Honda HR-V EXL 2019

Honda HR-V ainda é ótima compra entre os SUVs

Modelo mais vendido da marca desde 2015 deve ganhar uma nova geração em 2022, mas ainda tem boa oferta de versões

    • Desempenho
    • Desempenho
    • 17,4/5000 kgfm/rpm
    • Consumo Gasolina
    • Consumo Gasolina
    • Cidade: 7,1 km/litro
      Estrada: 8,5 km/litro
    • Consumo Álcool
    • Consumo Álcool
    • Cidade: N/A
      Estrada: N/A
    • Porta Malas
    • Porta Malas
    • 437 litros
    • Câmbio
    • Câmbio
    • N/A
8.6

Overview

Modelo mais vendido da marca japonesa tem ótima oferta de equipamentos e excelente nível de acabamento interno. Nova geração deve chegar em 2022.


  • + Acabamento
  • + Preço de revenda
  • + Espaço e versatilidade
  • - Motor sem turbo
  • - Tecnologia a bordo
 
  • 4.5 Estrela icone
  • 4.5 de 5 estrelas
  1. Home
  2. Testes
  3. Honda HR-V ainda é ótima compra entre os SUVs
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

O Honda HR-V perdeu espaço no Brasil depois que novos carros foram lançados em sua categoria. Volkswagen T-Cross e até o Nivus são concorrentes que chegaram com força, assim como a nova geração do Chevrolet Tracker, que mudou no começo deste ano e ficou bem melhor.

Mas o SUV da Honda veio para nossa redação para nos mostrar que  ainda é uma ótima compra. Por isso, hoje nós vamos conhecer a versão EX, que custa R$ 106.700 - a segunda em uma escala de um a quatro - e mostrar todos os seus atributos.

Honda HR-V: o fenômeno

Lançado em 2015 no Brasil, o Honda HR-V foi um automóvel que demonstrou força tremenda durante bons anos, e foi por um bom tempo o carro da Honda mais emplacado do país e ainda por cima o SUV que revolucionou seu segmento - que anos antes era comandado por Ford EcoSport e Renault Duster.

Para quem não lembra, o HR-V foi um verdadeiro fenômeno: chegou a ter fila de espera e até a liderar toda a categoria de SUVs no país (o que inclui até modelos médios e grandes). A hegemonia só acabou quando a Jeep lançou o Compass, algum tempo depois, e conseguiu roubar esse título do modelo oriental.

Mas o HR-V hoje está em uma fase diferente. Agora, se encontra no final de ciclo de sua primeira geração, já que um novo HR-V deve surgir por aqui até 2022. Enquanto a nova geração não chega, o modelo atual mantém os bons números de vendas com atributos como o acabamento de excelente qualidade, uma boa lista de equipamentos e a confiabilidade que um carro da Honda oferece.

Mas o que o HR-V consegue oferecer além disso? Com vários títulos de carro com melhor valor de revenda do país, vamos te mostrar hoje que esse carro ainda é ótimo negócio. A versão EX, que recebemos para o teste, fica posicionada somente acima da LX, de entrada; e abaixo das EXL e Touring.

Visual diferenciado

O carro é bonito. Tem o mesmo jeitão desde que foi lançado, mas recebeu retoques visuais em 2018 que deram um aspecto mais sofisticado, principalmente na dianteira, que passou a ter uma barra cromada bem grande.

Na traseira, o desenho segue a filosofia de sofisticação com lanternas em LED e mostra a identidade visual atual dos carros da Honda, mas de um jeito discreto e sem polêmica. Outro destaque é a roda, que tem o mesmo desenho em todas as configurações e 17 polegadas desde a versão EX, exatamente como na variante topo de linha.

Honda HR-V EX 2020
Honda HR-V EX 2020: segunda versão no line-up do SUV compacto custa R$ 106.700 e vem bem equipada
Crédito: Divulgação

Motor e câmbio

Por baixo, as três primeiras versões - LX, EX e EXL – usam o clássico motor 1.8 aspirado de até 139 cv e 17,4 kgf.m de torque. Não é um motor tão novo assim e isso poderia - ou melhor, deveria - ser revisto na próxima atualização de linha, já que a versão mais cara, a Touring, usa o bom 1.5 turbo do Civic, que rende até 173 cv.

Mas esse motor mais velho é compensado pela boa caixa de câmbio automática do tipo CVT que simula sete marchas. Com só 1.270 kg, o HR-V que testamos consegue acelerar de 0 a 100 km/h em 11, 2 segundos e ainda atingir 175 km/h de velocidade máxima.

