Qual SUV compacto vai mais longe com tanque cheio?

Vamos comparar as autonomias rodoviárias com gasolina dos cinco SUVs compactos mais econômicos do país para descobrir

  1. Home
  2. Bolso
  3. Qual SUV compacto vai mais longe com tanque cheio?
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Resolvemos comparar os dados oficiais dos cinco SUVs mais econômicos do mercado brasileiro - segundo as informações do programa de etiquetagem do Inmetro - para tirar uma dúvida pertinente: qual SUV compacto vai mais longe em um percurso rodoviário com gasolina no tanque?

A questão é válida porque a resposta não depende unicamente dos números de consumo, mas também do tamanho do tanque do carro, algo que reflete diretamente na autonomia. Ficou curioso? Então vamos descobrir agora qual dos cinco vai mais longe com o tanque cheio.

Qual SUV compacto vai mais longe?

1. Peugeot 2008

Veja só: o SUV compacto (que para muitos é uma perua ou mesmo um hatch) que vai mais longe com um tanque cheio de gasolina, na estrada, é o Peugeot 2008 com o motor 1.6 aspirado de 118 cv e 16,1 kgf.m de torque. Segundo dados oficiais, esse carro faz 7,5 km/l na cidade e 9,2 km/l na estrada com etanol; e 10,7 km/l e 13 km/l, respectivamente, com gasolina.

Com tanque de 55 litros (grande para a média da categoria), a autonomia máxima atingida pelo agora modelo da Stellantis é de 715 quilômetros.

Peugeot 2008 2020 vermelho de frente
Peugeot 2008 atualmente tem preços superiores a R$ 100 mil. Vende pouco, mas é bem legal de guiar
Crédito: Divulgação
toggle button

2. Volkswagen T-Cross

Segundo colocado em nossa lista de SUVs compactos que vão mais longe, o T-Cross também é um dos modelos mais econômicos da categoria de utilitários compactos. Com motor 1.0 TSI (turbo) com injeção direta, de 128 cv e 20,4 kgf.m de torque, ele faz 7,6 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada com etanol; e 11 km/l e 13,5 km/l, respectivamente, com gasolina. Sua autonomia máxima é de 702 km.

Vw T Cross2
Volkswagen T-Cross, lançado em 2019, foi o SUV mais vendido do Brasil pelo segundo ano consecutivo
Crédito: Ricardo Rollo/WM1
toggle button

3. Citroën C4 Cactus

O terceiro colocado também é francês e agora também pertence à Stellantis. Falamos do Citroën C4 Cactus equipado com o motor 1.6 THP flex de 173 cv e 24,5 kgf.m de torque. Segundo o Inmetro, ele faz 7,2 km/l na cidade e 8,9 km/l na estrada com etanol; e 10,4 km/l e 12,6 km/l com gasolina. Com tanque de 55 l, assim como o Peugeot 2008, sua autonomia máxima na estrada com gasolina é de 693 km.

Citroën C4 Cactus Shine Pack Thp 8077
Citroën C4 Cactus é atualmente o único carro vendido pela marca francesa no Brasil
Crédito: Ricardo Rollo/WM1
toggle button

4. Fiat Pulse/Volkswagen Nivus

O recém-chegado Fiat Pulse ao lado do Volkswagen Nivus foram os quartos colocados dessa lista de SUVs compactos que vão mais longe e provam que tamanho de tanque de combustível faz a diferença.

O Fiat faz 8,5 km/l na cidade e 10,2 km/l na estrada com etanol; e 12 km/l e 14,6 km/l, respectivamente, com gasolina -, mas o volume de seu tanque de combustível, de 47 litros, é capaz de oferecer autonomia de 686 km, assim como o carro da Volks, que tem tanque maior (52 litros), mas consumo um pouco inferior - 7,7 km/l e 9,4 km/l com etanol e 10,7 km/l e 13,2 km/l com gasolina.

Fiat Pulse Audace 004 Large
Fiat Pulse Audace foi lançado por R$ 107.990, mas tendência é de que preço aumente em 2022
Crédito: Divulgação
toggle button

5. Chevrolet Tracker

A nova geração do SUV da GM é uma das opções mais econômicas entre os utilitários compactos (com motor 1.0 turbo), mas nesse quesito de ir mais longe fica apenas com a quinta colocação, graças ao tanque de combustível menor que o dos modelos anteriores.

Com capacidade para 44 litros, o carro da GM - que faz 9 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada com etanol e 13 km/l e 14,8 km/l, respectivamente, com gasolina - alcança 651 km de autonomia máxima quando consideramos os dados medidos com gasolina em percurso rodoviário.

Chevrolet Tracker com motor 1.0 turbo é um dos SUVs mais econômicos do Brasil, mas não o que vai mais longe
Crédito: Fernando Miragaya/WM1
toggle button
Tags:Lista
Comentários