Teste: Peugeot 408 chega com qualidade para enfrentar Fluence e Jetta

Na maré dos lançamentos dos sedãs médios, o francês fica na média. Oferece qualidade na construção, design e inovação


  1. Home
  2. Testes
  3. Teste: Peugeot 408 chega com qualidade para enfrentar Fluence e Jetta
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- O WebMotors avaliou o Peugeot 408, na versão Griffe topo de linha, durante uma semana. Equipado com um motor 2-litros de 151 cv quando abastecido com álcool, o novo sedã da marca do leão usa uma transmissão automática de quatro velocidades. Elaborado na mesma plataforma do Citroën C4 Pallas, o Peugeot 408 chega com a árdua missão de substituir dois modelos da marca ao mesmo tempo, o 307 e o 407. Outro detalhe que irá exigir muita garra do leão é que a sua chegada está coincidida com a dos novatos Volkswagen Jetta e Renault Fluence. Ambos usam motores 2.0 e oferecem bons atributos aos seus usuários. Outro detalhe interessante é que os três modelos inovadores foram apresentados pela primeira vez ao público brasileiro durante o Salão do Automóvel de São Paulo de 2010.

Outro detalhe comum do trio é que eles chegam para cutucar dois tigres japoneses, Honda Civic e Toyota Corolla, que dominam por algumas “dinastias” o segmento dos sedãs médios. Segundo Carlos Szeles, gerente de produtos da Peugeot do Brasil, a fabricante pretende comercializar por vaolta de mil unidades do sedã ao mês. Como grau comparativo, o líder do segmento, o Toyota Corolla, vendeu mais de 55 mil unidades em 2010. Ou seja, a meta do leão é vender mais unidades que o C4 Pallas.

DNA PSA

É impossível não se lembrar do C4 Pallas ao entrar no Peugeot 408. A diferença é que o modelo leonino parece um C4 Pallas mais amadurecido. Os exemplos aparecem no melhor aproveitamento do espaço, na superior ergonomia e no acabamento um pouco superior. Vale ressaltar que o Citroën esbanja espaço, mas o 408 o aproveita melhor. Por falar nisso, o Peugeot na versão topo oferece um acabamento primoroso. Zero de rebarbas e encaixes condizentes. O único escorregão ficou pela tampa da caixa de fusíveis, localizada abaixo da coluna de direção ela escapa de às vezes. Detalhe: este mesmo detalhe, com a mesma peça ocorria no C4 Pallas.

Se comparado com os dois recém-lançados, o Peugeot 408 oferece o melhor acabamento, seguido por Fluence e Jetta. A versão topo oferece banco do motorista com regulagem elétrica e volante com ajuste de distância e altura. A ergonomia do 408 só não ganhou nota 10 pelo fato de a altura mínima do assento não ser tão próxima do solo. Se você é daquele motorista que gosta de dirigir perto do chão, esqueça o 408. O ponto favorável deste detalhe está no oferecimento de uma visibilidade bem favorecida.

Transmissão consagrada, mas um pouco lenta

O Peugeot 408 utiliza a mesma transmissão do Citroën C4 Pallas. Bom pela confiabilidade e por oferecer trocas precisas, o conjunto peca um pouco pela agilidade. Tal detalhe é menos perceptível nas retomadas e mais visto nas acelerações. Segundo a Peugeot, o 408 acelera de 0 a 100 km/h em 11,9 s. Um número bom para um automóvel familiar que pesa 1.527 kg. O Renault Fluence demora 10,4 s para efetuar a mesma tarefa e o Volkswagen Jetta 9,4 s.

Consumo de combustível

A Peugeot entregou o 408 com o tanque cheio de etanol. Durante a semana inteira rodamos em uma tocada bem moderada e com o ar-condicionado ligado na posição econômica. No computador de bordo a média apontada foi de 5,3 km/l. Na primeira média de tanque a tanque o consumo registrado foi de 5,2 km/l, sendo o percurso predominantemente urbano. Em uma segunda parcial com as mesmas condições o Peugeot 408 fez 4,8 km/l, fechando em uma média de consumo de 5 km/l de álcool. O Renault Fluence foi mais moderado, bebeu 7,2 km/l do combustível extraído da cana. No regime rodoviário o Peugeot se sobressaiu diante o Renault, fez 12,8 com a aferição do WebMotors sendo que o divulgado oficialmente pela Renault é de 11,1 km/l.

Espaço interno e porta-malas

Se comparado com os novatos, o Peugeot tem um porta-malas maior em capacidade que o do VW Jetta 510 l e menor que o do Fluence 530 l. O francês avaliado por nós oferece um volume registrado em 526 litros. Outra boa do modelo é o espaço para as pernas e para cabeça dos usuários que se sentam no banco traseiro. Um modelo humano de 1,80 m pode tranquilamente embarcar no automóvel sem se apertar. O espaço só não é melhor que o do C4 Pallas.

Liquidando a fatura

Se o Peugeot 408 fosse menos pesado, talvez ele ganharia em quase todos os pontos se comparado com os recém-lançados. Trunfo para ser o melhor ele tem de sobra. Os grandes percalços do 408 continuam sendo os mesmos que a marca encontra desde que decidiu apostar no Brasil. Entre os itens que fincam a Peugeot estão: confiança na marca na hora da manutenção e valor de revenda desfavorável. Como o carro foi lançado recentemente, ainda não podemos apurar os efeitos destes sintomas. A meta da Peugeot é vender mil unidades ao mês. De acordo com o fechamento de maio de 2011 da Fenbrave, a conta fechou assim: Toyota Corolla 4.581, KIA CERATO 3.064, Honda Civic 2.163, Volkswagen Jetta 1.745, Chevrolet Vectra 1.675, Fiat Linea 1.370, Ford Fusion 797, Nissan Sentra 729, Citroën C4 Pallas 552, Renault Fluence 446 e Peugeot 408 435.

Combatendo os japoneses

Quem são os concorrentes dos nipônicos? São os sedãs médios que estão de olho nos 15 mil modelos vendido do Corolla só até abril de 2011. Arredondando, o Honda Civic que precisou adiar a chegada da sua nova geração ao Brasil registrou 8.500 unidades, o Kia Cerato 7.500, o GM Vectra 5 mil e o Nissan Sentra 3.300 mil. Um modelo que chegou para tentar pegar a vida boa liderança isolada do Corolla foi o Volkswagen Jetta, o carro vendeu ¼ do que o Corolla e atualmente já ocupa a terceira posição.


Motor

Quatro cilindros em linha, dianteiro, transversal, 16 válvulas, 1997 cm³

Potência

151 cv etanol / 143 cv gasolina a 6.250 rpm

Torque

22 kgfm etanol - 20 kgfm gasolina a 4.000 rpm

Câmbio

Automático, com quatro marchas sequencial

Tração

Dianteira

Direção

Por pinhão e cremalheira, com assistência eletro-hidráulica

Rodas

Dianteiras e traseiras em aro 17” de liga-leve

Pneus

Dianteiros e traseiros 225/45 R17

Comprimento

4,69 m

Altura

1,52 m

Largura

1,82 m

Entre-eixos

2,71 m

Porta-malas

526 l

Peso em ordem de marcha

1.524 kg

Tanque

55 l

Suspensão

Dianteira independente, tipo McPherson; traseira independente, tipo eixo de torção

Freios

Disco ventilado na dianteira e sólido na traseira

Preço

R$ 59.500 a R$ 79.900

Gosta de sedãs médios?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para este segmento:

Ford Fusion

Chevrolet Malibu

Toyota Corolla

Honda Civic

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors