Compro um carro menor completo ou um médio pelado?

Essa é a dúvida de muita gente: investir em um compacto bem equipado ou em um modelo de degrau acima sem tantos mimos

  1. Home
  2. Bolso
  3. Compro um carro menor completo ou um médio pelado?
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Hoje vamos ajudar quem precisa comprar um carro zero km e está na dúvida entre levar um modelo de categoria menor, mas completo, ou avançar para uma categoria superior, onde se encontram modelos maiores, mas possivelmente menos equipados - se considerarmos uma faixa de preços parecida entre as duas opções, obviamente. Que carro comprar?

Vamos exemplificar: um Jeep Renegade Moab, com motor 2.0 turbodiesel, câmbio de nove marchas e tração 4x4, completaço, custa hoje, na tabela, R$ 152.990. Por esse valor, você consegue levar para casa um Compass Sport T270, turboflex, com câmbio automático de seis marchas e tração dianteira - que custa R$ 143.490. O Renegade é mais recheado, enquanto o Compass é maior. E aí?

Carro menor completo ou médio pelado?

Para responder essa dúvida você precisa levar em consideração uma série de questões relacionadas ao uso que você faz do automóvel. Principalmente se você precisa de espaço. Nesse caso, com certeza o Compass seria a escolha mais ideal, até porque o entre-eixos é maior (são 2,64 m contra 2,57 m no Renegade) e o porta-malas idem - 410 litros contra 320.

Mas não é só isso que precisa ser considerado, até porque nem sempre tamanho é algo crucial. Se você prefere mimos a bordo, lista de equipamentos mais recheada e até conjunto mecânico mais afinado, no caso do nosso exemplo, o Renegade se torna uma opção mais interessante.

Isso porque o conjunto a diesel, que é o mesmo dos Compass (bem) mais caros, é muito mais rápido, econômico e eficiente que o novo 1.3 turboflex do irmão maior - a diferença era ainda mais abissal quando o Compass utilizava o motor 2.0 flex aspirado, que saiu de linha com a atualização deste ano. Nesse sentido, se conjunto mecânico for diferencial para você, o Renegade é mais negócio.

Agora, se você não faz questão do espaço nem do porte do Jeep Compass e o Renegade consegue lhe oferecer tudo o que você busca, não há motivos para assinar o cheque do irmão maior, certo? Por valores muito parecidos, você leva para casa um carro de mesma qualidade, um pouco menor, mas bem mais equipado e de conjunto mecânico consideravelmente mais eficiente.

Compass e Renegade
Compass e Renegade: preços conflitantes entre as versões mais baratas de um e as mais caras do outro
Crédito: Arte WM1

Outras questões

Mas não é sempre que o carro "menor" tem melhor acerto mecânico. Vamos a outro exemplo: Nissan Versa de nova geração utiliza o mesmíssimo motor 1.6 que o do Versa anterior, agora chamado de V-Drive. Nessa comparação, as versões conflitantes são a de entrada do novo Versa, chamada de Sense com câmbio manual (de R$ 83.690) e a topo de linha do V-Drive, a Premium CVT, que custa R$ 82.790.

Tamanho não é mais quesito de avaliação, já que ambos praticamente se equivalem - o Versa tem 2,62 m de entre-eixos e 482 litros de porta-malas, e o V-Drive oferece 2,60 m de espaço e 460 l de bagageiro. A questão, a partir desse exemplo comparativo, passa a ser de modernidade de plataforma e de equipamentos.

Embora o V-Drive Premium seja teoricamente mais recheado que o Versa Sense, principalmente quando lembramos que tem câmbio automático em vez de uma caixa manual, é preciso ponderar nesse caso que a plataforma do V-Drive é bem mais defasada que a do novo Versa, que chegou oficialmente ao Brasil no ano passado.

Nissan Versa Sense 7557
Novo Versa vem do México e por isso pode ter peças mais caras que um V-Drive, que é nacional
Crédito: WM1

Design e estilo também são itens a ser considerados - e nesse sentido sem dúvida o novo Versa leva a melhor. Mas é sempre bom colocar no papel que o Versa Sense com câmbio manual é "pelado" se comparado ao V-Drive Premium em termos de equipamentos, e que o carro mais antigo também vem com câmbio automático.

No fim das contas, é tudo questão de peso. Escolha seus alvos, coloque na balança as vantagens e desvantagens de cada um, consulte preços (não só o de tabela, mas também valores pós-compra, como o de seguro, impostos e serviços de revisão) e decida pelo que apontar menos peso depois de todas as somas. Assim você saberá escolher entre o carro menor completo ou o médio pelado.

Nissan V-Drive, o antigo Versa, tem opções com motor 1.0 e 1.6. Na mais cara, é automático
Crédito: Cris Oliveira/Divulgação
Comentários