Carros que mudaram tudo, menos seus nomes

Hoje vamos listar cinco exemplos de modelos que alteraram completamente a plataforma e só mantiveram a denominação

  1. Home
  2. Últimas notícias
  3. Carros que mudaram tudo, menos seus nomes
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Apesar do título curioso, acredite, essa prática acontece bastante no setor automotivo: há vários carros que mudaram completamente de geração e só deixaram o nome no documento. Você já ouviu falar ou imaginou algum modelo que realizou essa prática?

Abaixo, vamos elencar cinco deles, dentre tantos carros que mudaram completamente de visual, plataforma, tamanho e até de categoria, mas deixaram só o nome seguir adiante - talvez os que tiveram as atualizações mais profundas dos últimos tempos. Lembra de algum outro? Como sempre, deixe em nosso campo de comentários!

Carros que mudaram tudo, menos o nome

1. Land Rover Defender

Vamos começar com um dos exemplos mais icônicos e recentes: a novíssima geração do Land Rover Defender, que foi apresentada no final de 2019 no Salão de Paris. A única coisa que esse veículo manteve se comparado à primeira geração do clássico utilitário britânico foi o nome e o espírito lameiro - de resto, absolutamente tudo é inédito no modelo.

A nova geração do carro chegou ao Brasil na metade de 2020 em três versões, com preços a partir de R$ 400.750. Apenas como parâmetro de comparação, o novo Land Rover Defender é 10 vezes mais rígido que um de geração anterior e também 10% mais rígido que um Range Rover do portfólio atual.

Por aqui, ele é vendido na versão com quatro portas e tem opção de sete lugares - por esses dois assentos extras são cobrados mais R$ 14.300.

Land Rover Defender 2020
Defender só manteve o nome: trocou plataforma, estilo de construção e todos os equipamentos mecânicos
Crédito: Motoring

2. Volkswagen Polo

O Polo que saiu de linha em 2014 não tem absolutamente nada a ver com o hatch que voltou a ser fabricado e vendido no Brasil em 2017. Trata-se, portanto, de mais uma troca de geração em que apenas o nome foi mantido.

O carro, que era fabricado sobre a base PQ24 (que ainda serve ao Fox, Gol, Voyage etc), passou a ser feito sobre a estratégia modular MQB, que produz, ainda, T-Cross, Nivus, Tiguan, Jetta e Virtus e também já entregou o Golf. Visualmente, o carro também é bem distinto: deixou de lado os ângulos arredondados para adotar vincos mais retilíneos e modernos.

Volkswagen Polo Gts
Volkswagen Polo não tem nada emprestado ou que foi originado da geração anterior
Crédito: Renan Miragaya/WM1

3. Chevrolet Tracker

Mais um exemplo de carro que trocou completamente de plataforma, tamanho e até de proposta. O Tracker, que mudou de geração no ano passado, assumiu lugares no pódio de seu segmento durante vários meses de 2020 e é um veículo maior e totalmente distinto daquele que conhecíamos - que também já era outro automóvel se comparado à primeira geração, feita em parceria com a Suzuki.

Atualmente, o SUV compacto utiliza a mesma plataforma do Onix, originária da China, embora sua fabricação aconteça em São Caetano do Sul (SP) - enquanto a do hatch fica concentrada em Gravataí (RS). Vale lembrar que a geração anterior vinha do México e tinha a base do Sonic; e a primeira era exportada da Argentina, onde compartilhava linha com o Suzuki Grand Vitara.

Chevrolet Tracker LT 1.0
Chevrolet Tracker agora tem motores 1.0 e 1.2 turbo e projeto totalmente distinto do que gerações anteriores
Crédito: Fernando Miragaya/WM1

4. Ford Ka

O Ford Ka foi outro carro que mudou completamente de projeto e só manteve o nome quando foi lançado, em 2015. O veículo trocou até de carroceria - deixou de ser apenas um hatch subcompacto de duas portas para assumir o papel de hatch compacto de entrada com quatro portas no line-up da marca.

A mudança originou até uma versão sedã, que não existia, chamada Ka+ - que posteriormente viria a se chamar Ka Sedan. As trocas fizeram bem: o Ka chegou a ser um dos carros mais importantes da Ford no Brasil e ter exportação que saía da finada fábrica de Camaçari (BA) para vários países do mundo. Uma pena ter acabado no início deste ano.

Ford Ka Sedan cinza escuro de traseira
Atualização do Ka na metade desta década foi tão grande que modelo ganhou até nova carroceria:  sedã
Crédito: Divulgação

5. Jeep Compass

Vamos finalizar essa lista com um dos carros mais importantes do cenário atual do mercado brasileiro: o Jeep Compass, o SUV médio que todo fabricante tenta desbancar ano após ano, mas não consegue - será que o recém-apresentado Taos vai ter sucesso nessa empreitada? O Compass de atual geração foi apresentado em 2016, um ano após outro fenômeno da marca, o Renegade.

Do antigo Compass, só o nome restou - a prova é que o utilitário que passava a ser fabricado no Brasil não sabia se ia se chamar "Compass" até os últimos instantes e a decisão foi tomada dias antes do lançamento. "Patriot" e outras opções de denominações disputaram o título até os momentos finais.

Jeep Compass, carro completamente novo desde 2016, deve ganhar motor turbo e opção híbrida no ano que vem
Crédito: Divulgação
Comentários