A sedução da novidade

Seis lançamentos instigaram a imprensa automotiva brasileira e dominam a eleição “Os Melhores do Ano”, de Auto Press
  1. Home
  2. Bolso
  3. A sedução da novidade
  • Repórter, WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

– Vários prêmios são concedidos todos os anos pela imprensa automotiva brasileira. Mas a eleição “Os Melhores do Ano” de Auto Press tem uma singularidade. Em sua quarta edição, foram convidados a votar 48 editores de jornais e portais de todo o Brasil que publicam o conteúdo editorial automotivo Auto Press. Mas eles não se limitaram a indicar seus favoritos nas categorias hatch, sedã, carro familiar, picape, utilitário esportivo e esportivo. Tiveram também de justificar cada escolha. São essas justificativas, vindas de profissionais da imprensa especializada de todas as regiões brasileiras, que explicam porque alguns veículos viraram notícia esse ano. E vão começar 2012 com ótimas expectativas em seus respectivos segmentos.

Mais uma vez, as novidades dominaram a eleição “Os Melhores do Ano”. E não foram poucas. Entre modelos totalmente novos e reestilizações avaliados por Auto Press, foram apresentados 11 hatches, 16 sedãs, quatro veículos familiares, nove utilitários esportivos, duas picapes e quatro esportivos, em um total de 46 lançamentos. Os “novatos” superaram em quantidade os modelos que deixaram de ser oferecidos no país e elevaram para mais de 800 a gama total de oferta de versões de automóveis zero quilômetro do mercado nacional.

Entre os hatches, a briga foi entre dois automóveis que nem são concorrentes. De um lado, estava o hatch premium Audi A1, que inseriu a marca alemã no segmento de “compactos chiques”, oferecido por R$ 94.044 em sua única versão duas portas 1.4 TFSI de 122 cv. De outro, depois de diversos facelifts no compacto lançado em 1996, finalmente chegou ao mercado a segunda geração do Fiat Palio. A vitória acabou com o Palio, com mínima vantagem. “É o único popular nacional completamente renovado lançado este ano. Surpreendeu pelo bom ajuste de suspensão e calibração do trem de força”, justifica Rodrigo Ribeiro, do portal “WebMotors”. “Totalmente remodelado, ele agrada e tem tudo para conquistar o segmento, há tempos dominado pelo bom – mas defasado – Gol”, reforça Igor Pereira, editor de automóveis do “O Jornal”, de Maceió/AL. “A Fiat conseguiu aliar a modernidade que o tempo atual exige com a praticidade em sua utilização”, pondera Raimundo Couto, editor de veículos do jornais “O Tempo”, “Super Notícia” e “Pampulha”, de Belo Horizonte/MG. “É um carro totalmente novo. Desenho caprichado, motorizações compatíveis com sua proposta e acabamento em visível evolução”, complementa Adalberto Vieira, editor do suplemento “Motor” do jornal “Cruzeiro do Sul”, de Sorocaba/SP.

Nos sedãs, o resultado foi mais tranquilo. O Cruze, modelo que marcou a redenção da General Motors em todo o mundo depois da crise de 2008/2010, venceu com ampla margem de votos concorrentes como Renault Fluence e Nissan Versa “É um carro que chega ao Brasil com totais chances de repetir o sucesso que faz em todo o mundo. Inovações como a transmissão de seis velocidades e seus 144 cavalos deram ao veículo um ótimo desempenho”, avalia Wanderley Peres Junior, diretor do jornal fluminense “O Diário de Teresópolis”. “Vai, com certeza, redefinir o segmento daqui para frente. Traz tudo o que se espera de um sedã: muito espaço e conforto, motor eficiente 1.8 Ecotec6 e tecnologia embarcada de última geração”, explica Luiz Meneghim, diretor de redação e editor de veículos do diário “Notícias do Dia”, com edições nas cidades catarinenses de Joinville e Florianópolis. “A GM mostrou que não quer perder mercado e lançou um belo veículo, com um moderno painel e atualizações importantes para confrontar os concorrentes”, defende Reinaldo Marangoni, editor do “Jornal de Valinhos”, de São Paulo. “Há pouco mais de três meses no Brasil, o novo sedã da Chevrolet já mostra, graças aos bons números de vendas, que conquistou o gosto dos brasileiros. Oferece bom custo/benefício”, contabiliza Michelle Monte Mor, editora do “Diário da Região”, de São José do Rio Preto/SP.

