Relembre cinco bons carros injustiçados no Brasil

Lista do WM1 mostra exemplos de automóveis que eram ótimas compras, mas não emplacaram tanto como poderiam por aqui

  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Relembre cinco bons carros injustiçados no Brasil
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Acontece (e é muito comum) de bons carros não venderem como poderiam aqui no Brasil. Acredite, é extremamente normal ver um excelente automóvel não emplacar no mercado como sua marca esperava, mesmo que suas características sejam do gosto do consumidor brasileiro.

Essa falta de fôlego nas vendas tem os mais variados motivos: poucas concessionárias; falta de habilidade de determinada montadora nas vendas para aquela específica categoria ou até estoque insuficiente para atender a demanda. Abaixo, vamos elencar cinco exemplos de carros muito bons, mas não venderam como sua fabricante esperava.

Os carros injustiçados no Brasil

1. Peugeot 2008

O crossover da marca francesa abre nossa lista por ser um dos carros mais injustiçados de sua categoria. Mistura de perua e SUV, ele vende muito pouco (3.506 de janeiro a setembro, média de 390 carros por mês, contra 41.989 unidades do T-Cross, o SUV compacto mais vendido do segmento), mas diverte bastante quem o dirige, principalmente nas versões com o motor 1.6 THP (turbo) de até 173 cv.

Outra coisa: o Peugeot 2008 deve mudar em 2021 e ganhar uma nova geração baseada na plataforma modular que também fabrica o novo 208, que vem importado da Argentina. Com a atualização, o crossover deve ficar maior, mais moderno e, consequentemente... mais caro - e o preço talvez seja o maior impeditivo de seu sucesso no Brasil.

Peugeot 2008 Griffe
icon photo
Legenda: Peugeot 2008 atualmente tem preços que encostam nos R$ 100 mil. Vende pouco, mas é bem legal de guiar
Crédito: Marcos Camargo/WM1

2. Volkswagen up!

Outro que é um muito bom de guiar, principalmente quando equipado com o motor 1.0 TSI. O Volkswagen up! chegou ao Brasil em 2014 para ser o modelo de entrada da Volks, mas a marca esqueceu de considerar que o Gol era seu carro-chefe nessa categoria. Com o passar dos anos, o subcompacto acabou posicionado como carro de nicho - completinho, mas caro.

O valor (custa a partir de R$ 53 mil e encosta nos R$ 63 mil com todos os opcionais) foi seu maior vilão no mercado, já que rivais diretos e pequenos como Fiat Mobi e Renault Kwid cobram muito menos para oferecer o mesmo nível de conteúdo - embora sejam menos seguros e não tão divertidos quanto ele. Uma pena, é um belíssimo carro. No ano, foram apenas 6.507 unidades emplacadas, contra 34.191 do Kwid, o líder entre os pequeninos, e 30.286 do Mobi.

Volkswagen Up
icon photo
Legenda: Volkswagen up! só é encontrado em versões TSI nas lojas - as MPI sumiram recentemente
Crédito: Divulgação

3. Citroën C4 Lounge

Sedã médio, bom espaço interno, porta-malas generoso, desempenho até que divertido e consumo de combustível excelente. Esta poderia ser a descrição dos três-volumes mais vendidos do mercado, como Toyota Corolla, Honda Civic, Chevrolet Cruze e até Volkswagen Jetta, mas é, na verdade, a apresentação do Citroën C4 Lounge, excelente opção da categoria que vendeu só 272 unidades no acumulado do ano.

O C4 Lounge, que tem a média de ínfima de 30 carros licenciados por mês em 2020, é um ótimo carro. Vem com motor 1.6 THP (turbo) de até 173 cv e 24,5 kgf.m de torque, câmbio automático de seis marchas e 0 a 100 km/h catalogado em 9,1 segundos. Hoje, custa R$ 103.990 na versão única "Shine".

Citroën C4 Lounge
icon photo
Legenda: C4 Lounge passou por um facelift em 2018 e desde então não teve atualizações
Crédito: Divulgação

4. Chevrolet Sonic

Outro bom carrinho que chegou, vendeu pouco e morreu rápido - e que em um breve futuro poderia entrar para nossa lista de carros que foram vendidos por aqui, mas ninguém lembra. O Chevrolet Sonic foi lançado no Brasil em 2012, mas suas vendas duraram só até 2014, quando a marca decidiu tirá-lo de linha pelo baixo número de emplacamentos - e devido ao sucesso do Onix.

Mesmo sem empolgar, o carro era divertido, principalmente em sua configuração hatch. Com visual invocado, motor 1.6 de 120 cv e 16,3 kgf.m de torque e câmbio manual de cinco marchas, era firme em curvas e trazia cores especiais em seu catálogo que fugiam do lugar comum - como o belo tom azul mostrado durante seu lançamento.

Chevrolet Sonic 2013
icon photo
Legenda: Chevrolet Sonic chegou ao Brasil em 2012, durou até 2014 e saiu de linha por vender pouco. Mas era legal
Crédito: Divulgação

5. Fiat Bravo

O último elemento de nossa lista de carros divertidos que não venderam como podiam tem o Fiat Bravo, o hatch do Linea que pouco vingou por aqui por ter sob sua saia outros dois hatches que emplacavam bem, como Palio e Punto. Por conta disso, o Bravo meio que virou carro de nicho, competidor de Volkswagen Golf, Chevrolet Vectra GT e cia, embora não tivesse pompa para isso.

Mas era legal, hein? A versão T-Jet, aliás, era um demônio. Fazia curva que era uma beleza - e ainda oferecia um overboost da pressão do turbo para o carro entregar ainda mais desempenho. O motor era um 1.4 turbo de 152 cv e 21,2 kgf.m de torque, comandado por um câmbio manual de seis marchas. Com suspensão e freios mais firmes e preparados para a pegada mais nervosa... Ele deixou saudades.

icon photo
Legenda: Fiat Bravo deixou de ser vendido em 2016. Em toda sua trajetória no país, suas vendas nunca decolaram
Crédito: Divulgação
Comentários