Toyota Hilux Srv Cd Diesel 4x4 2630

Toyota Hilux está mais tecnológica e potente

Versão SRV, movida a diesel, é tabelada a R$ 247.990 e tende a garantir o título de Rainha das Picapes ao modelo

    • Desempenho
    • Desempenho
    • 45,9/1600 - 2400 kgfm/rpm
    • Consumo Gasolina
    • Consumo Gasolina
    • Cidade: 9,0 km/litro
      Estrada: 10,5 km/litro
    • Consumo Álcool
    • Consumo Álcool
    • Cidade: N/A
      Estrada: N/A
    • Porta Malas
    • Porta Malas
    • N/A
    • Câmbio
    • Câmbio
    • N/A
8.8

Overview


  • + Desempenho
  • + Consumo de combustível
  • - Conectividade
  • - Acabamento interno
 
  • 4.4 Estrela icone
  • 4.4 de 5 estrelas
  1. Home
  2. Testes
  3. Toyota Hilux está mais tecnológica e potente
Lukas Kenji
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Não importa o que faça a concorrência, a Toyota Hilux ainda é a Rainha das Picapes. Se mesmo quando não tinha itens importantes, liderava a categoria de picapes médias em vendas, agora, a tendência é que esse cenário seja solidificado. A linha 2021 significa mais do que um tapinha no visual do modelo importado da Argentina. A Hilux está mais potente e tecnológico.

Toyota Hilux Srv Cd Diesel 4x4 2634
Toyota Hilux recebeu bem mais que um tapinha no visual na atualização para a linha 2021
Crédito: Ricardo Rollo/WM1

Aqui, você confere a avaliação da Hilux SRV, a mais em conta equipada com motor turbodiesel e transmissão automática. A versão custa R$ 247.990 e fica uma posição abaixo da topo de linha SRX, que é R$ 32 mil mais cara.

A grosso modo, a diferença no preço se dá pela oferta de equipamentos semi-autônomos e de segurança ativa, que são os maiores atrativos deste que é o segundo facelift sofrido pela oitava geração da picape. Falamos de itens como controle de cruzeiro adaptativo, assistente de manutenção em faixa, sistema de frenagem emergencial, além de alerta de colisão iminente.

Além desses itens, que já equipam boa parte da concorrência, só a versão topo de linha tem sistema de som da JBL e bancos revestidos em couro perfurado com ventilação. Mas as ausências mais enfáticas são capota marítima, lanternas em LED com novo grafismo, além de faróis full LED.

O curioso é que a versão testada tem faróis de neblina de LED, enquanto os projetores principais não têm o mesmo componente. Antes fosse o contrário.

As luzes auxiliares agora são acompanhadas de novas molduras. O mesmo vale para a grade, que está maior, mais agressiva e tem aplique em preto brilhante. Tal material também decora o conjunto de rodas de 18 polegadas.

Toyota Hilux Srv Cd Diesel 4x4 2616
Grade da picape está maior, mais agressiva e tem aplique em preto brilhante
Crédito: Ricardo Rollo/WM1

Se o visual recebeu mudanças discretas, o porte da Hilux está igualzinho. O comprimento de 5,32 metros de comprimento é muito semelhante ao da Ford Ranger. Já a altura é de 1,81 m, enquanto a largura é de 1,85 m.

Também foram mantidos os números relativos à caçamba, que tem capacidade de carga de 1.000 quilos, enquanto o volume é de 1.000 litros.

Mais desempenho

Mas voltemos a falar sobre novidades. Uma das mais impactantes está no motor, 27 cv mais potente e 5 kgf.m mais torcudo em relação à configuração anterior. Isso se deve ao novo turbocompressor, que está maior e tem geometria variável.

Essas alterações, somadas ao mapeamento de injeção revisado, deixaram a Hilux mais performática e econômica, segundo a montadora. Com 204 cv a 3.400 rpm de potência, a picape agora está em pé de igualdade com as rivais. A exceção é a Volkswagen Amarok V6 e seus exagerados 256 cv.

Já o torque chegou a 50,9 kgf.m a 2.800 giros. É o dobro de força em relação ao conjunto 2.7 flex, que não trouxe alterações na nova linha.