Isso também significa que rodar com o modelo continua um prazer. Por ser mais altinho, como um legítimo SUV, passa aquela sensação de poder e imponência que muita gente gosta de ter no trânsito.

Outra coisa que é ótima é a posição de dirigir, dividida por um console central bem alto que dá um certo tipo de "independência" ao motorista. Na tradução, isso quer dizer que fica difícil abraçar quem vai no banco do carona, mas essa sensação de poder causada por este posicionamento é algo que você dificilmente encontra em outro carro da categoria.

Também precisamos elogiar a suspensão, exatamente a mesma utilizada pelo WR-V. Extremamente bem calibrada, não é dura demais como em alguns carros alemães e nem molenga em excesso como as de modelos norte-americanos. Nesse ponto, é bem japonesa e isso é ótimo.

Consumo e desempenho

Mesmo com esse requinte mecânico, o HR-V não é esportivo. É aquele típico carro suficiente. Não tem pegada agressiva como alguns modelos da categoria que usam motor turbo – como sua própria versão Touring –, mas não é manco a ponto de te deixar na mão durante uma necessidade do trânsito, como uma ultrapassagem ou mesmo retomadas de velocidade na estrada.

Outra coisa relacionada a esse comportamento é o consumo: quanto mais leve for o seu pé, melhor será o apontamento  no computador de bordo – que inclusive tem uma espécie de econômetro no quadro de instrumentos: um indicador dividido por cores no contorno do velocímetro, que pode ficar verde, amarelo, laranja ou vermelho.

Segundo o programa de etiquetagem do Inmetro, o HR-V consegue fazer 7,7 km/l na cidade e 8,6 km/l na estrada com etanol; e 11 km/l e 12,3 km/l, respectivamente, com gasolina. Já de acordo com nossos registros, ao rodar predominantemente em percurso urbano, sempre com o ar-condicionado ligado, duas pessoas a bordo e com etanol no tanque, alcançamos a média de 8,2 km/litro.

Honda HR-V EX 2020
Lanternas (na traseira) são em LED na versão EX, assim como em todas as outras; na frente, LED só na luz de DRL
Crédito: Divulgação

Bem equipado

Na versão EX, testada,  o HR-V vem bem completo. Essa configuração não tem opcionais e traz de série os equipamentos de segurança obrigatórios que um carro nesse valor precisa ter, como freios ABS, quatro airbags, controle de tração e estabilidade e Isofix para as cadeirinhas de crianças, além do assistente de partida em rampa e de sensor de estacionamento traseiro com câmera de ré.

Na parte de conveniência, vem com ar-condicionado com função automática e tela tátil; central multimídia de sete polegadas com espelhamento do celular por AndroidAuto ou Carplay; vidros e travas elétricas; direção com assistência; ajuste de altura dos cincos, do banco e do volante, que também tem regulagem de profundidade; botões para abertura do porta-malas e da portinha do combustível; e até borboleta para trocas de marcha atrás do volante.

Além disso, os bancos traseiros são versáteis, como no Fit e no WR-V (chamados de Magic Seats), e conseguem ser rebatidos para frente e para trás. Por fim, vale destacar o sistema de freio de estacionamento por botão - é um dos poucos carros da categoria que oferece esse equipamento.

No tamanho, são 4,33 m de comprimento e 2,61 m de entre-eixos, números que significam boa área para cabeça e pernas de quatro adultos sem sacrificar o espaço para bagagem - o HR-V tem 437 litros de capacidade no porta-malas, valor maior que de muitos concorrentes.

Acabamento: seu grande diferencial

Deixamos para o final do teste um tópico essencial sobre o HR-V: seu acabamento interno. Dentro dele, você dificilmente encontra plástico duro, já que a maioria das partes mais firmes tem material emborrachado e os painéis de portas, em vez de tecido, vêm com revestimento de couro sintético extremamente bem acabado.

E pode acreditar que isso influencia demais na decisão de compra de um cliente que pretende pagar quase R$ 110 mil em um carro.

Não acredita? Então compare o tecido de um Hyundai Creta 1.6, de um Volkswagen T-Cross Comfortline ou mesmo de um Jeep Renegade Sport e note que você não vai encontrar o nível de qualidade do HR-V - nem mesmo nas versões mais caras destes modelos citados, que passam dos R$ 120 mil. O único pênalti do carro da Honda é não ter banco de couro.

Conclusão

Como a gente disse no começo, o HR-V é um dos melhores carros da categoria desde que foi lançado, mas a idade e algumas tecnologias que novos concorrentes têm mostrado já começam a incomodar o carro da Honda.

