Nova Strada evolui muito além do visual

Veja como anda a segunda geração da picape compacta da Fiat, que recebe itens de segurança e nova motorização

  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Nova Strada evolui muito além do visual
Renan Rodrigues
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A Fiat Strada finalmente ganhou nova geração. Presente no mercado desde 1998, a picape compacta já havia passado por grandes mudanças, mas nunca uma tão profunda quanto agora. Os preços, como mostramos mais cedo, variam entre R$ 63.590 e chegam a R$ 79.990. Agora é hora de ver como anda e o que esperar da picape compacta

Desenho "bovino"

O visual da nova Strada é claramente inspirado na Toro. Isso fica mais claro na versão topo de linha Volcano, graças as faróis de LED. Nas configurações mais simples, os faróis convencionais dão à dianteira um ar de Mobi. A traseira é basicamente da Toro, mas com tampa que abre verticalmente.

O interior é o que promete causar mais polêmica. Ele é claramente inspirado na dupla Mobi e Uno. Porém, há de se lembrar que a Strada é essencialmente um carro de trabalho. Ou seja: precisa ser prática e isso, sem dúvidas, é. Houve acréscimo do número de porta-objetos, o que facilita a convivência a bordo.

Inovações

A nova Strada é o primeiro veículo nacional a contar com Android Auto e Apple CarPlay com conexão sem cabos. A central multimídia, completamente nova, deverá chegar em breve aos demais veículos da marca. Na picape, a tela tem 7 polegadas e é de série na Volcano, enquanto as demais a recebem como opcional.

Além disso, ela é a primeira picape compacta a ter cabine dupla com quatro portas  isso se considerarmos que a Renault Duster Oroch está em uma categoria acima, apesar de concorrer em preços. A própria Strada contava já tinha opção de cabine dupla, assim como a Volkswagen Saveiro. Porém, com, no máximo, três portas.

Mas melhorou?

Colocar as duas gerações da Strada uma ao lado da outra é como colocar um celular dos anos 1990 com um smartphone atual, mesmo que não seja um topo de linha. Esse é o nível de comparação necessária entre as picapes. É um carro completamente novo.

A começar pelo motor, pois só dirigimos a configuração topo de linha. O motor 1.3 deu um fôlego impressionante para a Strada e garante força em qualquer situação.

O pouco acréscimo de peso também contribui para esse desempenho. A velha pesa 1.151 kg na versão com cabine dupla, enquanto a nova Strada pesa 1.174 kg na cabine dupla, apenas 23 kg de diferença e potência consideravelmente maior.

Outro aspecto que melhorou foi o câmbio, com engates mais precisos - mas ainda não está no mesmo patamar dos utilizados nos Volkswagen. Infelizmente dirigimos a nova Strada em pista fechada e não foi possível analisar se há necessidade de uma sexta marcha, por exemplo.

No Argo, onde esse conjunto é aplicado, uma sexta como overdrive auxiliaria ainda mais no consumo de combustível. O que também deve valer para a picape.

E o conforto?

 Caçamba vazia faz a Strada pular um pouco além do desejável
Legenda: Caçamba vazia faz a Strada pular um pouco além do desejável
Crédito: Renan Rodrigues/WM1

O acabamento ainda é simples em termos de materiais, mas a montagem está muito melhor. Não há rebarbas, frestas ou desalinhamento nas peças. A Volcano, que deve chegar na casa dos R$ 85 mil, só merecia um pouco mais de requinte.

O painel, de maneira geral, lembra bastante o da dupla Mobi e Uno, o que pode ser um incômodo para algumas pessoas. Mas vale ressaltar que o posicionamento da Strada é de carro para trabalho, o que justifica a simplicidade. No entanto, a central multimídia é um ótimo destaque, rápida e intuitiva, além de personalizável.

Já o conjunto de suspensão segue macio, o que faz a picape pular em buracos e imperfeições. Essa sensação certamente será eliminada com peso na caçamba - ao menos é o que acontece na atual.

Tradições

Apesar das inovações, algumas tradições foram mantidas nessa nova geração da picape compacta. A primeira delas é a manutenção da Hard Working, focada em frotistas e em quem não está muito preocupado com as novidades - pensando apenas em custo-benefício na hora de trabalhar.

Além da antiga, ficou a suspensão traseira feita de molas semielípticas, o popular feixo de molas. Essa robusta suspensão garantiu a fama de trabalhadeira da Strada. A capacidade de carga é de 650 kg.

 Porte da nova Strada é basicamente o mesmo da geração antiga
Legenda: Porte da nova Strada é basicamente o mesmo da geração antiga
Crédito: Renan Rodrigues/WM1

Quem estiver pensando em capacidade de carga deverá optar pela cabine simples, já que a diferença na caçamba é considerável. São 720 kg de carga útil e 1.354 litros na CS, contra 844 l na CD ou 2.06 m² contra 1.31 m².

São 53,9 cm de diferença (171,7 cm contra 117,8 cm). A largura máxima também muda: 136,3 cm contra 131 cm na cabine dupla. O vão entre as rodas e a altura são as mesmas: 105,9 cm e 60,6 cm.

No geral, a Strada saiu dos 4,43 metros da geração atual para 4,48 m, enquanto o entre-eixos aumentou dos 2,71 m para 2,73 m. A largura cresceu consideravelmente: de 1,66 m para 1,73 m. Já a altura foi reduzida em dois centímetros em relação aos 1,59 m anteriores.

Mais segura

A Strada chega com uma plataforma batizada de MPP, que mistura elementos de antigas arquiteturas da marca (como acontece no Argo e Cronos). Apesar disso, a Fiat diz que 90% dos aços são de alta e ultra alta resistência, o que promete mais rigidez e segurança.

Além disso, a picape compacta agora sai de fábrica com quatro airbags de série (nas versões com cabine dupla) - o lateral, quando inflado, oferece apoio para tórax e cabeça. Por fim, em termos de segurança, há os obrigatórios controles de tração e estabilidade, além do assistente de partida em rampa.

 

 

 Interior tem claras referências a modelos compactos da linha Fiat, como Uno e Mobi
Legenda: Interior tem claras referências a modelos compactos da linha Fiat, como Uno e Mobi
Crédito: Renan Rodrigues/WM1

Este conteúdo foi publicado originalmente dia 7 de abril de 2020 às 09:52 e atualizado com as informações de versões e preços. 

Comentários