SUVs que ficaram para depois da pandemia

Veja os utilitários esportivos que tiveram seus lançamentos adiados. Alguns ainda chegam em 2020; outros, só em 2021

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. SUVs que ficaram para depois da pandemia
Fernando Miragaya
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A pandemia de coronavírus forçou mudanças nos planejamentos dos fabricantes de automóveis. Muitos modelos já tiveram seus lançamentos adiados, mas as marcas também aguardam o desenrolar das medidas de restrição social para definir outras estreias - que podem ser mantidas para 2020.

Os utilitários esportivos, objetos de desejo de 11 em cada 10 brasileiros, também estão dentro destes projetos adiados ou sob compasso de espera - bom lembrar que, além da Covid-19, a alta absurda do dólar também pode afetar o cronograma das montadoras. Confira os SUVs que ficaram para depois da pandemia.

Caoa Chery Tiggo 8

icon photo
Legenda: Tiggo 8 é o maior utilitário da marca e está entre os SUVs que ficaram para depois da pandemia
Crédito: Divulgação

O maior utilitário esportivo da marca chinesa estava programado para o primeiro semestre, mas foi adiado. Segundo a empresa, o SUV será lançado assim que a pandemia passar, ou seja: ficará para o segundo semestre.

O Tiggo 8 será produzido em Anápolis (GO), mas deve ser algo diferente do modelo mostrado no Salão de São Paulo 2018, já que o SUV sofreu um face-lift na China em 2019. O carro vai estrear o motor 1.6 turbo com injeção direta de 197 cv e 29,6 kgfm no mercado brasileiro. O câmbio será o automatizado de dupla embreagem e sete marchas.

SUV do Fiat Argo

icon photo
Legenda: SUV do Argo será compacto o menos utilitário da Fiat para brigar no segmento de entrada
Crédito: Rafael Schmidt/CarangosPB

Durante a

target="_blank" rel="noopener">live da Webmotors sobre inovação nas vendas digitais, o presidente da FCA, Antonio Filosa, admitiu que os projetos da marca sofreriam atrasos devido à pandemia. Com isso, o utilitário baseado no hatch compacto, que estava programado para o fim de 2020, provavelmente ficará para o primeiro semestre de 2021 - o carro já foi flagrado em testes.

O modelo quer brigar com utilitários compactos e de entrada (Ford EcoSport e Renault Duster). Chegará com os motores Firefly aspirados e pode ter as honras de estrear a nova unidade turbinada que a FCA desenvolve. Porém, o projeto do propulsor estava atrasado antes da pandemia e ainda não é certo se chegará com o SUV do Argo ou com o Fiat Fastback, também previsto para 2021.

Ford Territory

icon photo
Legenda: Territory é a resposta da Ford ao Jeep Compass: modelo está confirmado para o segundo semestre
Crédito: Fernando Miragaya/WM1

Em 2019, a marca confirmou o SUV médio para entre maio e julho deste ano, inicialmente importado da China. Mesmo com a pandemia da Covid-19, a Ford mantém o lançamento, só que agora para o segundo semestre 2020. Porém, aquele preço projetado na casa dos R$ 115 mil para brigar com o Jeep Compass, segundo fontes, subiu no telhado. Como dólar, não chegará por menos de R$ 140 mil.

O Territory só terá preços mais competitivos quando for produzido na Argentina, o que estava previsto para o segundo semestre de 2021. Porém, com a crise provocada pelo coronavírus, esse planejamento pode sofrer alterações. Na China, o jipão usa motor 1.5 turbo de 165 cv de potência.

Volkswagen Tarek/Tharu

icon photo
Legenda: A Volkswagen já confirmou o Tarek no Mercosul. Mas será que o SUV médio chega ainda em 2020?
Crédito: Divulgação

Outro rival para o Compass, está entre os SUVs planejados pela Volkswagen para 2020. Ou estava. O modelo já teve a produção confirmada na Argentina, e a VW diz que seu cronograma de lançamentos para o Brasil segue inalterado - inclusive com o Nivus confirmado para meados e fim de junho. Porém, o lançamento do Tarek pode ficar só para 2021.

O modelo faz parte do Projeto Tarek, mas no Mercosul vai adotar outro nome - também se chama Tharu, na Ásia. Faróis e grade serão diferentes em nosso mercado, mais próximos do desenho do Tiguan. Com 4,45 m de comprimento e 2,69 m de entre-eixos, e preços entre R$ 120 mil e R$ 150 mil, ficará posicionado entre o T-Cross topo de linha e o Tiguan Allspace mais em conta.

Citroën C5 Aircross

icon photo
Legenda: Novo Citroen C5 Aircross: maior SUV da marca francesa deve ficar para o ano que vem
Crédito: Divulgação

A marca francesa queria aproveitar o embalo do C4 Cactus para usar o C5 Aicross como referência de SUV tecnológico em sua gama. A ideia era lançar o modelo - que compartilha plataforma com o Peugeot 5008 - até o fim do ano. Só que, além da pandeia, a alta do dólar desferiu um duro golpe nos planos da Citroën.

O C5 Aircross está previsto chegar em sua versão híbrida. Lá fora, o SUV usa motor a gasolina PureTech de 180 cv aliado ao elétrico de 80 kW e câmbio automático de oito marchas, com potência combinada de 225 cv e torque de 33 kgf.m. Os preços aqui devem ficar acima dos R$ 210 mil.

Nissan Kicks

icon photo
Legenda: Nissan já revelou novo Kicks, que deve chegar ao Brasil em 2021
Crédito: Divulgação

O SUV compacto da marca japonesa já passou por sua primeira remodelação, só que na Tailândia. Esse face-lift do Kicks chegaria ao Brasil juntamente com sua versão híbrida leve e-Power. Porém, o que estava vislumbrado para o fim de 2020 deverá ficar para 2021.

Toyota SW4

icon photo
Legenda: Projeção de site russo mostra que novo Toyota SW4 deve ganhar desenho mais agressivo, inspirado no RAV4 e Corolla
Crédito: Projeção/Kolesa

O utilitário derivado da Hilux já foi até flagrado com seu face-lift - o projeto da marca japonesa era mostrá-lo na Tailândia, em agosto. Era outro SUV previsto para chegar ao Brasil no último trimestre deste ano e que deve ficar para meados de 2021.  O bom é que o SW4 é feito na Argentina e vai trazer a reboque de sua reestilização um novo sistema multimídia e motor a diesel mais potente.

Fiat Fastback

icon photo
Legenda: O mockup do Fastback na fábrica da FCA em Betim (MG) dá indícios de como será o "Compass da Fiat"
Crédito: Fernando Miragaya/WM1

O SUV-cupê baseado no conceito de mesmo nome exibido no Salão de São Paulo 2018 já era esperado só para 2021. A ideia era dar tempo para o novo motor turbo 1.3, com potência estimada entre 170 e 175 cv ficar pronto. Como era um projeto mais a médio prazo, pode ser que o Fastback até mantenha suas expectativas de lançamento, mas o desenvolvimento do propulsor pode atrapalhar esse cronograma.

 

 

 

Comentários