Na briga dos carros familiares, uma vitória com todo o jeito de “bicampeonato”. No ano passado, a eleição aclamou o Citroën Aircross e esse ano o favorito dos editores foi o C3 Picasso. A “versão civil” – sem estepe pendurado na traseira e outros “adereços lameiros” – do Aircross superou concorrentes como os também estreantes Volkswagen SpaceCross e Chrysler Town & Country. “Suas linhas modernas e robustas conferem um visual interessante ao veículo. O equilíbrio entre tamanho e espaço interno também ajudaram”, argumenta Fernando Natálio, editor de veículos do “Correio de Uberlândia”, do Triângulo Mineiro “Ganha pelo design e pelos equipamentos, considerada a faixa de preço”, endossa Paulo Moreira, editor do caderno “Veículos” do “Diário do Vale”, de Volta Redonda/RJ. “Belo projeto de linhas modernas, com muito conforto e espaço interno”, avaliza Walceyr Almeida, diretor-editor do “Jornal de Hoje”, de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. “É um modelo que inova ao oferecer uma série de tecnologia inéditas, apesar da vocação urbana”, rebate Cláudio José de Barros, editor de veículos do “Diário da Manhã”, de Goiânia/GO.

As picapes foram o segmento com menos novidades no mercado brasileiro em 2011. Concorrentes importantes – como Chevrolet S10 e Ford Ranger – deixaram para apresentar suas novas gerações em 2012. A vencedora acabou sendo a Toyota Hilux, que trouxe um facelift em novembro e deixou para trás as também bem votadas Chevrolet Montana e Fiat Strada. “A Hilux ganha por ser maior e oferecer mais opções de motor, tração e cabine. A renovação pouco trouxe de novidade. Com a chegada do motor flex no ano que vem, deve acirrar a disputa em um mercado que, no ano que vem, terá as novas S10 e Ranger”, opina Heitor Ornelas, editor do “Jornal Motor” do diário “A Tribuna”, de Santos/SP. “Mantém a receita anterior, com detalhes incrementados e melhor lista de equipamentos de série”, reforça Eber do Carmo, editor-chefe do blog “Notícias Automotivas”, de Pouso Alegre/MG. “Continua referência no segmento”, sintetiza Marcelo de Queiroz, editor-chefe do website e magazine “Autopolis”, de Campinas/SP. “Conforto de sedã, sem perder a origem 4X4 de passar por qualquer terreno”, define Carlos Henrique Picarelli, diretor do “Jornal do Meio”, de Bragança Paulista/SP.

No segmento de utilitários esportivos, um sucesso mundial – que acaba de desembarcar no Brasil – também já marcou presença por aqui. O estiloso Land Rover Range Rover Evoque deixou para trás outros SUVs bem cotados, como Renault Duster, BMW X3 e Porsche Cayenne. “Com seu design diferenciado, foi a grande novidade do segmento no ano de 2011”, opina Maria Angélica de Moraes, subeditora de Suplementos do jornal “A Gazeta”, de Cuiabá/MT. “A chegada do Evoque ao mercado introduz um novo paradigma aos esportivos utilitários de luxo. Consegue a proeza de ser moderno, bonito e muito sofisticado. E não cobra tão mais caro por isto”, empolga-se Raimundo Couto, do diário mineiro “O Tempo”. “Pode não ser o Land Rover mais virtuoso. Mas a revolução em termos de design e toda ‘desejabilidade’ que ele desperta fazem dele o primeiro”, justifica Marcelo de Queiroz, do site campineiro “Autopolis”. “É o DNA Land Rover vestido com roupa de festa”, expressa Carlos Henrique Picarelli, diretor do “Jornal do Meio”, de Bragança Paulista/SP.

E o design também ajudou a definir o “Melhor Esportivo do Ano”. E embalou o arrojado Peugeot RCZ para ultrapassar os também bem votados Chevrolet Camaro – o vencedor do ano passado – e Mercedes SLK. “Era um conceito que virou ‘cult’ para o mercado. Design avançado aliado à tecnologia de ponta e roupagem agressiva. É um ícone”, avalia Marco Losso, do jornal paulistano “PrimeiraMão”. “Com um motor robusto em um carroceria leve, o RCZ agrada em todos os aspectos”, dá a fórmula Igor Pereira, do alagoano “O Jornal”. “Um esportivo com design instigante. Desempenho comportado, mas com custo/benefício interessante”, argumenta Adalberto Vieira, do diário sorocabano “Cruzeiro do Sul”. “O ousado Peugeot RCZ nada fica a dever a Audi TT e outros semelhantes, com preços acima de R$ 200 mil. O motor é muito eficiente e o design é caprichado”, justifica Amarildo José de Assis, diretor do “Caderno de Veículos” do “Diário do Aço”, de Ipatinga/MG.

“Os Melhores do Ano” em detalhes
Melhor Hatch do Ano: Fiat Palio
Motor: EVO 1.0 8V – A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 999 cm³, com quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro e comando simples no cabeçote. Injeção multiponto sequencial.
Potência máxima – 73/75 a 6.250 rpm.
Torque máximo – 9,5/9,9 kgfm a 3.850 rpm.
Motor EVO 1.4 8V – A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.368 cm³, com quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro e comando simples no cabeçote. Injeção multiponto sequencial.
Potência máxima – 85/88 cv a 5.750 rpm.
Torque máximo – 12,4/12,5 kgfm a 3.500 rpm.
Motor E.torQ 1.6 16V – A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e comando simples no cabeçote. Injeção multiponto sequencial.
Potência máxima – 115/117 cv a 5.500 rpm.
Torque máximo – 16,2/16,8 kgfm a 4.500 rpm.
Carroceria – Hatchback em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 3,87 m de comprimento, 1,67 m de largura, 1,51 m de altura e 2,42 m de entre-eixos.
Data de lançamento – Novembro/2011
Média de vendas – 10,5 mil unidades/mês
Attractive 1.0: R$ 30.990.
Attractive 1.4: R$ 34.290.
Essence: R$ 37.990.
Sporting: R$ 39.990.

Melhor Sedã do Ano: Chevrolet Cruze
Motor: A etanol e gasolina, dianteiro, transversal, 1.796 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, comando variável nas válvulas de admissão e escape e duto de admissão de dupla geometria. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencial.
Potência máxima – 140/144 cv a 6.300 rpm.
Torque máximo – 17,8/18,9 kgfm a 3.800 rpm.
Carroceria: Sedã em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,60 metros de comprimento, 1,79 m de largura, 1,48 m de altura e 2,68 m de entre-eixos.
Data de lançamento – Setembro/2011.
Média de vendas – 2.010 unidades/mês.
LT: R$ 67.900.
LTZ: R$ 78.900.

Melhor Carro Familiar do Ano: Citroën C3 Picasso
Motor – A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.587 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro com comando duplo no cabeçote. Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto seqüencial.
Potência máxima – 110/113 cv a 5.800 rpm.
Torque máximo – 14,5 kgfm com gasolina a 4 mil rpm e 15,8 kgfm com etanol a 4.500 rpm.
Carroceria: Monovolume em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. 4,09 metros de comprimento, 1,63 m de largura, 1,63 m de altura e 2,54 m de entre-eixos
Data de lançamento – Junho/2011.
Média de vendas – 654 unidades/mês.
GL: R$ 48.490.
GLX: R$ 50.900.
Exclusive: R$ 61.400.

Melhor Picape do Ano: Toyota Hilux
Motor D-4D 3.0 – A diesel, dianteiro, transversal, 2.982 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e turbocompressor de geometria variável. Acelerador eletrônico e injeção direta do tipo Common Rail.
Potência máxima – 163 cv a 3.400 rpm.
Torque máximo – 35,0 kgfm entre 1.400 e 3.200 rpm.
Motor D-4D 2.5 – A diesel, dianteiro, transversal, 2.494 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e turbocompressor. Acelerador eletrônico e injeção direta do tipo Common Rail.
Potência máxima – 102 cv a 3.600 rpm.
Torque máximo – 26,5 kgfm entre 1.600 e 2.400 rpm.
Carroceria: Picape cabine dupla em chassi sobre longarina com quatro portas e cinco lugares. Com 5,26 metros de comprimento, 1,83 m de largura, 1,86 m de altura e 3,08 m de distância entre-eixos.
Data de lançamento – Novembro/2011.
Média de vendas – 3.700 unidades/mês.
STD: R$ 93.260.
SR: R$ 111.800.
SRV: R$ 127.260.
SRV: R$ 141.920.

Melhor Utilitário Esportivo do Ano: Land Rover Range Rover Evoque
Motor: A gasolina, dianteiro, transversal, 1.999 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, duplo comando no cabeçote e turbocompressor. Acelerador eletrônico e injeção direta de combustível.
Potência máxima – 240 cv a 6 mil rpm.
Torque máximo – 38,71 kgfm entre 1.900 e 3.500 rpm.
Carroceria: Utilitário esportivo em monobloco com quatro portas e quatro lugares. Com 4,35 metros de comprimento, 1,96 metro de largura, 1,60 metro de altura e 2,66 metros de entre-eixos.
Data de lançamento – Novembro/2011.
Média de vendas – 260 unidades/mês.

Melhor Esportivo do Ano: Peugeot RCZ
Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, alimentado por turbina de hélice dupla, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Comando duplo de válvulas no cabeçote com sistema de variação de abertura na admissão e escape. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico.
Potência máxima – 165 cv a 6 mil rpm.
Torque máximo – 24,5 kgfm a 1.400 rpm.
Carroceria: Cupê em monobloco com duas portas e quatro lugares. Com 4,28 metros de comprimento, 1,84 m de largura, 1,35 m de altura e 2,61 m de distância entre-eixos.
Data de lançamento – Outubro/2011.
Média de vendas – 37 unidades/mês.

As opiniões expressas nesta matéria são de responsabilidade de seu autor e não refletem, necessariamente, a opinião do site WebMotors.
_________________

Ainda não decidiu que carro ou moto comprar? Teste a nova busca WebMotors e escolha o modelo ideal para você.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors