Passat Variant Comfortline

Sexta geração é moderna, confortável e muito bem acabada


  1. Home
  2. Testes
  3. Passat Variant Comfortline
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Peruas derivadas de sedãs respondem, em geral, por uma parcela pequena das vendas do modelo. Ainda mais num segmento de luxo como o do Passat e a Variant. A fábrica esperava que fossem 10%. Hoje, no entanto, a divisão é de aproximadamente 65% para o Passat e 35% para a perua. De janeiro a julho deste ano foram vendidas 721 unidades no total, divididas em 487 do sedã e 234 da perua.

E esse número deve aumentar, chegando a 50/50, segundo Paulo Sérgio Kakinoff, diretor de Vendas e Marketing da Volkswagen do Brasil. O aumento deve acontecer no começo de 2007, quando a VW iniciar as vendas no Brasil da versão Turbo do Passat, a ser apresentada no Salão do Automóvel em outubro. Será o motor de 2 litros equipado com turbocompressor, que eleva a potência em 50 cv, chegando a 200 cv. O preço dessa nova versão ainda não foi divulgado, mas pode-se estimar algo em torno de R$ 160.000,00.

São R$ 30.000,00 a mais do que é pago pela versão Comfortline, atualmente a única vendida no mercado nacional e avaliada pelo WebMotors – R$ 129.732,00. Por esse preço a Variant, que é fabricada em Endem, Alemanha, traz importantes itens de segurança, como freios a disco nas quatro rodas com ABS e distribuição eletrônica das forças de frenagem; airbags para motorista, passageiro, laterais e tipo cortina; controle de tração; sensores crepuscular faróis e de chuva; sistema de fixação Isofix para bancos de crianças e o belo conjunto ótico traseiro que utiliza LEDs diodos emissores de luz, mais eficientes em iluminar e duráveis do que as lâmpadas incandescentes convencionais.

Em conforto é igualmente completa, trazendo ar-condicionado digital com duas zonas de resfriamento; freio de estacionamento com acionamento por um botão no painel; retrovisor eletrocrômico; controle automático de velocidade; toca-CDs com capacidade para 6 discos e leitor de arquivos MP3 e volante com comando de rádio e computador de bordo.

Como opcionais são oferecidos teto-solar com acionamento elétrico; revestimento de couro em três opções de cor: cinza, bege e preto para bancos e painéis de porta; rodas de 17 pol; bancos dianteiros com ajustes elétricos este talvez o único item que deveria ser oferecido de série e faróis com lâmpadas de xenônio e facho direcionável, que acompanha o movimento do volante e proporciona melhor iluminação em curvas. Assim equipada, como a versão avaliada, o preço pula para R$ 166.649,00 com pintura sólida; para cores metálicas, mais R$ 1.300,00; perolizadas acrescentam R$ 2.200,00 ao preço.

Chama a atenção a alta qualidade de acabamento na Variant assim como no Passat. Não há rebarbas nos encaixes, os materiais utilizados são de primeira e o visual é moderno, mesmo que mantenha a sobriedade alemã característica. Nesse aspecto – e especialmente em seus veículos médios e grandes – a VW tem se destacado. É igualmente muito bom o porta-malas, com 603 litros de capacidade pelo método VDA, que conta ainda com alguns pequenos compartimentos nas laterais e sob o assoalho, ao lado do estepe. Rebatidos os bancos o volume sobe para 1.731 litros.

Seu motor é o mesmo que equipa o sedã, um 4-cilindros de 2 litros de cilindrada com injeção de combustível estratificada. Com bloco e cabeçote de alumínio, diferencia-se por ter a injeção de combustível diretamente na câmara de combustão de cada cilindro, em vez de no coletor de admissão. Assim, pode trabalhar com mistura mais pobre menos gasolina, mais ar e, por conseguinte, economizar combustível. Em momentos de demanda de maior potência, o gerenciador eletrônico altera o momento de injeção e a quantidade de combustível injetada, garantindo mistura mais rica – e a força necessária. O sistema também permite menor índice de emissão de gases poluentes.

Para a Variant, a potência de 150 cv a 6.000 rpm e o torque máximo de 20,4 kgfm a 3.500 rpm são suficientes para proporcionar dirigibilidade agradável, ainda que comportada e pouco ágil. Afinal, são 1.474 kg de peso, 56 kg a mais do que no Passat.

Colabora para o prazer ao dirigir a suspensão independente nas quatro rodas. Na dianteira, é tipo McPherson e na traseira, multibraço, ambas com mola helicoidal, amortecedor pressurizado e barra estabilizadora. Este componente reduz a rolagem da carroceria inclinação em curvas, mas na Variant, associado à suspensão recalibrada para maior altura de rodagem de maneira a melhor enfrentar a buraqueira e as lombadas de nossas ruas e estradas, há um efeito colateral indesejável: em curvas fechadas efetuadas com mais vigor a roda dianteira no lado interno da curva perde facilmente contato com o solo. Esse comportamento é ruim, pois como a tração é dianteira e o diferencial não possui bloqueio, perde-se tração e, consequentemente, velocidade – embora não haja riscos à segurança.

O câmbio automático tem 6 marchas com possibilidade de trocas manuais e seqüenciais – recurso que todavia se usa pouco, dada a eficiência do conjunto. "Inteligente", o câmbio “aprende” o estilo de dirigir do motorista e adapta-se a ele, proporcionando a melhor combinação de força e economia, principalmente no trânsito urbano. E a utilização de 6 marchas, em vez de 5, mostra-se perfeita para o motor. Pode-se, ainda, usar o câmbio em “S”, do modo esportivo, em que as trocas são feitas em faixas mais altas de rotação e a 6ª marcha permanece fora de uso.

De acordo com a Volkswagen, a Variant atinge 205 km/h de velocidade máxima em quinta e acelera de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos. A fábrica aponta números de consumo muito bons para o carro: 7,8 km/l na cidade e 15,1 km/l na estrada, com média ponderada 55% cidade e 45% estrada de 11,1 km/l. Durante a avaliação em trânsito urbano, o computador de bordo indicou 7 km/l.

A Variant tem atributos e, em tempos de renascimento das peruas e queda das minivans, mostra-se uma ótima opção para quem busca mais conforto, tecnologia, espaço interno e desempenho – sem ter que pagar uma fortuna por isso. Seu crescimento de vendas frente ao sedã só vem a comprovar o acerto da Volkswagen em trazer essa 6ª geração da perua ao Brasil. Agora é aguardar a versão Turbo.

Gosta da VW Passat Variant?

Então veja aqui as nossas ofertas de dois mitos do segmento:

  • VW Passat Variant


  • Leia também:

    Previna-se contra fraudes e golpes

    Novo Mercedes-Benz Classe E

    Peugeot 307 Sedan


    Fiat Stilo Schumacher

    Renault Mégane Sedan e VW Bora
    ________________________________
    E-mail: Comente esta matéria

    Envie essa matéria para uma amigoa

    Comentários

    Ofertas Relacionadas

    logo Webmotors