Flagra: Hyundai Santa Cruz com cara de Santa Fe

Novas imagens adiantam que modelo terá inspiração no atual SUV de luxo da empresa, mas tamanho de picape média

  1. Home
  2. Segredos
  3. Flagra: Hyundai Santa Cruz com cara de Santa Fe
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A picape Hyundai Santa Cruz está cada vez mais próxima de ser lançada. Prevista para chegar ao mercado no segundo semestre, o modelo foi flagrado mais uma vez em solo norte-americano, desta vez pela turma do site AutoMedia. No Brasil, sua estreia deve acontecer até o fim de 2021.

A Hyundai Santa Cruz, como podemos ver pelos flagrantes, terá identidade visual alinhada ao desenho do novo Hyundai Santa Fe. Segundo a publicação, o modelo terá porte de uma picape média, como Chevrolet S10, Ford Ranger, Toyota Hilux e Volkswagen Amarok, entre outras. Nos EUA, esse segmento é chamado de "light truck", ou seja, para o norte-americano esse tamanho é considerado pequeno.

Contudo, outras fontes e sites de notícias asiáticos apontam a Santa Cruz como uma concorrente direta da Fiat Toro. A própria Hyundai dos EUA, em novembro de 2019, confirmou a produção da Santa Cruz baseada no conceito de mesmo nome. Em comunicado, a marca informou que a proposta do modelo é ser uma "picape mais para o lazer e para o público jovem do que para o trabalho".

Hyundai Santa Cruz: como ela é

Gostou do desenho frontal? Essa "cara nova" também será adotada pelo próximo Tucson, outro carro que deve aparecer entre o final deste ano e o primeiro semestre de 2021.

icon photo
Legenda: Hyundai Santa Cruz terá frente parecida com a do Santa Fe, que também deve inspirar outros modelos da marca
Crédito: AutoMedia

O destaque fica pela grade grandona e pelos faróis divididos em dois andares - algo que tem se tornado cada vez mais comum, vide Fiat Toro e Citroën C4 Cactus. Na parte de cima, fica a luz de posição, provavelmente de LED. Já no canhão de baixo devemos encontrar o farol tradicional e a luz de seta, que aposenta os projetores para neblina, algo que também aconteceu com o novo Santa Fe.

Outro fato é que a Santa Cruz será construída sobre a plataforma do Tucson, com estrutura monobloco e sem aquele estilo "quadrado" de picapes feitas com carroceria sobre chassi. Isso significa que o design traseiro também poderá ter um estilo mais ousado, como faz a Fiat Toro, por exemplo, que é derivada da plataforma do Jeep Renegade.

Talvez seja por isso que, até agora, a traseira é a parte mais coberta do carro em todos os flagras já feitos. O que sabemos é que a carroceria da Santa Cruz terá sempre cabine dupla, quatro portas e capacidade para cinco pessoas.

 Desenho da traseira da picape Santa Cruz ainda é mistério
Legenda: Desenho da traseira da picape Santa Cruz ainda é mistério
Crédito: AutoMedia

Reboque pesado

Reparou que na foto do flagra do pessoal da AutoMedia, acima, a Santa Cruz puxava um trailer? Pois esse reboque, da Wells, pesa quase 1.400 kg.

Isso significa que as capacidades de carga e reboque do carro da Hyundai serão maiores que as da Toro - que puxa somente 400 kg, mesmo com motor a diesel e tração 4x4 -, mas menores que a de uma picape média convencional, capaz de arrastar quase 3 toneladas. A carroceria do tipo monobloco de carro de passeio joga contra nesse sentido.

De acordo com a notícia, a Hyundai se limita a dizer que deseja para o modelo "todos os atributos tradicionais de um SUV, mas com uma caçamba". Um motor já está confirmado: o 2.0 turbo de 241 cv e 35,9 kgf.m de torque, que também equipa o Santa Fe. 

Um outro motor, aspirado, de 2,4 litros, 187 cv e 24,6 kgf.m, também é cotado. Na unidade flagrada, apostamos que o motor utilizado para levar todo o peso do trailer seja o turbinado.

Fábrica dos EUA

A produção da Hyundai Santa Cruz será na fábrica de Montgomery, no Alabama (EUA), onde também é produzido o Santa Fe. E ela não será a única picape da marca. Como já mencionamos aqui no WM1, a empresa também prepara um modelo maior, construído com chassi separado da carroceria, previsto para 2022, que vai brigar com picapes grandes e encarar versões mais caras das médias.

Comentários