Audi Q5 aproxima seu segmento do dos carros de passeio comuns

Utilitário tem até coeficiente aerodinâmico semelhante ao de um automóvel (até melhor)
  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Audi Q5 aproxima seu segmento do dos carros de passeio comuns
Gustavo Ruffo
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- No fim do mês de maio, o WebMotors teve a chance de estar presente ao lançamento do Audi Q5 no Brasil. O novo utilitário, como já dissemos, chegou com um preço que vai abalar o segmento em que ele se insere: o dos utilitários médios de luxo, onde também estão BMW X3 e Mercedes-Benz GLK, o que não quer dizer que ele seja mal equipado, pelo contrário. A partir de R$ 205,84 mil, ele é maior, mais espaçoso, mais novo e mais barato que os concorrentes, elementos que pesam bastante na decisão de compra. Mas, afinal de contas, como é que ele anda? Foi o que faltou contarmos. É o que faremos agora.

Para começar, o Q5 parece um Q7 menorzinho, o que é muito bom para aqueles que gostam do desenho do modelo maior, mas o acham muito exagerado para rodar na cidade. Ainda que seja menor, o Q5, construído sobre a base do A4, mantém o porte que tornou os utilitários esportivos populares, ainda que ruins de dirigir. E é aqui que o Q5 se destaca: ele é quase tão bom de dirigir quanto um automóvel comum.

Isso começa em sua aerodinâmica, com coeficiente de penetração de 0,29. Quanto menor esse índice, melhor: o carro acelera sem tanto esforço, gasta menos combustível e faz menos barulho em altas velocidades. Poucos carros, a bem da verdade, podem ser gabar de um número tão baixo. O carro de produção em série com índice mais baixo, atualmente, é o Mercedes-Benz Classe E Coupé, com cx de 0,24.

As qualidades prosseguem com o interior. Apesar de alto, o Q5 tem regulagens que permitem ao motorista que prefere uma condução esportiva uma posição de dirigir mais baixa. Poderia ser incoerente exaltar essa qualidade, mas não é. Utilitários são quase sempre comprados por “serem altinhos”, como muitas clientes gostam de destacar, mas essa característica cobra seu preço em dirigibilidade. Na maioria dos utilitários, em alta velocidade o motorista balança como um “joão bobo” em curvas. No Q5, que também tem bancos que seguram bem em curvas, essa sensação é menos perceptível.

Se aliarmos o comportamento do utilitário aos excelentes motores de que ele é dotado, o pacote fica completo. Chega a parecer bobagem querer o motor V6 de 3,2 litros quando, por um bocado menos de dinheiro, o candidato a dono de um Q5 tem um motor tão bom quanto e bem menos gastão: o 2-litros turbo.

Enquanto o V6 tem 265 cv a 6.500 rpm e 330 Nm a 3.500 rpm, o quatro-cilindros gera 211 cv de 4.300 rpm a 6.000 rpm e torque de 350 Nm de 1.500 rpm a 4.200 rpm. Aliás, é quase inexplicável o fato de um carro com mais torque e mais leve ser mais lento. O Q5 2-litros acelera de 0 a 100 km/h, segundo a Audi, em 7,2 s; o V6, em 6,9 s. A máxima, respectivamente, fica em 222 km/h e 234 km/h.

Em termos de consumo, o motor 2-litros mostra superioridade especialmente na cidade, onde ele faria 8,7 km/l, contra 7,3 km/l. Na estrada, as diferenças são menores: 12,3 km/l contra 11,8 km/l, respectivamente. Isso com ar-condicionado desligado e sem carga. Vale lembrar, como sempre fazemos, que esses números são obtidos de acordo com a norma NBR 7024, que usa dinamômetros no teste. Na vida real, os números costumam ser piores, mas os dados de consumo servem como balizamento para uma comparação justa entre os veículos, com todos eles submetidos às mesmas condições.

Ainda que o motor 2-litros se mostre superior ao V6 em termos de custo/benefício, sempre haverá clientes para os quais nada substitui capacidade volumétrica. Seja como for, estes clientes são cada vez menos. Quem gosta de performance não necessariamente gosta de gastar combustível.

