Volvo confirma XC40 para o Brasil

Primeiro crossover compacto da marca mira Mercedes GLA e BMW X1
  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Volvo confirma XC40 para o Brasil
Karina Simões
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

 

Nesta semana, a Volvo apresentou sua primeira concessionária em São Paulo alinhada ao padrão sueco. Atualmente, a marca possui 27 lojas no Brasil e a Autostar Santo Amaro foi a sétima a adotar o mobiliário escandinavo, importado da Suécia. Todavia, esse não foi o principal chamariz para a imprensa, mas sim os planos da marca para o Brasil, revelados pelo CEO da Volvo Cars Brasil, Luiz Rezende.

 

O executivo confirmou que o futuro crossover compacto da Volvo, XC40, que ainda está em desenvolvimento, será vendido no Brasil. A novidade chega para aumentar a família “40”, que já conta com conta o hatchback V40 e o sedã S40, e já foi flagrado pela revista inglesa Autocar durante testes em dezembro do ano passado. Estima-se que irmão menor do XC 60 seja equipado com motor 1.5 turbo e comece a ser produzido em 2017 na planta da Bélgica. Por aqui, ele deve aparecer em até três anos para concorrer com o Mercedes-Benz GLA e o BMW X1. Vale lembrar que o XC60 é o modelo da Volvo que mais vende no Brasil, ou seja, uma versão menor – e mais em conta - tem grandes chances de ser sinônimo de sucesso em terras tupiniquins.

Os modelos da família “40” irão utilizar a plataforma CMA (Compact Moduloar Architecture), que compartilha peças com a irmã maior SPA, dos modelos XC90, S90, e V90. Dessa turma, o XC90 já é vendido por aqui (confira nosso vídeo) e o sedã S90 chega entre o final de 2016 e o início de 2017. Rezende explica que a empresa ainda está pensando na estratégia, já que o segmento vende cerca de 1.500 unidades ao ano e há concorrentes do porte de Mercedes-Benz Classe E, Audi A6, BMW Série 5 e Jaguar XF. Em contrapartida, a vinda do V90 foi descartada.

Operação no Brasil

A Volvo espera fechar 2016 com 30 concessionárias e manter o mesmo número de vendas alcançado em 2015, ano em que a montadora cresceu 35% no País, beirando os 4 mil veículos. Para Rezende, a crise não é o principal fator para que eles não almejem mais crescimento para este ano, mas segundo ele um fator relevante é a concorrência que vem atuando forte – o Discovery Sport, modelo mais acessível da Land Rover, é um exemplo.

Para manter o market share, a Volvo aposta em um repasse de preço inferior ao praticado pelas rivais, na casa dos 5% enquanto outras marcas premium tiveram aumentos na faixa dos 9%.

Os carros que a marca vende hoje no Brasil vêm das plantas de Ghent, na Bélgica, e de Gotemburgo, na Suécia. Além dessa fábricas, a Volvo conta com uma segunda planta na Suécia, uma na China e outra sendo construída nos Estados Unidos, que ficará pronta em 2018. A marca descarta, pelo menos nos próximos dois anos, ter uma fábrica no Brasil.

Híbridos no radar

Rezende confirmou ainda que até ano que vem o line-up da Volvo no Brasil terá um veículo híbrido, com um motor elétrico e outro a combustão, mas ainda não revelou qual o escolhido para receber a motorização. A WebMotors aposta no XC90, cuja versão híbrida plug-in já responde por 20% das vendas do modelo nos Estados Unidos. Aliás, falando em XC90, a marca garantiu que a renovação do portifólio da marca vem com força. “Em quatro anos, o XC90 será o carro mais antigo do nosso showroom”, conclui.

Minimalismo que vale euro

Isso mesmo, euro. Desde o ano passado, as concessionárias da Volvo iniciaram um processo de adequação ao padrão visual global da marca. Isso quer dizer que as 27 revendas Volvo estão mudando de “cara” no Brasil. Para a marca, a mudança vai melhorar a percepção de exclusividade do cliente, que terá a sensação de entrar em uma revenda no país como em qualquer outra unidade no mundo. A decoração é aconchegante, sofisticada e muito minimalista. Há espaço para o cliente aguardar o carro sair da revisão, por exemplo, e para as crianças se entreterem.

IMAGE

Por enquanto, sete receberam o conceito, batizado de Volvo Retail Experience e até 2018 estima-se que todas as lojas adotem o formato - a marca espera terminar o ano de 2016 com 30 lojas. Todo o mobiliário vem importado da Suécia e o investimento sai do bolso do próprio lojista.

 “Com essa nova unidade da Volvo Cars, criamos um ambiente que permite ao consumidor mais do que ter contato, experimentar os valores suecos ligados aos nossos produtos, sempre com a sensação de estar na sua sala de estar enquanto compra um carro ou aguarda algum serviço”, afirma João Oliveira, diretor comercial da Volvo Cars. 

IMAGE


 

 

 



 

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors