Novo Honda Fit perde CVT, mas ganha mais potência

Visibilidade maior, desempenho melhor, novas versões e visual mais “macho”. Será que emplaca?


  1. Home
  2. Testes
  3. Novo Honda Fit perde CVT, mas ganha mais potência
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Para quem pensava que o próximo Honda Fit ganharia apenas uma reestilização, pensou errado. O novo monovolume da Honda engordou sem gorduras hidrogenadas. Uma espécie de bombada sem anabolizantes.

Por fora, realmente, o Fit está mais imponente, carrancudo e bonito. A cintura está mais alta e a área envidraçada aumentou. As versões de entrada estão com rodas de liga leve de aro 15” e as mais caras com aro 16”.

Todas as dimensões evoluíram. A distância entre os eixos passou dos 2,45 m para 2,50 m. O comprimento aumentou 7cm de 3,83 m para 3,90 m, assim como sua largura, que passa a contar com 1,69 m, 2 cm a mais que a geração anterior. A versão também teve sua altura ampliada: agora possui exatos 1.535 mm, 10 mm mais alto.

A Honda fez uma apresentação exclusiva do modelo para jornalistas e concessionários. O WebMotors esteve presente e andou no carro por mais de quatro horas em todas as versões. A decisão da montadora em antecipar as informações do carro foi coerente, afinal, a gente estava recebendo flagras do carro a todo o momento.

Fit 1.4

Depois da apresentação técnica do carro fomos à pista coletar a primeira impressão do automóvel. O WebMotors optou por começar com as versões de entrada para depois chegar ao filé.

O motor 1,4-litro agora tem 16 válvulas e está com 100 cv de potência quando abastecido com gasolina. Com 1.080 kg, o modelo oferece uma relação peso/potência de 10,8 kg por cv. Se comparado com o modelo antigo, o novo Fit 1.4 está mais potente e um pouco mais ágil. Isso fica claro com a relação peso/potência de 13,1 kg/cv do modelo anterior. O antigo 1,4-litro tinha 8 válvulas, com 80 cv de potência a 5.700 rpm e torque máximo de 11,8 kgm a 2.800 rpm. O atual tem um torque de 13 kgm a 4.800 rpm. Ou seja, o motor acompanhou a evolução do carro. Ficou mais forte para carregar um lastro maior. Natural da evolução da espécie.

Na hora de acelerar, o Honda Fit com motor 1,4-litro responde bem. Tem uma aceleração progressiva, mas sem grandes emoções. Os pneus 175/65 R15 seguram bem o carro, assim como a suspensão. A área envidraçada é um ponto forte do automóvel, assim como a posição de dirigir. O novo Fit agora tem regulagem de profundidade da direção, além da regulagem de altura.

Transmissão automática

O CVT deixa saudades mesmo, principalmente quando o assunto é motor 1,4-litro. A versão automática tem um escalonamento ideal para quem procura usar a transmissão durante o dia-a-dia. Esqueça o câmbio automático para fazer peripécias. Ele não vai responder da forma que você precisa.

Na versão equipada com motor 1,5-litro o modelo automático responde com mais prazer. Por isso, pense mais de 10 vezes na hora de optar pela opção automática com motor mais fraco. Talvez valha colocar mais moedas no cofre para levar o 1,5-litro para casa.

Fit 1.5

A mesma regra de atualização foi aplicada à versão 1,5-litro, porém com uma pequena melhora. O modelo antigo era equipado com um motor de 16 válvulas de 105 cv a 5.800 rpm e torque de 14,2 kgm a 4.800 rpm. O peso total da versão anterior era de 1.080 kg, uma relação peso/potência de 10,3 kg/cv. O novo Fit na versão EXL está pesando 1.141 kg e oferece 115 cv de potência a 6.000 rpm. Ou seja, relação peso/potência de 9,9 kg/cv. O torque do novo motor é de 14,8 kgm a 4.800 rpm.

O que melhorou de verdade:

- Visual, visibilidade, espaço interno porta-malas continua quase igual, posição de dirigir, estabilidade e consumo

O que ficou quase igual:

- Desempenho e o acabamento mediano

O que faltou:

- Evolução do câmbio CVT, mais agilidade e freios a disco nas rodas traseiras na versão de entrada

Vale levar para casa?

A Honda usou um clichê para apresentar o novo carro com a seguinte frase: “Definitivamente, um ditado popular tão comum no mundo do futebol, em time que está ganhando não se mexe, não se enquadra no perfil da Honda Automóveis. Veja o que aconteceu com o Honda Fit...”. Pois é, o carro mudou, mas manterá o mesmo segredo de sucesso.

Valores de peso/potência da primeira geração do Fit 1,4-litro estavam errados. Texto devidamente atualizado


FICHA TÉCNICA – Honda Fit 1.4 e Honda Fit 1.5
MODELOHonda Fit 1.4 LX e LXL Honda Fit 1.5 EX e EXL
MOTORES Quatro cilindros em linha, 16 válvulas, comando simples variável i-VTEC e refrigeração a água, 1.339 cm³ Quatro cilindros em linha, 16 válvulas, comando simples variável i-VTEC e refrigeração a água, 1.5 cm³
POTÊNCIAS 100 cv a 6.000 rpm gasolina e 101 cv a 6.000 rpm álcool 115 cv a 6.000 rpm gasolina e 116 cv a 6.000 rpm álcool
TORQUES 13 kgm a 4.800 rpm álcool ou gasolina 14,8 kgm a 4.800 rpm álcool ou gasolina
ALIMENTAÇÃO Injeção PGM-FI Injeção PGM-FI
CÂMBIOS Cinco velocidades automático ou manual Cinco velocidades automático ou manual com opção de trocas no volante na versão EXL
TAXA DE COMPRESSÃO 10,5:1 10,4:1
TRAÇÃO Dinateira Dianteira
RODAS De liga leve em aro 15” De liga leve em aro 16”
PNEUS 175/65 R15185/55 R16
DIMENSÕES Comprimento 3.900 mm / Entreeixos 2.500 mm / Altura 1.535 mm / Largura 1.695 mm
PESO 1.080 kg com câmbio manual e 1.113 kg com automático 1.103 kg com câmbio manual e 1.136 kg com automático
SUSPENSÕES McPherson e barra de torção
FREIOSDianteiro com disco e traseiro com tambor na versão LX Discos; com ABS e EDB
PORTA-MALAS 384 l
PREÇOS R$ 50 mil estimadoR$ 60 mil



Gosta de minivans compactas?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Honda Fit

Chevrolet Meriva

Fiat Idea

Leia também:

SEGREDO! - Fiat Bravo aparece no trânsito de Belo Horizonte

SEGREDO - Fiat confirma Strada Cabine Dupla em catálogo

Fotos oficiais do Fiat Linea são divulgadas em blog

SEGREDO! - Fiat Linea mais caro se chamará Absolut

SEGREDO! - Ford Focus já tem preço e circula no Brasil

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors