Sem turbo, novo Honda City parte de R$ 108.300

Sedã começa a ser vendido no dia 23 de novembro; inédita variante hatchback será lançada somente em janeiro

  1. Home
  2. Últimas notícias
  3. Sem turbo, novo Honda City parte de R$ 108.300
Guilherme Silva
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Dias depois de confirmar o fim da produção nacional do Fit, a Honda apresentou nesta quinta-feira (18) a nova geração do City, que será lançada em duas etapas. O sedã começa a ser vendido no dia 23 de novembro, nas versões EX (R$ 108.300), EXL (R$ 114.700) e Touring (R$ 123.100). As primeiras unidades chegam às concessionárias em janeiro.

Já a inédita variante hatchback, que substituirá o Fit no mercado brasileiro, terá os preços das versões EXL e Touring divulgados somente em janeiro e chegará às revendas em março do ano que vem.

Como é o novo Honda City

New City 2022 (2)

Vendido no Brasil desde 2009 apenas na carroceria sedã, que chega à sua terceira geração no país, o City passa contar com a versão hatch prometendo manter as mesmas qualidades do Fit. A Honda adotou essa estratégia para não elevar os custos de produção, uma vez que o novo Fit, lançado em 2019 na Europa e no Japão, ficou sofisticado demais e, consequentemente, caro para os padrões brasileiros.

City Hatch 2022 (24)
Novo Honda City Hatch será o substituto natural do Fit no mercado brasileiro
Crédito: Divulgação
toggle button

Além do visual atualizado, o novo Honda City sedã ficou maior que o antecessor. Medindo 4,55 metros de comprimento, ele é 9,4 centímetros mais comprido e 5,3 cm mais largo que o modelo antigo. A distância entre-eixos, no entanto, foi mantida. Apesar do ganho de alguns centímetros na carroceria, o porta-malas teve a capacidade reduzida de 536 litros para ainda bons 519 litros. Segundo a marca japonesa, a estrutura do novo City é 20,4% mais rígida e 4,3 kg mais leve que a antiga.

Com 4,34 m de comprimento, o City hatch é 24 cm mais comprido que o Fit, enquanto o seu entre-eixos - com os mesmos 2,60 m do sedã - é 7 cm maior que o do monovolume.

City Hatch 2022 (21)
Hatch é consideravelmente mais comprido que o Fit, mas seu porta-malas é quase 100 litros menor
Crédito: Divulgação
toggle button

Para compensar, em partes, o menor porta-malas (268 litros), o City hatch adotou o mesmo banco traseiro do Fit. O sistema Magic Seat, que permite quatro posições de rebatimento, amplia o espaço da cabine em até 1.168 litros.

New City 2022 (16)
Novo Honda City mira consumidores do Toyota Yaris Sedan e Volkswagen Virtus
Crédito: Divulgação
toggle button

Tanto o sedã quanto o hatch são equipados com novos amortecedores dotados do sistema que utiliza o próprio fluido e uma válvula extra para evitar pancadas de final de curso ao passar sobre buracos, por exemplo. Outra novidade no City são os controles de estabilidade e tração, inexistentes no modelo anterior - e que agora são obrigatórios por lei para projetos novos.

Novo motor, mas sem turbo

Com o novo City, a Honda estreia no Brasil o inédito motor 1.5 flex de quatro cilindros, identificado pela nomenclatura DI DOHC I-VTEC. Esse propulsor entrega 126 cv de potência a 6.200 rpm e 15,5 kgf.m de torque a 4.600 rpm (números com gasolina).

O ganho de 10 cv em relação ao antigo 1.5 I-VTEC foi atingido com a adoção de injeção direta e duplo comando de válvulas. A única transmissão disponível é a automática de variação contínua (CVT) com simulação de sete marchas.

New City 2022 (41)
Mais potente, novo motor 1.5 flex aspirado com injeção direta promete maior eficiência em relação ao do antecessor
Crédito: Divulgação
toggle button

Segundo os dados de consumo do Inmetro, o City sedã faz 9,2 km/l na cidade e 10,5 km/l na estrada quando abastecido com etanol. Bebendo gasolina, os números são de 13,1 km/l em percurso urbano e 15,2 km/l, em uso rodoviário.

Por sua vez, o City hatch atingiu marcas de 9,1 km/l e 13,3 km/l (etanol/gasolina) na cidade e de 10,5/14,8 km/l, na estrada.

Equipamentos de série

Faróis full-LED são de série na versão Touring do novo Honda City
Crédito: Divulgação
toggle button

Desde a versão EX (R$ 108.300) do sedã, o City é equipado de série com seis airbags (dois frontais, dois laterais e dois de cortina); controles de estabilidade e tração; Isofix; chave presencial com botão de partida no painel; central multimídia com tela de 8" e conexão sem fio com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay; câmera de ré; lanternas de LED; rodas de liga leve de 16” com sensor de pressão dos pneus; faróis de neblina; borboletas para trocas de marchas no volante.

Versões EXL e Touring podem ter revestimento da cabine em couro claro
Crédito: Divulgação
toggle button

Na intermediária EXL (R$ 114.700) são adicionados os bancos revestidos de couro; painel com tela digital configurável de 7”; sensor de estacionamento traseiro e o LaneWatch, que aciona a câmera instalada no retrovisor do lado direito e mostra na tela da multimídia a imagem do ponto cego do veículo ao acionar a seta.

Painel conta com tela digital à esquerda do velocímetro desde a versão EXL
Crédito: Divulgação
toggle button

Na topo de linha Touring, (R$ 123.100) o City ganha faróis e lanternas de LED, sensor de estacionamento dianteiro e o pacote de assistências de segurança Honda Sensing. Nessa versão, o sedã passa a contar com frenagem autônoma de emergência, leitor de saída de faixa com centralização e correção no volante, controle de cruzeiro adaptativo e ajuste automático do farol alto.

Embora a Honda não tenha falado a respeito, o City hatch deverá seguir o mesmo padrão de equipamentos do sedã.

Comentários