Toyota Hilux SRV está com 27 cv a mais de potência e torque 5 kgf.m maior
Crédito: Ricardo Rollo/WM1

É difícil apontar um senão ao desempenho da picape fabricada na argentina. O modelo tem pujança na estrada e pegada valente no off-road. Com os botões Eco e Power, é possível escolher qual a tocada mais adequada para o tipo de viagem.

Houve alterações ainda na suspensão e direção, com o intuito de deixar a picape mais confortável. Mas os ajustes não surtiram efeitos tão nítidos na prática. Fato é que a direção continua com assistência hidráulica em vez de elétrica - só Ford Ranger e Chevrolet S10 possuem o sistema mais moderno no segmento.

Já uma alteração que também não deve ser sentida, mas pelo lado positivo, tem a ver com a transmissão. Agora, ela tem diferencial de gestão eletrônica. Isso significa que, em uma estrada com lama, se uma roda patinar, o sistema identifica rapidamente a situação e envia mais força para a roda que ainda tem tração,  e evita, assim, uma enrascada ainda maior.

Quanto aos demais itens off-road, tudo segue igual. Há tração 4x4 com reduzida, que pode ser facilmente ajustada no painel. O mesmo vale para assistente de reboque e de subida, além do diferencial auto-blocante, de série na versão SRV.

A tração 4x4 com reduzida da Toyota Hilux SRV pode ser facilmente ajustada no painel
Crédito: Ricardo Rollo/WM1

Itens de série da Toyota Hilux

Outros equipamentos de destaque são volante multifuncional revestido em couro com ajuste de altura e profundidade, ar-condicionado digital, chave presencial com partida por botão, bancos revestidos em couro com ajuste elétrico para o assento do motorista, sete airbags, além de controle de cruzeiro.

A central multimídia de sete polegadas é outro equipamento de destaque que passou por atualização, finalmente, com os sistemas de pareamento Android Auto e Apple CarPlay. No entanto, só funcionam via cabo.

Embora seja uma novidade positiva e tenha ainda câmera de ré e TV digital, a tela não tem a mesma nitidez e resolução apresentada por modelos rivais. Basta fazer um rápido paralelo com a Ranger para chegar a tal percepção. Aliás, a picape da Ford pode ser considerada o bastião da conectividade na categoria.

Volante multifuncional revestido em couro e central multimídia de sete polegadas são destaques
Crédito: Ricardo Rollo/WM1

Mas o maior problema é que a Hilux ainda mantém itens antiquados mesmo para uma picape raiz. A famosa canetinha ainda marca presença no cluster, enquanto o reloginho digital que nos remete a um Ford Del Rey segue no centro do painel.

Outro item difícil de entender é a costura que envolve boa parte do acabamento interno. Seria adorno caprichado, caso o revestimento fosse em couro. Como se trata de plástico rígido, o enfeite não transparece autenticidade.

Em relação ao pós-venda, a Hilux não apresenta os valores mais em conta. Tanto as revisões, quanto o seguro só não são mais caros do que a Volkswagen Amarok. A apólice mais em conta no AutoCompara é de R$ 7.152,59, enquanto a soma dos seis primeiros serviços de revisão chega a R$ 8.336.

Apesar de ainda cometer alguns vacilos em relação a acabamento interno e conectividade, além de apresentar valores de manutenção salgados, a Toyota Hilux ainda é uma das picapes médias que melhor consegue equilibrar boas soluções de desempenho, segurança e conforto. A tendência é que continue a assegurar a fidelidade do consumidor que não troca o modelo japonês de jeito nenhum.

Preto brilhante está presente nas rodas de 18 polegadas da Toyota Hilux SRV
Crédito: Ricardo Rollo/WM1

 

 

Ficha Técnica

TOYOTA - HILUX - 2020
2.8 SRV 4X4 CD 16V DIESEL 4P AUTOMÁTICO
R$ 211290

Motor / Desempenho / Consumo +

  • Cilindrada cm³
  • 2755
  • Disposição dos cilindros
  • Linha
  • Número de cilindros
  • 4
  • Taxa de compressão
  • 12,0;2
  • Número de válvulas por cilindro
  • 4
  • Número de válvulas (comercial)
  • 16
  • Comando de Válvulas
  • DOHC
  • Start-Stop
  • Sim
  • Nomenclatura do motor (comercial)
  • D-4D
  • Potência (cv/rpm)
  • 177/3400
  • Torque (kgfm/rpm)
  • 45,9/1600 - 2400
  • Velocidade máxima (km/hora)
  • 180
  • Aceleração 0-100 km/h (segundos)
  • 11,2
  • Consumo cidade (km/litro) - Combustível 1
  • 9,0
  • Consumo estrada (km/litro) - Combustível 1
  • 10,5
  • Fonte consumo
  • INMETRO

Transmissão +

  • Transmissão
  • Automática
  • Número de marchas
  • 6
  • Localização do câmbio
  • Assoalho
  • Modo manual (p/ AT)
  • Sim
  • Tração
  • Integral parcial
  • Com reduzida (4x4)
  • Sim
  • Nomenclatura da tração (comercial)
  • 4X4
  • Diferencial
  • Com bloqueio

Freios / Suspensão / Direção +

  • Freios dianteiros
  • Disco ventilado
  • Freios traseiros
  • Tambor
  • Freio de estacionamento
  • Eletrônico
  • Suspensão - Dianteira
  • Double Wishbone
  • Suspensão - Molas dianteiras
  • Helicoidal
  • Suspensão - Traseira
  • Eixo de torção
  • Suspensão - Molas traseiras
  • Helicoidal
  • Direção - Assistência
  • Hidráulica
  • Direção - Ajustes
  • Altura e profundidade

Dimensões e Capacidades +

  • Comprimento (mm)
  • 5330
  • Largura (mm)
  • 1855
  • Altura (mm)
  • 1815
  • Entre-eixos (mm)
  • 3085
  • Altura em relação ao solo (mm)
  • 286
  • Ângulo de ataque (graus)
  • 31
  • Ângulo de saída (graus)
  • 26
  • Capacidade tanque de combustível (litros)
  • 80
  • Peso bruto (kg)
  • 3090
  • Peso líquido em ordem de marcha (kg)
  • 2085
  • Carga útil (kg)
  • 1005

Tecnologia / Conectividade +

  • Sistema de áudio - Tipo
  • Multifunções
  • Sistema de áudio - Nomenclatura (comercial)
  • Toyota Play
  • USB
  • Sim
  • CD/MP3 player
  • Sim
  • AUX-in
  • Sim
  • Bluetooth
  • Conexão com celular
  • Tela de entretenimento - Tamanho da tela (pol.)
  • 7
  • Tela de entretenimento - Sensível ao toque
  • Sim
  • Tela de entretenimento - Espelhamento com smartphone
  • Apple CarPlay + Google Android Auto
  • Tela de entretenimento - Navegação (GPS)
  • Integrado
  • Tela de entretenimento - TV digital
  • Sim
  • Tela de entretenimento - DVD
  • Sim
  • Controle de áudio
  • No volante
  • Alto-falantes - Quantidade
  • 6
  • Alto-falantes - Tweeters
  • 0
  • Alto-falantes - Subwoofer
  • 0

Rodas e Pneus +

  • Tipo de roda - Tipo de roda
  • Liga leve
  • Tipo de roda - Design/cor
  • Dois tons
  • Dianteira - Aro (pol.)
  • 17
  • Dianteira - Pneus (largura/perfil/aro)
  • 265/65
  • Traseira - Aro (pol.)
  • 17
  • Traseira - Pneus (largura/perfil)
  • 265/65
  • Estepe
  • Convencional

Garantia +

  • Garantia total do veículo - Duração (meses)
  • 60
  • No Bolso8.3
  • Tecnologia8.5
  • Vida a bordo9.0
  • Desempenho9.0
  • Opinião do repórter9.0
  • + Desempenho
  • + Consumo de combustível
  • - Conectividade
  • - Acabamento interno
 
8.8

  • Lukas Kenji
  • Quando deixa um pouco de lado a carreira brilhante como piloto de Gran Turismo e Fórmula 1 (no Playstation), faz cobertura diária do setor automobilístico. Muscles cars e clássicos dos anos 1990 são as máquinas prediletas.
Compartilhar
Comentários