Veja como a eletrônica pode ajudar a salvar vidas

Conheça as principais tecnologias de assistência à condução disponíveis nos carros, rumo à condução autônoma

  1. Home
  2. Tecnologia
  3. Veja como a eletrônica pode ajudar a salvar vidas
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Hoje em dia, as tecnologias de segurança presentes nos automóveis, especialmente os mais caros e sofisticados, vão muito além dos freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem, bem como o airbag frontal duplo, itens obrigatórios em todos os carros novos comercializados no Brasil. Também vão mais longe que os controles eletrônicos de estabilidade e tração, que terão de equipar todos os veículos de passeio zero-quilômetro vendidos no país a partir de 2022 - e que já são obrigatórios há alguns anos nos Estados Unidos e na Europa.

O motorista pode nem perceber, mas veículos importados, especialmente de marcas "premium", já saem de fábrica com um aparato de câmeras, radares e sensores embutidos na carroceria e gerenciados por computadores que já os aproximam da condução autônoma, que promete se tornar realidade daqui a alguns anos - apesar de, atualmente, serem assistentes de condução, exigindo algum tipo de reação do motorista na maioria das ocasiões.

icon photo
Legenda: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road
Crédito: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road

A alemã Mercedes anualmente tem promovido para a imprensa especializada um evento chamado de Mercedes-Benz Experience, no qual jornalistas e clientes têm a chance de testar na vida real todas essas tecnologias, cujos nomes formam uma verdadeira "sopa de letrinhas" e variam de acordo com o fabricante - isso porque são desenvolvidas por sistemistas como a Bosch, além de outros, e acabam equipando modelos de diferentes marchas, uns antes que outros, por conta de contratos determinado uma espécie de "quarentena" antes que sejam vendidos a concorrentes.

No caso da Mercedes, na edição 2017 do Experience propôs demonstrar como funcionam recursos de segurança e assistência tanto em modelos projetados para rodar no asfalto quanto nos SUVs da marca, que contam com muita eletrônica embarcada para superar alguns desafios off-road - mesmo com pneus esportivos de perfil baixo, que não são os adequados para rodar na terra e nos buracos de vias sem pavimentação.

icon photo
Legenda: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road
Crédito: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road

Especialmente os recursos de segurança ativa dos carros da Mercedes-Benz contam com um radar traseiro multiuso, que pode operar a distâncias de 30 metros e 80 metros e com ângulos de 80 e 16 graus, respectivamente, e outro dianteiro para distâncias maiores, podendo captar obstáculos a até 200 metros ou 60 metros de distância, com ângulos respectivos de 18 e 60 graus. Esses radares são combinados com outros equipamentos, como sensores ultrassônicos de até 4,5 m de alcance, uma câmera infravermelha (capaz de "enxergar" no escuro) com alcance máximo de 160 metros e uma câmera que percebe objetos a até meio quilômetro de distância e, a até 50 metros, consegue identificar seres vivos e objetos em 3D.

Juntos, esses sensores e câmeras, juntamente com acelerômetros, inclinômetros e outros, permitem ao veículo uma série de recursos de assistência e proteção, que serão explicados abaixo.

NO ASFALTO

Luzes de freio adaptativas

icon photo
Legenda: Mercedes-Benz Experience 2017
Crédito: Mercedes-Benz Experience 2017

Ativa as luzes de freio de forma intermitente e as luzes de emergência em frenagens bruscas a velocidades inferiores a 70 km/h.

Priming

Ao tirar rapidamente o pé do pedal do acelerador, aproxima as pastilhas de freio do respectivo disco para antecipar a frenagem em 0,1 segundo - o que parece pouco, mas representa parar cerca de 3,3 m antes a uma velocidade de 120 km/h.

Pre-Safe

icon photo
Legenda: Mercedes-Benz Experience 2018
Crédito: Mercedes-Benz Experience 2018

Ao perceber o risco de colisão, o carro aciona os pré-tensores dos cintos de segurança, ajusta o banco do passageiro dianteiro, os apoios laterais infláveis dos bancos (quando disponíveis) e fecha automaticamente o teto solar. Além disso, conta com o Pre-Safe Sound, que, ao detectar risco de acidente, aciona uma espécie de chiado nos alto-falantes por até três segundos para ajustar ou ouvidos ao estresse de uma eventual batida. A Mercedes chama isso de "ruído rosa".

Controles de tração e estabilidade

icon photo
Legenda: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road
Crédito: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road

Chamados pela Mercedes de ESP, fazem intervenções pontuais no acelerador e nos freios, produzindo uma força contrária para estabilizar o veículo. O ESP pode agregar outras funções, como assistente de partida em rampa e recursos como frenagem automática de emergência. Confira abaixo.

