Mercury 51 Custom: Uma revitalização de época e estilo

O proprietário deste Mercury 1951 Custom, quatro portas, concorda: “compro muita literatura antes de começar qualquer projeto. Estudo muito”
  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Mercury 51 Custom: Uma revitalização de época e estilo
Antigo Motors
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Alguns carros antigos carregam em si tanta informação que dispensam literatura. Uma imagem comunica mais que mil palavras, já disseram. É o caso do Ford Mercury cupê do início da década de 1950. “São considerados os primeiros veículos pós-2ª Guerra que apresentam design próprio, robusto, uma tendência que perdurou por anos”, aponta o Portal antigomotors.com.br.

Dentro de tendências, o seguimento de Hot Rods e Custom cresce no Brasil e é bom acompanhar. É um setor interessante que ajuda o antigomobilismo a se desenvolver, com encontros e mídia especializada. Segundo mecânicos e funileiros que trabalham especificamente para este público, é preciso estudar o carro original para oferecer uma proposta de modificação que tenha o perfil do cliente sem descaracterizar o veículo.

O proprietário deste Mercury 1951 Custom, quatro portas, concorda: “compro muita literatura antes de começar qualquer projeto. Estudo muito”. Este não é seu primeiro carro antigo modificado e nem o último. “Fiz alguns e vendi”, conta. Mas se depender dos filhos, isso vai demorar um pouco com este exemplar. “Eles adoram passear com o carro, talvez por ser o mais diferente”. Bem, ou conte também a tv de plasma que desce do teto, DVD, videogame, sistema de som, espaço e o confortável banco original em couro para os passageiros mirins.

Para o motorista, direção hidráulica, ar condicionado e o painel com os instrumentos originais. “A Ford lançou a linha Mercury, com certo glamour e motor V8, para ser uma opção intermediária entre os luxuosos Lincoln e os modelos básicos da marca”, comenta pesquisadora Antigo Motors. Embora já tivesse um propulsor forte, o proprietário incrementou mais diversão: Motor de 280 cavalos, câmbio e diferencial do Maverick GT. “Faz 160 km/h com o pé levinho”, brinca.

Por fora, as linhas harmônicas e generosas continuam a seduzir qualquer apaixonado por quatro rodas. A cor, cinza azulado, veio do Audi 72 e lhe coube muito bem. A frente parece, mas não é rebaixada, é que a barra de eixo foi deslocada. A grade não é original, foi cortada e praticamente dobrada para dar esse aspecto “estiloso”. Ainda modificou o para-lama, tirou o pisca e o farol é embutido. “Estou estudando em trocar a lâmpada atual por outras de led que vi num evento”, comenta o proprietário. “É que eu sou chato, gosto de tudo novo”, diz.

Este automóvel quatro portas originais, sendo dos passageiros suicidas, não há maçanetas, o que limpa ainda mais o design. Os pneus são 235/ 7015 e calotas Moon Fliper cromadas. O opcional que esconde as rodas de trás foi mantido e o estilo agradece. A traseira também é diferenciada. Tirou os frisos, manteve a lanterna embutida na lataria. As garras foram diminuídas, como na frente, e o escapamento ficou discreto.

O chassi é mesmo de 1951, embora o carro pareça alongado. Mas está em cima o culpado pelo belo resultado da obra. “Para rebaixar um teto você tem duas opções”, explica o dedicado proprietário ao Portal Antigo Motors: “ou corta o teto em quatro partes e segue o mesmo ângulo das portas, ou o mantém em formato original e muda o ângulo das colunas. Eu escolhi a segunda”, afirma. Embora seja a maneira mais trabalhosa porque altera o desenho das portas, para-brisa e vidro traseiro, no entanto, o fim justifica o meio.

A ligação com carros surgiu quando criança a este dedicado entusiasta. Mas a paixão mesmo nasceu nas páginas de uma revista especializada em veículos modificados de 1974. “Eram com os hots tradicionais, com as chamas ainda pintadas a mão”, deixa brilhar os olhos. Para ele, que acredita que cada carro tem a sua beleza, o diferencial dos modificados com os antigos está no olhar. “Se observar o primeiro original, os outros 30 ao lado são iguais. Mas os hots ou custom não, são a cara de quem fez”. E que muitos continuem fazendo, porque o Antigo Motors acredita que tem espaço para todos os gostos.

Agradecimentos a João Mendes da Silva Neto.



Para baixar mais fotos exclusivas deste incrível exemplar, acesse a página do Antigo Motors:antigomotors.com.br.

As opiniões expressas nesta matéria são de responsabilidade de seu autor e não refletem, necessariamente, a opinião do site WebMotors

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors