Tiggo 3X e Tiggo 2

Tiggo 3X e Tiggo 2: veja as diferenças entre eles

Apesar de serem construídos sobre a mesmíssima plataforma, há distinções entre os dois modelos. Descubra agora mesmo


  1. Home
  2. Comparativos
  3. Tiggo 3X e Tiggo 2: veja as diferenças entre eles
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Você viu aqui no WM1 e em nosso canal do Youtube tudo sobre o mais novo lançamento da Caoa Chery no Brasil, o Tiggo 3X. Possivelmente, também já sabe como o modelo roda graças ao nosso teste completo. Mas, se ficou atento, reparou ainda que ele é baseado no Tiggo 2, que já existia. Por isso decidimos compará-los justamente para mostrar as principais diferenças entre os dois modelos.

Neste comparativo, no entanto, não vamos eleger um vencedor, até porque esse não é o propósito do WM1 e muito menos da Caoa Chery, que vê públicos diferentes para os dois carros. Abaixo, elencamos as principais virtudes e vacilos de cada um para mostrar que, mesmo produzidos lado a lado, conseguem ser bem distintos.

Tiggo 3X e Tiggo 2: a dupla abaixo de R$ 100 mil

Vamos começar por preço e proposta. Os dois carros têm o mesmo tamanho e volume de porta-malas - são 4,20 m de comprimento, 1,57 m de altura, 1,76 m de largura, 2,56 m de entre-eixos e bagageiro com capacidade para 420 litros -, mas o Tiggo 3X será posicionado em valores superiores ao do Tiggo 2 por ter motor novo (e mais forte) e ser mais equipado.

O Tiggo 3X custa entre R$ 94.990 (versão Plus) e R$ 99.990 (Pro), enquanto o Tiggo 2 começa na casa dos R$ 78.590 (versão Look M/T) e chega a R$ 92.190 (ACT A/T).

 Tiggo 3X e Tiggo 2 vão conviver: o mais novo tem motor turbo; o mais velho, propulsor aspirado e menos tecnologia
Legenda: Tiggo 3X e Tiggo 2 vão conviver: o mais novo tem motor turbo; o mais velho, propulsor aspirado e menos tecnologia
Crédito: Divulgação

A principal diferença entre os dois é mecânica. O Tiggo 3X vem com um recém-lançado motor de três cilindros, 1.0, turboflex de até 102 cv e 17,1 kgf.m com etanol (são 98 cv e 16,8 kgf.m com gasolina), que é movido por uma caixa de transmissão automática do tipo CVT que simula nove marchas.

Já o Tiggo 2 usa um quatro-cilindros aspirado de 1,5 litro capaz de render até 115 cv e 14,9 kgf.m de torque com etanol (110 cv e 13,8 kgf.m com gasolina) que recebe comandos de caixas de câmbio manual de cinco marchas ou automático de quatro velocidades.

Isso posto, importante frisar que a diferença de desempenho - e principalmente de consumo - é bem grande. O Tiggo 3X, lançado esta semana, consegue fazer de 0 a 100 km/h em 14,2 s e atingir a velocidade máxima de 172 km/h, bem como fazer 7,8 km/l na cidade e 8,5 km/l na estrada com etanol e 11,2 km/l e 12,2 km/l, respectivamente, com gasolina no tanque.

Já o Tiggo 2 automático é ainda mais vagaroso. O 0-100 km/h é realizado em 15 segundos, a máxima é de 167 km/h e o consumo oficial é o seguinte: 6,9 km/l na cidade e 8,2 km/l na estrada com etanol e 10 km/l e 11,9 km/l, nas mesmas condições, com gasolina.

Novos equipamentos

O Tiggo 3X também tem oferta de equipamentos mais atraente, por fazer parte de um projeto mais recente. A versão de entrada vem de série com dois airbags; assistente para partidas em rampa; controle de descida; controles eletrônicos de tração e estabilidade; ganchos Isofix; DRL em LED; freio a disco e rodas de liga leve de 16 polegadas.

Na parte de conveniência, traz também ar-condicionado; direção com assistência elétrica; volante multifuncional com comandos de áudio e do piloto automático (tradicional e não adaptativo); central multimídia com tela de nove polegadas e sistema de travas e vidros elétricos, entre outros.

Já o Tiggo 3X mais caro, de R$ 100 mil, agrega alguns equipamentos: grade frontal tridimensional; faróis full-LED (DRL e canhões principais); frisos cromados; bancos de couro; quadro de instrumentos com display colorido de LCD; chave presencial com partida por botão; sensor crepuscular; retrovisores com ajuste e rebatimento elétricos; câmera de ré; luzes de boas-vindas e rodas exclusivas.

Em comparação superficial - pois, como falamos, é difícil relacionar carros com propostas diferentes, ainda que com preços parecidos -, o Tiggo 2 deixa de oferecer uma série de itens recém-chegados ao Tiggo 3X, principalmente os da versão mais cara, como os faróis full-LED, o quadro de instrumentos com display colorido, a chave presencial com partida por botão e as luzes de boas-vindas.

Mas o Tiggo 2 não deixa de ser bem equipado: na versão mais cara, vem com assistente de partida em rampa; monitoramento da pressão dos pneus; controle de tração e estabilidade; bancos de couro; piloto automático; roda de liga leve e central multimídia com tela colorida capaz de espelhar Android Auto e Apple CarPlay por fio.

E com um detalhe: tem teto solar com acionamento elétrico, algo que não é oferecido pelo Tiggo 3X nem na configuração mais cara.

Conclusão

Como era de se esperar, o Tiggo 3X é mais caro por oferecer mais tecnologia e melhores números de consumo e desempenho que seu irmão mais velho, o Tiggo 2. Mas note que são propostas diferentes: enquanto o carro recém-chegado pretende se tornar o novo carro-chefe da empresa, na busca por famílias pequenas, o mais antigo agora se torna oficialmente a opção de entrada da marca no Brasil.

Comentários