Assistente ativo de frenagem com detecção de pedestres

icon photo
Legenda: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road
Crédito: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road

Parte do pacote Intelligent Drive, hoje presente exclusivamente no sedã Classe E e que em breve será introduzida no novo Classe S, prestes a ser lançado no Brasil, detecta com o radar e a câmera frontal pedestres em movimento a velocidades de até 70 km/h e até 72 km/h se estes estiverem parados. A Mercedes informa que, a até 50 km/h, o sistema é capaz de parar completamente, evitando o atropelamento. Antes da frenagem automática ser ativada, o motorista recebe alertas sonoro e visual e, se não reagir, o carro começa a brecar sozinho.

Assistente ativo de frenagem com manobra de evasão emergencial

icon photo
Legenda: Mercedes-Benz Experience 2018
Crédito: Mercedes-Benz Experience 2018

Outra exclusividade do Classe E no pacote Intelligent Drive. Além de avisar o motorista em caso de colisão iminente em pedestre, ajuda a executar a manobra de desvio, movimentando levemente o volante para o lado esquerdo, ajudando a estabilizar o carro - a manobra, no entanto, precisa ser executada pelo próprio motorista. Trata-se de uma "ajuda" para evitar o acidente.

Assistente de distância ativo Distronic

icon photo
Legenda: Mercedes-Benz Experience 2017
Crédito: Mercedes-Benz Experience 2017

Também conhecido como piloto automático adaptativo, opera a velocidades entre zero e 210 km/h e não somente ajusta uma velocidade pré-definida pelo condutor (ajuste possível a partir de 30 km/h), mas ajusta de forma automática a distância do veículo que trafega logo à frente. É capaz, inclusive, de parar completamente o carro em congestionamentos e retomar a aceleração assim que o tráfego à frente é liberado. Está presente no Classe E como parte do Intelligent Drive.

Assistente de direção ativo

icon photo
Legenda: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road
Crédito: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road

Opera como um recurso adicional do assistente de distância ativo e está bem perto da experiência da condução autônoma, embora ainda exija a ação do motorista. Com o auxílio dos radares e das câmeras, intervém suavemente na direção de forma a manter o carro entre as faixas de rodagem e para seguir o veículo à frente - porém, em ângulos mais fechados, é necessário que o condutor complemente a manobra. Consegue perceber não apenas outros veículos ao redor, como também guard-rails e outras estruturas paralelas à via. Está presente no Classe E como parte do Intelligent Drive.

Alerta de ponto cego

icon photo
Legenda: Mercedes-Benz Experience 2017
Crédito: Mercedes-Benz Experience 2017

Esse é mais comum de se ver por aí, disponível inclusive nas versões mais caras de alguns veículos nacionais. Um alerta luminoso nos retrovisores (acompanhado de outro sonoro, caso a seta seja ativada) avisa o motorista da presença de veículos trafegando em pontos cegos a velocidades entre 30 km/h e 200 km/h. No caso do Classe E, hoje o único modelo da Mercedes vendido aqui com esse recurso, como parte do pacote Intelligent Drive, a parafernália usa os freios para evitar uma colisão.

OFF-ROAD

Controle de tração ASR/4 ETS

icon photo
Legenda: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road
Crédito: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road

Exceto pelo Classe G, um SUV "raiz" dotado de caixa de reduzida e bloqueio de diferencial mecânico, para aplicações mais robustas, os utilitários esportivos da Mercedes contam com a ajuda da eletrônica para encarar terrenos sem pavimentação, usando a mesma receita de modelos da inglesa Land Rover. O controle de tração ajuda a controlar o carro na terra ao reduzir o torque do motor, desconsiderando a aceleração excessiva. Já o ETS funciona como um bloqueio de diferencial, freando indivualmente cada roda que esteja suspensa no ar ou patinando, transferindo o torque para as rodas que efetivamente podem tracionar o veículo.

Regulação de velocidade em declive (DSR)

icon photo
Legenda: mercedes-benz experience 2017
Crédito: mercedes-benz experience 2017

Atua nos freios para auxiliar no controle do veículo em descidas íngremes e pode ser ajustado em velocidades de dois a 18 km/h, mexendo na mesma alavanca do piloto automático. Funciona mesmo com o veículo em ponto-morto

Seletor dinâmico

icon photo
Legenda: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road
Crédito: Material Mercedes-Benz Experience 2018 on off-road

Disponível no GLE e no GLS, os SUVs topo de linha da marca alemã, ajusta de uma só vez difrentes parâmetros do carro para diferentes situações de condução, como off-road, esportiva e em terrenos escorregadios, no caso, neve - essa opção não é necessária em países como o Brasil. O seletor ajusta acelerador, câmbio, altura e rigidez da suspensão pneumática, freios ABS e controles de tração e estabilidade de acordo com o modo de condução escolhido. Botões permitem ajustar individualmente a altura e a rigidez da suspensão.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors