Confira como e quando fazer o rodízio dos pneus

Prática ajuda a compensar o desgaste irregular dos pneus, mas não corrige problemas como desalinhamento. Saiba tudo

  1. Home
  2. Bolso
  3. Confira como e quando fazer o rodízio dos pneus
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

O rodízio, que é a troca da posição dos pneus do veículo em determinados intervalos de quilometragem, é uma prática importante para proporcionar o desgaste regular do conjunto. A prática, de acordo com a Anip (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos), também ajuda a identificar e compensar desgastes irregulares causados pelo desalinhamento das rodas, elevando a vida útil e a eficiência do componente.

SAIBA MAIS

Como a maioria dos automóveis comercializados no país tem tração dianteira, os pneus da frente também sofrem um arrasto maior e, consequentemente, desgastam-se mais rapidamente. O rodízio serve também para prevenir isso. Desde que você siga sempre as orientações que constam no manual do veículo - algumas montadoras não recomendam a prática, portanto, fique atento e confira caso a caso.

Na hipótese de o manual não informar a periodicidade recomendada para o rodízio, a Anip orienta a fazê-lo a cada 10.000 km rodados, caso os pneus sejam radiais - como acontece na vasta maioria dos modelos atualmente comercializados no país e no mundo. O ideal também é realizar o procedimento quando ainda não há sinal evidente de desgaste irregular entre os eixos.

Veja como fazer:

Veículos com tração dianteira

Rodízio de pneus Dpaschoal
Rodízio de pneus para veículos com tração nas rodas da frente
Crédito: Divulgação

Em veículos com esse tipo de tração, a Anip orienta a passar os pneus traseiros para a dianteira e vice-versa, cruzando as unidades que estavam na frente ao passá-las ao eixo de trás. Com um detalhe: pneus assimétricos devem manter o lado externo voltado à parte de fora da roda, enquanto os compostos unidirecionais, que rodam em sentido único, devem ser movimentados no mesmo lado do veículo. Ao incluir o estepe no rodízio, a Continental recomenda colocá-lo na roda dianteira direita, guardando como estepe o pneu que estava nessa posição.

Veículos com tração traseira

Nesse caso, a Continental recomenda trocar os pneus traseiros para a frente em linha reta, com os dianteiros colocados atrás de forma cruzada. O procedimento com o estepe é o mesmo descrito para automóveis com tração nas rodas dianteiras.

Veículos com tração 4x4

Rodízio de pneus Dpaschoal
Rodízio de pneus em veículos com tração nas quatro rodas
Crédito: Divulgação

Em veículos com tração nas quatro rodas, o padrão é fazer o rodízio em forma de "X": o pneu dianteiro esquerdo vai para a posição traseira direita, e por aí vai. No entanto, a Continental salienta que, especialmente no caso de utilitários, esportivos e modelos de luxo com tração integral, o proprietário verifique antes as orientações presentes no manual do veículo. O rodízio em "X", porém, não deve ser realizado em modelos 4x4 com pneus unidirecionais - nesse caso, a troca é tradicional: pneu dianteiro direito vai para a posição traseira direita.

Veículos com pneus de medidas diferentes em cada eixo

Nessa circustância, a troca é feita entre pneus do mesmo eixo, ou seja: o componente do lado direito traseiro vai para o lado esquerdo, mantendo o eixo original.

Além do rodízio

A Continental também destaca que o rodízio é uma medida preventiva e não corretiva - caso o desgaste já seja acentuado, o ideal é trocar as unidades antigas por novas. A Anip destaca, por sua vez, que é preciso verificar o alinhamento e o balanceamento das rodas antes de fazer o rodízio. Outra dica é verificar a calibragem correta dos pneus a cada semana, a fim de evitar desgaste prematuro dos ombros (bordas) por conta de baixa pressão.

Comentários