Mulheres aceleram Audi R8 V10 de 525 cv em dia de homenagem

Audi Woman’s Experience Day mostrou às jornalistas do que a supermáquina é capaz
  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Mulheres aceleram Audi R8 V10 de 525 cv em dia de homenagem
Adriana Bernardino
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Dezenas de mulheres aguardam com ansiedade. Olham, ao longe, contra o sol. Discutem com os organizadores o tempo de espera. Quando chegará a minha vez? Não de aproveitar uma superpromoção. Não de ver o Chico Buarque. As coisas estão mudando. Elas – que são aproximadamente 80 jornalistas, entre as quais me incluo – aguardam para guiar o lançamento da Audi no Brasil, o superesportivo R8 V10 leram bem, rapazes? Motor V10! no Audi Woman’s Experience Day, realizado ontem no autódromo de Interlagos, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

Durante o evento, que contou com a participação da piloto Bia Figueiredo, ficou mais evidente o que antes era apenas intuição: as mulheres gostam de coisas delicadas e, às vezes, tingidas de tons de rosa; entretanto, se essa coisa tiver 525 cv de potência, 530 Nm de torque e acelerar de 0 a 100 km/h em 3,9 s, tanto melhor.

Antes de guiar uma das estrelas do Salão de Detroit de 2009, entretanto, foi necessário assistir a uma palestra sobre o superesportivo, passar por diferentes testes de direção nos veículos A3 Sportback, Audi A4, Audi A5, Audi A6, Audi Q5, Audi Q7, S3 e TTS. Neste último, tive a oportunidade não apenas de dirigir, mas de ser passageira de um instrutor experiente. Depois de algumas voltas agarrada ao banco-concha e estômago em montanha russa pude, enfim, sentir o que é isso que chamam de paixão por velocidade.

Em meu tímido pisar fundo na pedaleira de alumínio, atingi cerca de 190 km/h, 126 km/h a menos do que, segundo a fabricante, o carro pode alcançar. A tração nas quatro rodas dá confiança e vontade de acelerar um pouco mais, mas o instrutor – além de nos orientar sobre o carro e a pista – está ali ao lado também para nos dar limites.

Derivado do modelo de competição cinco vezes vencedor da corrida 24 Horas de Le Mans, o R8 acelera em rodas de aro 19”, pneus 235/35 R19 na dianteira e 295/30 R19 na traseira. Instiga os olhos com volante esportivo em couro, câmbio R-tronic de 6 velocidades com opção de troca de marcha pelo paddles shift. Um exemplar da supermáquina custa o equivalente a 24 carros populares, cerca de R$ 700 mil.

Mulher, como é ser uma?

Restou a piloto Bia Figueiredo, que disputará a Fórmula Indy neste final de semana acompanhada de mais três mulheres – a norte-americana Danica Patrick, a venezuelana Milka Dulko e a suíça Simona de Silvestro – responder à curiosidade dos jornalistas sobre as diferenças de ser mulher ao volante. “A mulher começou a dirigir a menos tempo que os homens”, argumentou. Parece justo que leve um pouco mais de tempo, não para as mulheres serem tão boa quanto os homens, mas para encontrar a sua própria maneira de guiar.

_________________

Twitter
_________________

Leia também:

Mulher ao volante: conquistar, crescer, engajar-se sim, mas sem perder o mistério

Economista ensina planejamento a mulheres que querem um auto

Veja 3 dicas para se maquiar no carro com rapidez e segurança

De carona com Cláudia Campos: não sou mulher maravilha!

15 passos para comprar um seminovo sem errar na escolha

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors