Suave e bem construído, Nissan Tiida SL dá gosto de dirigir

Modelo importado do México tem um dos conjuntos mecânicos mais redondos de seu segmento


  1. Home
  2. Testes
  3. Suave e bem construído, Nissan Tiida SL dá gosto de dirigir
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- O nome do Nissan Tiida se inspira no termo inglês tide, maré, em inglês. Apesar de estranho, ele combina bem com o carro. A trajetória do Tiida no Brasil parece mesmo guiada pelos caprichos do mar.

Quem pegou uma maré baixa foi o preço da versão básica, a S, que caiu dos R$ 53,29 mil do lançamento para os atuais R$ 52.115. Em compensação, o valor da versão SL manual, que avaliamos, subiu de R$ 63,59 mil para R$ 63,8 mil.

As vendas do carro também não fazem ondas grandes, não a ponto de dar caldo nos concorrentes. Em dezembro, segundo dados da Fenabrave, ele teve 307 unidades vendidas, contra 333 de novembro. No acumulado ele foi apresentado no final de julho, foram só 1.462 unidades, menos do que o Ford Focus vendeu só no último mês de 2007 1.501.

É certo que o Tiida não tem uma versão abaixo dos R$ 50 mil, o que inibe grandes volumes, mas não justifica o nível atual de vendas. Para comparar, basta pegar o Chevrolet Vectra GT. Com valores iniciais de R$ 60 mil para cima, o novato vendeu 1.158 unidades em dezembro do ano passado.

O que atrapalha mesmo o Nissan é o fato de a rede de distribuição da marca ser significativamente menor que a da Chevrolet, por exemplo. São 64 da marca japonesa contra 433 da americana, o que dá, proporcionalmente, um resultado muito melhor para o Tiida do que para o Vectra GT.

Apesar de as vendas ainda estarem muito abaixo do potencial do carro, a Nissan certamente não está desapontada com seu desempenho. Afinal, ela esperava vendas de 260 unidades por mês e 1.300 carros até o fim de 2007. Águas tranqüilas, mas quem disse que isso é bom, em vendas?

Se tivesse mais “portos” à disposição, o Tiida seria uma séria ameaça aos modelos mais vendidos do mercado em sua faixa de preço. Se no lançamento o carro já havia nos impressionado pelo excelente desempenho para um modelo com motor 1,8-litro e pela dirigibilidade, o convívio com o carro mostrou que ele dá praia todo dia.

O que primeiro chama a atenção no carro é seu estilo atual e agradável, sem grandes ousadias, feito para não pecar pelo excesso. Ele remete a modelos da própria Nissan e de outras empresas, sempre pelo aspecto que faz os tais modelos serem mais desejados, como a traseira do Peugeot 307, as lanternas do 350Z, a grade dianteira do Murano e por aí afora.

Quando se entra no carro, o que agrada é o largo banco dianteiro, que acomoda com muito conforto o motorista, o acabamento bem feito, com materiais de boa qualidade, a boa ergonomia e uma excelente sensação de espaço.

Na versão SL, também chama a atenção a versatilidade, uma vez que a fileira do banco traseiro corre por trilhos. Isso permite ampliar a capacidade do porta-malas de parcos 289 l para excelentes 463 l. Além de regulável em distância, o banco traseiro também reclina, o que permite uma posição de descanso para seus ocupantes em cruzeiros prolongados.

De todo modo, é para quem vai atrás de seu volante ou seria timão? que o Tiida mostra a que veio e foi pena ter demorado tanto a chegar. O motor 1,8-litro do hatch responde divinamente aos comandos do acelerador, servindo com brilho tanto ao motorista mais pacato quanto ao mais arrojado. Para o primeiro, o bom torque em baixas rotações evita a necessidade de acelerar; para o segundo, tanto faz se é necessário ou não pisar no pedal da direita. O fato é que é muito bom fazer isso. O ponteiro do conta-giros sobe com vontade, progressivamente.

O câmbio de seis marchas é daqueles que fazem até fãs radicais de automáticos pensarem em sacrificar o conforto. Os engates são precisos, suaves, exatamente do jeito que toda transmissão manual deveria ser.

Esse belo conjunto casa bem com a direção do carro, precisa e suficientemente rápida, e com a suspensão, estável e confortável na medida certa, apesar de sofrer um pouco em pisos irregulares. Até buracos e desníveis fuleiros para os padrões nacionais fazem o curso da suspensão avisar que chegou. E a pancada seca que ele dá não é nada amistosa.

Pelos R$ 63,8 mil que cobra pelo prazer de tê-lo na garagem o Tiida oferece bancos de couro, ar-condicionado com controle digital, toca-CD com seis auto-falantes, alarme com controle remoto, teto solar elétrico, airbags para motorista e passageiro e freios com ABS, EBD distribuição eletrônica de frenagem e BA assistência à frenagem. Ficam faltando o sistema de fechamento automático das portas, não disponível, e a regulagem do volante em distância, além da opção de motor flexível em combustível. É o que falta para o Tiida a pegar vento a favor de seu sucesso. Rumo certo ele já tem.

FICHA TÉCNICA – Nissan Tiida SL


MOTOR Quatro tempos, quatro cilindros em linha, transversal, quatro válvulas por cilindro, duplo comando no cabeçote DOHC, sistema CVVTCS de comando variável de válvulas e refrigeração a água, 1.798 cm³
POTÊNCIA124 cv a 5.500 rpm
TORQUE 17,5 kgm a 4.800 rpm
CÂMBIO Manual de seis velocidades
TRAÇÃODianteira
DIREÇÃO Com assistência elétrica, por pinhão e cremalheira
RODAS Dianteiras e traseiras em aro 15”, de liga-leve
PNEUS Dianteiros e traseiros 185/65 R15
COMPRIMENTO 4,30 m
ALTURA 1,55 m
LARGURA 1,70 m
ENTREEIXOS 2,60 m
PORTA-MALAS 289 l a 463 l, com os bancos traseiros recuados
PESO em ordem de marcha 1.247 kg
TANQUE52 l
SUSPENSÃO Dianteira independente, tipo McPherson; traseira com eixo de torção
FREIOS Discos na dianteira e tambores na traseira
CONSUMO Consumo urbano de 11,6 km/l; consumo rodoviário de 16,8 km/l
PREÇOR$ 63,8 mil
Gosta de hatches médios?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Nissan Tiida

Peugeot 307

Peugeot 306

Volkswagen Golf

Renault Mégane

Chevrolet Astra

Ford Focus

Fiat Stilo

Leia também:

Ford EcoSport XLS

Novo Ford Ka

Fiat Punto ELX 1.4

Lobini H1

Renault Sandero

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors