confortável.


Os comandos são ergonomicamente bem posicionados.
O painel conta com um mostrador central de informação
tripla, instalado na parte superior central, com relógio,
termômetro e calendário, este último
substituído pela freqüência da estação
de rádio, quando este está ligado. O quadro
de instrumentos é especialmente bonito, com dois
grandes círculos sobrepostos, um com conta-giros
e outro com velocímetro, além de indicadores
de temperatura do motor e do nível de combustível,
inteiramente acionados por um circuito eletrônico,
monitorado por uma série de sensores.


voltar






















MOTOR 1.0 DE
8 VÁLVULAS


Com 71 cv, motor privilegia mais o torque
em baixas rotações




Mesmo sendo considerado o mais potente 1.0 de 8 válvulas
do mercado, o motor do Corsa novo não empolga
em acelerações. Em torque, melhora um
pouco. Mas, no geral, em parceria com o câmbio
semi-automático, dá conta do recado, tanto
para rodar na cidade quanto na estrada.


Mas há que ser paciente. Afinal, em física,
não existe milagre. Ele continua sendo apenas
um motor 1.0. É silencioso, elástico,
oferece boas respostas mas, se você quiser chegar
mais rápido, tem mesmo que subir o giro até
os limites da faixa vermelha. Ele demora, mas chega
lá. O consumo, porém, nessas condições,
fica sensivelmente prejudicado. A média de consumo,
segundo a fábrica, é de 14,2 quilômetros
por litro. Pode até ser, andando sonolentamente
na faixa dos 3.500 / 4.000 rpm. Esperando o ponteiro
do conta-giros chegar aos 6.500 / 7.000 rpm, o consumo
aumenta drasticamente. Durante a avaliação,
indo e vindo serra acima e morro abaixo na Fernão
Dias, o Corsa 1.0 fez média de 7,8 km/litro.
Em compensação, ficou mais divertido de
dirigir.


voltar






















CÂMBIO
SEMI-AUTOMÁTICO


Sistema Autoclutch dispensa o pedal da
embreagem




É estranho, mas você logo se acostuma.
E depois que se acostumar, você não vai
mais querer dirigir um carro com pedal de embreagem
e câmbio convencional. O câmbio Autoclutch,
embora continue exigindo que você troque as marchas,
como num carro normal, torna o dirigir muito mais fácil
e confortável. Mesmo com a ausência do
pedal de embreagem, a forma de dirigir é como
a de um carro mecânico, só que facilitada.
A cada troca de marcha o motorista faz a mudança
usando a alavanca da transmissão. Por esse motivo,
a adaptação à embreagem semi-automática
é simples e rápida.


Outro ponto positivo é a facilidade de realizar
manobras, uma vez que não há necessidade
de se controlar o pedal da embreagem. Com as marchas
1ª, 2ª, ou ré engatada, basta tirar
o pé do freio que o carro se movimenta gradativamente
para frente ou para trás sem a necessidade de
acelerar para manobrar, se o carro estiver sobre terreno
plano. Em aclives é necessário o uso do
freio de estacionamento junto com a aceleração
do veículo. Mas com o veículo pesado,
em vias inclinadas, falta força ao motor, que
demora uma eternidade para ganhar giro.


Não dá pra entender porque a GM não
disponibiliza, nem como equipamento opcional, o sistema
Autoclutch de embreagem semi-automática nas versões
1.8 do modelo. Atuando em conjunto com um motor de 102
cavalos, o câmbio Autoclutch certamente seria
muito mais eficiente.


voltar







Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors