Honda WR-V x Renault Duster

Honda WR-V x Renault Duster: duelo topo de linha

As duas versões mais completas dos 2 carros têm praticamente o mesmo preço. Veja qual é mais compatível com sua garagem


  1. Home
  2. Comparativos
  3. Honda WR-V x Renault Duster: duelo topo de linha
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Hoje trouxemos para você uma dúvida que muita gente com R$ 100 mil para comprar um carro pode ter: levar para casa o Honda WR-V EXL 2021, que ficou mais seguro, ou assinar o cheque da nova geração do Duster, que mudou no começo do ano e ficou mais equipado e refinado? Vem comigo para descobrir quem leva este duelo: Honda WR-V x Renault Duster.

Como em todos os comparativos que escrevo aqui para o WM1, vamos elencar quesitos e pontuar os adversários, para que assim o duelo possa ter um placar final e não ser injusto com qualquer um dos competidores – mesmo que em algumas das comparações a dupla possa pontuar igual se o que entregarem for parecido.

Nesse embate entre WR-V e Duster, serão dez subcomparações: preço, design, conjunto mecânico, prazer ao dirigir, consumo de combustível, lista de equipamentos, acabamento, itens de segurança, espaço interno e porta-malas.

Honda WR-V x Renault Duster
Honda WR-V x Renault Duster: por R$ 100 mil, qual seria sua escolha?
Crédito: André Deliberato/WM1

Honda WR-V x Renault Duster

1. Preço

Temos em mãos as versões topo de linha dos dois carros: o WR-V EXL, que custa R$ 96.200; e o Renault Duster Iconic, que pede R$ 99.290 pela etiqueta. Os dois já estão com valores maiores do que quando foram lançados devido à oscilação do dólar. Só que precisamos pontuar. Pela diferença, o carro da Honda sai na frente por custar praticamente R$ 3 mil a menos. Portanto WR-V 1x0 Duster.

2. Design

Aqui no WM1 sempre defendemos que desenho seja algo subjetivo e do gosto de cada um, por isso nos testes individuais evitamos falar sobre – na prática a gente só aponta quais são as mudanças, mas sem emitir opinião.

Só que, nesse duelo, a categoria design entra na disputa e por isso o ponto vai para o Duster, que tem desenho mais harmônico e bem resolvido, não tanto na dianteira, mas principalmente na traseira.

Outra coisa: quando visto de longe, o carro da Renault é mais alto e imponente que o da Honda, até por ser um utilitário e não um crossover com suspensão elevada. E isso faz a diferença para muita gente que procura carro nessa faixa de preços. Desse modo, o Duster empata a partida: 1x1.

3. Conjunto mecânico

Temos duas propostas muito parecidas: o Honda vem com motor 1.5 FlexOne de 16V com até 116 cv e 15,3 kgf.m de torque. Seu câmbio é automático do tipo CVT, sem simulação de marchas. Com esse conjunto, acelera de 0 a 100 km/h em 12,3 segundos e chega a 168 km/h de velocidade máxima.

Já o carro da Renault é equipado com motor 1.6 de até 120 cv e 16,2 kgf.m de torque, também com transmissão continuamente variável, mas com emulação de seis marchas. Acelera de 0 a 100 km/h em 12,4 segundos, praticamente o mesmo tempo, mas consegue chegar a 173 km/h de velocidade final. Por números extremamente parecidos, vamos dar um ponto para cada um.

Honda WR-V 2x2 Renault Duster.

4. Prazer ao dirigir

Hora de guiar a dupla. O carro da Honda, que mudou mais recentemente, agora tem equipamentos de segurança que faltavam: os controles eletrônicos de tração e estabilidade. Na prática e ao rodar, pouca coisa muda do que já conhecíamos: é um crossover com ótima suspensão, mas que mostra ter mais desenvoltura para rodar na cidade do que na estrada.

Aliás, no WR-V temos a forte sensação de estar em um Fit mais altinho, o que não é ruim – para quem conhece e gosta do clássico carro da Honda, isso é ótimo.

Agora vamos para o Duster. A sensação de imponência que falamos em relação ao design criada pelo tamanho do carro, é reforçada quando começamos a dirigir: estar em um carro maior, pelo menos para clientes dessa categoria, é uma coisa que faz a diferença.

Além disso, por ser de uma geração projetada mais recentemente, o Duster tem uma pegada mais direta ao volante, sem contar que a calibração do câmbio é melhor acertada - ainda que a dupla tenha desempenho próximo. Mesmo assim, por conta desses detalhes, o SUV leva o ponto. Placar: 3x2 para o carro da Renault.

5. Consumo

Vamos comparar o consumo dos carros segundo os dados do programa de etiquetagem do Inmetro, que faz a medição dos modelos vendidos no Brasil sempre nas mesmas condições de uso, pista e até temperatura.

De acordo com os números anunciados, o WR-V faz 8,1 km/l na cidade e 8,8 km/l na estrada com etanol e 11,7 km/l e 12,4 km/l, respectivamente, com gasolina. Já o Duster consegue fazer 7,2 km/l e 7,8 km/l com etanol e 10,7 km/l e 11,1 km/l com gasolina nas mesmas condições.

Isso quer dizer que o WR-V é menos beberrão, ainda que os dois não sejam tão econômicos assim. Por causa disso, o carro da Honda empata mais uma vez o duelo: 3x3.

6. Equipamentos

Esse quesito é um dos mais difíceis de ser comparado porque na maioria das vezes um carro tem coisas que o outro não tem e vice-versa. Por isso decidimos fazer assim: dizer tudo que eles trazem no catálogo e depois listar os diferenciais – para, aí sim, ver qual deles se destaca.

Honda WR-V EXL e Renault Duster Iconic têm, juntos e por igual, itens como ar-condicionado com display digital (no Honda é touch); direção com assistência elétrica, vidros e travas elétricas, alarme; chave com comandos; equipamentos de segurança como freios com ABS, airbag duplo e os controles eletrônicos de tração e estabilidade e sistema Isofix pra fixar cadeirinha de criança, além de uma série de outros itens de conveniência que um carro de R$ 100 mil precisa oferecer.

Os diferencias do WR-V são os bancos de couro de série, que no Duster são opcionais; a versatilidade dos assentos traseiros (os Magic Seats); quatro airbags a mais (são seis no Honda e dois no Renault); sistema de navegação por GPS integrado; roteador de wi-fi e os faróis full-LED.

Nível de equipamentos oferecidos por Honda WR-V e Renault Duster é bastante nivelado
Crédito: Ricardo Rollo/WM1

O Duster realmente não tem os faróis de última geração, mas responde com o sistema de câmeras em tempo real para os quatro lados do carro (360º); alerta de ponto cego; chave presencial e sistema start-stop, que desliga e liga o motor para economizar combustível.

São nivelados, mas quem desempata esse quesito é a central multimídia, que no Duster é melhor. E, pode acreditar: isso faz diferença na hora da compra. Por ligeira vantagem, o SUV fica com o ponto.

No placar, 4x3 para o carro da Renault.

7. Acabamento

Outra coisa que faz diferença na hora de assinar o cheque de um carro de R$ 100 mil é a qualidade dos materiais internos. O WR-V melhorou bastante depois da última atualização: trocou uma alma mais jipeira por um aspecto mais sofisticado, com bastante preto brilhante e peças de alumínio escovado. Mas no fundo, ele é um Fit, um carro que é bem acertado internamente, mas é simples.

Já o Duster mudou da água para o vinho – e nisso falamos até na acústica interna. O acabamento melhorou demais depois da troca de geração e embora ainda mantenha plástico duro em algumas partes na cabine, a sensação de refinamento é maior que a do carro da Honda. Por isso, mais um ponto para o carro da Renault. O placar sobe para 5x3.

8. Segurança

Outro quesito bem complicado de comparar porque ambos são equipados com os equipamentos de segurança obrigatórios no Brasil e porque o WR-V nunca foi testado pelo Latin NCAP, entidade que faz crash test em modelos nacionais e que deu quatro estrelas para adultos e três para crianças para o novo Duster.

Por isso, decidimos fazer assim: colocar no papel o que cada um deles oferece quando o assunto é segurança e empatar a categoria, para não fazer injustiça. O WR-V vem com seis airbags, seu maior diferencial; o Duster vem com dois, mas tem alerta de ponto cego e assistente de farol alto, além da câmera 360º. Duas excelentes ofertas. Um ponto para cada um. Placar: WR-V 4x6 Duster.

9. Espaço interno

Hora de falar do espaço interno. Vamos começar com o WR-V, que assim como o Fit, é um carro bem espaçoso e confortável, tanto para quem vai na frente como para dois adultos que possam ir atrás. Com 4 m de comprimento e 2,56 m de entre-eixos, a boa área para os ocupantes na traseira sacrifica o tamanho do porta-malas, mas esse é um assunto para o próximo quesito.

O Duster por sua vez é um carro extremamente espaçoso, desde que foi criado. Muita gente, aliás, coloca o carro da Renault como primeira opção justamente pelo "tamanhão' dele. São 4,38 m de comprimento, quase 40 cm a mais que o WR-V, e 2,67 m de entre-eixos. Isso, obviamente, se traduz em melhor espaço para os ocupantes sem que o bagageiro precise ser sacrificado.

Mais um ponto para o Renault. Honda WR-V 4x7 Renault Duster.

10. Porta-malas

Você já sabe que o carro da Renault vai levar a disputa, mas ainda precisamos falar sobre o espaço para a bagagem. Nesse quesito, como esperado, mais uma vitória do Duster, que tem porta-malas com 475 litros de capacidade, contra apenas 363 litros do carro da Honda. Se você apostou no SUV lá no começo do texto, pode pedir seu prêmio: a vitória é dele, por 8x4.

Conclusão

Vamos encerrar o comparativo com uma ponderação. O Duster é o vencedor dessa disputa por ser maior, ter mais porta-malas e por ser mais refinado na cabine, mas WR-V não fica tão atrás, apesar do placar final - até porque a elasticidade do placar desse duelo só cresceu no final, quando falamos sobre o espaço interno.

Depois que recebeu os equipamentos que não tinha, o WR-V se equiparou bastante aos concorrentes e só perdeu essa disputa por não ser literalmente um utilitário, que foi o que fez a diferença para o carro da Renault. Isso não significa que ele seja uma compra ruim, sacou?

Comentários