Mesmo assim, o HR-V é um dos best-sellers no segmento em termos de revenda, continua com ótima oferta de equipamentos desde as versões mais básicas, como essa testada pelo WM1, e tem um dos melhores níveis de acabamento da categoria. Não é para qualquer um.

Ancora: Conclusão Score

Ficha Técnica

HONDA - HR-V - 2018
1.8 16V FLEX EX 4P AUTOMÁTICO
R$ 97100

Motor / Desempenho / Consumo +

  • Cilindrada cm³
  • 1799
  • Disposição dos cilindros
  • Linha
  • Número de cilindros
  • 4
  • Taxa de compressão
  • 10,6:1
  • Número de válvulas por cilindro
  • 4
  • Número de válvulas (comercial)
  • 16V
  • Comando de Válvulas
  • SOHC
  • Comando de válvulas variável
  • Sim
  • Combustível (comercial)
  • FlexOne
  • Combustível secundário
  • Gasolina
  • Alimentação
  • Aspirado
  • Nomenclatura do motor (comercial)
  • i-VTEC
  • Potência (cv/rpm)
  • 139/6500
  • Torque (kgfm/rpm)
  • 17,4/5000
  • Potência secundária (cv/rpm)
  • 140/6300
  • Torque secundário (kgfm/rpm)
  • 17,3/4800
  • Velocidade máxima (km/hora)
  • 175
  • Aceleração 0-100 km/h (segundos)
  • 11,2
  • Consumo cidade (km/litro) - Combustível 1
  • 7,1
  • Consumo estrada (km/litro) - Combustível 1
  • 8,5
  • Consumo cidade (km/litro) - Combustível 2
  • 10,5
  • Consumo estrada (km/litro) - Combustível 2
  • 12,1
  • Fonte consumo
  • INMETRO

Transmissão +

  • Transmissão
  • CVT
  • Nomenclatura da transmissão (comercial)
  • CVT
  • Localização do câmbio
  • Assoalho
  • Modo manual (p/ AT)
  • Sim
  • Tração
  • Dianteira

Freios / Suspensão / Direção +

  • Freios dianteiros
  • Disco ventilado
  • Freios traseiros
  • Disco sólido
  • Freio de estacionamento
  • Eletrônico
  • Suspensão - Dianteira
  • McPherson
  • Suspensão - Molas dianteiras
  • Helicoidal
  • Suspensão - Traseira
  • Eixo de torção
  • Suspensão - Molas traseiras
  • Helicoidal
  • Direção - Assistência
  • Elétrica
  • Direção - Ajustes
  • Altura e profundidade

Dimensões e Capacidades +

  • Comprimento (mm)
  • 4294
  • Largura (mm)
  • 1772
  • Altura (mm)
  • 1586
  • Entre-eixos (mm)
  • 2610
  • Altura em relação ao solo (mm)
  • 177
  • Diâmetro de giro (mm)
  • 10600
  • Capacidade tanque de combustível (litros)
  • 51
  • Capacidade do porta-malas (litros)
  • 437
  • Peso líquido em ordem de marcha (kg)
  • 1270

Tecnologia / Conectividade +

  • Sistema de áudio - Tipo
  • Multifunções
  • USB
  • Sim
  • Bluetooth
  • Conexão com celular
  • Tela de entretenimento - Tamanho da tela (pol.)
  • 5
  • Tela de entretenimento - Sensível ao toque
  • Sim
  • Controle de áudio
  • No volante
  • Alto-falantes - Quantidade
  • 4
  • Alto-falantes - Tweeters
  • 2

Rodas e Pneus +

  • Tipo de roda - Tipo de roda
  • Liga leve
  • Tipo de roda - Design/cor
  • Dois tons
  • Dianteira - Aro (pol.)
  • 17
  • Dianteira - Pneus (largura/perfil/aro)
  • 215/55
  • Traseira - Aro (pol.)
  • 17
  • Traseira - Pneus (largura/perfil)
  • 215/55
  • Estepe
  • Space saver

Garantia +

  • Garantia total do veículo - Duração (meses)
  • 36
  • Garantia de motor e transmissão - Duração (meses)
  • 36
  • No Bolso8.8
  • Tecnologia7.6
  • Vida a bordo9.2
  • Desempenho8.2
  • Opinião do repórter9.1
  • + Acabamento
  • + Preço de revenda
  • + Espaço e versatilidade
  • - Motor sem turbo
  • - Tecnologia a bordo
 
8.6

Compartilhar
0
Comentários