Fim do Tiguan 1.4: VW já prepara nova cara do SUV

Versões de entrada do modelo serão substituídas pelo Taos, mas configuração mais forte com motor 2.0 turbo será renovada

  1. Home
  2. Segredos
  3. Fim do Tiguan 1.4: VW já prepara nova cara do SUV
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Você viu aqui no WM1 que o Taos será lançado entre abril e junho para ocupar um espaço de mercado deixado pelas versões de entrada do Tiguan. Essas configurações usavam o mesmo motor 1.4 turboflex do modelo revelado recentemente, conhecido pela insígnia 250 TSI. Mas essa "troca" não significa que o Tiguan vai sair de cena.

"Na verdade, a versão do Tiguan que sempre emplacou mais foi a R-Line 350 TSI (com motor 2.0), justamente a única que vamos manter" me revelou uma fonte ligada ao fabricante. É justamente essa configuração que deve ganhar novidades em breve - possivelmente no final do segundo semestre, mas com chances de ficar só para 2022.

O que muda no novo Tiguan

Lá fora, o carro passou recentemente por uma grande reformulação. Resumidamente, ganhou uma reestilização visual baseada no desenho do inédito Golf 8, versão com sistema híbrido e até uma configuração mais esportiva, que carrega o emblema "R" na carroceria. É a primeira reestilização da segunda geração do Tiguan, lançada globalmente em 2016.

Uma das novidades por aqui pode ser a configuração híbrida plug-in (recarregável em tomada), batizado de eHybrid - para competir contra as novidades "sustentáveis" que ganham cada vez mais força no segmento de carros de luxo. Segundo a Volks, nessa versão, o Tiguan consegue acelerar até 130 km/h e rodar 50 km sem gastar combustível.

Seu conjunto é formado pelo mesmo motor 1.4 TSI de 150 cv que conhecemos combinado a outro elétrico, de 115 cv - que, juntos, rendem 245 cv (atenção: a potência final não é a soma das potências dos dois motores). Essa configuração também oferece um modo de condução mais esportivo, classificado como GTE.

A segunda novidade do Tiguan 2022 é exatamente a versão esportiva R, que troca o conjunto 1.4 pelo 2.0 TSI mais arretado do Golf R, preparado para chegar a 320 cv (contra 220 cv do atual R-Line). Nessa configuração, a tração integral tem diferencial central para distribuição e vetorização eletrônicos de torque. São seis modos de condução: Race, Sport, Comfort, Individual, Offroad e Snow.

Nessa opção, inclusive, o carro também oferece controle dinâmico de chassi, suspensões mais baixas em 1 cm, rodas de 21" (nas outras variam de 17" a 20") e até um escapamento esportivo da Akrapovic como opcional. O câmbio é sempre automático de oito marchas. Mas acreditamos que o valor dessa versão o colocaria fora do limite permitido para que o SUV mantivesse competitividade no mercado.

Volkswagen Tiguan 2021
Traseira mudou pouco: lanternas em LED e para-choques têm novo desenho, mas quase não dá para perceber
Crédito: Divulgação

A configuração que vem para cá

Acreditamos que a configuração R-Line com o motor 350 TSI seja a que irá se manter com mais força no mercado brasileiro, importada do México. Mas também apostamos que acima dessa versão a Volks possa trazer a variante híbrida do carro justamente para filar uma parte interessante do mercado que já começa a enxergar com bons olhos os tais modelos sustentáveis.

Quando? As novidades podem começar a desembarcar por aqui ainda este ano, possivelmente no final do segundo semestre, mas o bom número atual de vendas do Tiguan 350 TSI pode fazer com que isso demore mais um pouco - ou seja, ficar para o primeiro semestre do ano que vem.

Se isso acontecer, a Volks formaria um quarteto de lançamentos na mesma época do ano durante quatro anos seguidos: T-Cross em 2019; Nivus em 2020; Taos em 2021 e Tiguan em 2022.

Vw Tiguan R Line 3640
Tiguan atual seria substituído praticamente por um mesmo carro, só que mais moderno e tecnológico
Crédito: Ricardo Rollo

Comentários