No fora-de-estrada, o Q5 tem sistemas eletrônicos que o ajudam a se livrar de situações leves, como descidas íngremes e terrenos enlameados para os quais há um acerto de controle de estabilidade específico, o ESP Off-Road, mas não se deve esperar que ele tenha um desempenho semelhante ao de Land Rover e companhia. O Q5 não tem marcha reduzida, por exemplo, o que restringe sua utilização em terrenos difíceis.

Ao conseguir aliar qualidades do mundo dos utilitários com o dos apreciadores de asfalto, o Q5 se oferece como um veículo bastante versátil e também como um dos mais interessantes de seu segmento. Pena é que esse segmento, no Brasil, é restrito a tão poucas pessoas por conta do preço absurdo dos veículos vendidos por aqui.

FICHA TÉCNICA – Audi Q5

MOTORESQuatro tempos, quatro cilindros em linha, longitudinal, quatro válvulas por cilindro, com duplo comando variável no cabeçote, refrigeração a água, turbocomprimido, com injeção direta de combustível, 1.984 cm³; quatro tempos, seis cilindros em “V”, longitudinal, quatro válvulas por cilindro, com duplo comando variável no cabeçote, refrigeração a água, com injeção direta de combustível, 3.197 cm³
POTÊNCIAS211 cv a 4.300 rpm a 6.000 rpm; 265 cv a 6.500 rpm
TORQUES350 Nm de 1.500 rpm a 4.200 rpm; 330 Nm a 3.500 rpm
CÂMBIOManual automatizado de dupla embreagem e sete velocidades S Tronic
TRAÇÃO Integral permanente quattro
DIREÇÃO Hidráulica, por pinhão e cremalheira, com assistência variável Servotronic
RODAS Dianteiras e traseiras em aro 18”, de liga-leve, na versão Attraction, dianteiras e traseiras em aro 19”, de liga-leve, nas versões Ambiente 2.0 e 3.2, e dianteiras e traseiras em aro 19”, de liga-leve, na versão Ambition
PNEUS Dianteiros e traseiros 235/50 R18, na versão Attraction, dianteiros e traseiros 235/55 R19, nas versões Ambiente 2.0 T e 3.2, e dianteiros e traseiros 255/45 R20, na versão Ambition
COMPRIMENTO 4,63 m
ALTURA 1,65 m
LARGURA 1,88 m
ENTREEIXOS 2,81 m
PORTA-MALAS 540 l
PESOS em ordem de marcha 1.740 kg 2.0 T e 1995 3.2
TANQUE75 l
SUSPENSÃO Dianteira independente, com cinco braços em alumínio five-link e barra estabilizadora tubular; traseira independente, do tipo trapezoidal, com braços articulados sobrepostos em alumínio, subchassi e barraestabilizadora tubular four link
FREIOS Dianteiros com discos ventilados ; traseiros: a disco com sistema anti-travamento ABS, distribuição eletrônica de frenagem EBD, programa eletrônico de estabilidade ESP, assistente hidráulico de frenagem HBA, controle eletrônico de tração ASR e auxílio de assistência à frenagem BA
CORES Não divulgadas
PREÇOR$ 205,84 mil Q5 2.0 T Attraction, R$ 229,23 mil Q5 2.0 T Ambiente, R$ 263,3 mil Q5 3.2 Ambiente e R$ 274,5 mil Q5 3.2 Ambition


Gosta de utilitários de luxo?

Então veja aqui em nossos estoques a melhor oferta para você:

Mercedes-Benz GLK

BMW X3

Land Rover Discovery 3

Infiniti FX45Lexus RX 300

Volkswagen Touareg

Volvo XC90

Leia também:

VW Robust já tem nome definitivo: Amarok

Audi Q5 chega e não quer brincadeira: vai custar R$ 205,84 mil

Nacional Truck, de Uberlândia, cria Limusine Ford F-250 de 9 m

Versões a gasolina mantêm Toyota SW4 caro demais

Dacia Duster antecipa o Renault anti-EcoSport

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors