Este é o novo Hyundai Tucson. O que você achou?

Quarta geração do SUV pode chegar ao Brasil até o final de 2021 recheada de tecnologia e até com versão híbrida plug-in

  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Este é o novo Hyundai Tucson. O que você achou?
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Este é o novo Hyundai Tucson. O SUV médio da empresa coreana, um dos carros mais importantes da marca em todo o planeta, ganhou design extremamente inédito (e diferente), baseado no novo DNA visual da fabricante; inédita gama de motores - que inclui versões híbridas convencionais e híbridas plug-in - e um pacote recheado de tecnologia. Gostou? Responda no campo de comentários!

O carro está programado para chegar às concessionárias europeias até o fim deste ano, por isso a estreia em solo brasileiro deve acontecer somente em 2021, supomos que lá pelo segundo semestre. Abaixo, falaremos um pouco mais do carro, que disputaria mercado por aqui com as versões topo de linha de Jeep Compass, Ford Territory, Volkswagen Tiguan, Peugeot 3008 e Chevrolet Equinox.

Novo Hyundai Tucson: maior e mais moderno

Vamos começar pelo tamanho. O carro cresceu: são 4,50 m de comprimento (contra 4,48 m do atual "New Tucson"), 1,87 m de largura (antes era 1, 85 m) e 2,68 m de entre-eixos (1 cm a mais que a geração anterior). A altura é a mesma, com 1,65 m.

O que isso significa? Que o novo Hyundai Tucson está ligeiramente maior e mais espaçoso - segundo a marca, são 2,6 cm a mais no espaço para as pernas dos passageiros traseiros, mesmo nas versões híbridas, que trazem as baterias sob os bancos traseiros.

O porta-malas tem 546 litros de capacidade na versão híbrida-leve a diesel e bons 620 litros anunciados nas configurações não eletrificadas. Com os assentos traseiros rebatidos, o espaço chega a 1.799 litros.

Desenho futurista

Gostou do visual? Achou estranho? Pois essa é a nova identidade visual da empresa, já aplicada na quarta geração do Santa Fe e que também estará presente na picape intermediária que a empresa prepara para disputar mercado contra Fiat Toro e as futuras Ford Maverick e Volkswagen Tarok, entre outras.

O que chama a atenção é a interação feita pela grade frontal com os faróis - esse estilo chama-se "Parametric Hidden Lights" ("Luzes paramétricas escondidas", em português) e impressiona pelos ângulos afilados. Funciona assim: quando a luz está desligada, toda a grade tem textura brilhante. Quando os LEDs se acendem, cinco elementos em formato de bumerangue (quando vistos de longe) formam a assinatura do modelo.

Na lateral, essas linhas multifacetadas também podem ser vistas nos belos vincos que recortam a carroceria e até nas rodas. Outro detalhe da silhueta é uma barra cromada que percorre o teto da coluna A até a coluna C.

Por trás, o novo Hyundai Tucson tem lanternas bem agressivas com duas linhas paralelas na vertical diagonalizadas, interligadas por uma barra horizontal em LED que percorre toda a tampa do porta-malas. O mais curioso na traseira fica por conta do limpador na parte superior do vidro, que está ali justamente para ficar escondido sob o spoiler do teto. Na parte de baixo, o para-choques segue a identidade visual vista na grade dianteira.

 Desenho do carro é um dos pontos fortes por ser bastante futurista. Limpador do vidro fica escondido sob o spoiler
Legenda: Desenho do carro é um dos pontos fortes por ser bastante futurista. Limpador do vidro fica escondido sob o spoiler
Crédito: Divulgação

Por dentro do novo Hyundai Tucson

Agora vamos conhecer o interior. Veja as imagens e repare que não há muita "poluição". Segundo a fabricante, esse tipo de cabine foi definida como "limpa e refinada", já que combina espaço, tecnologia e controles eletrônicos da maneira mais simplificada possível, justamente para que o habitáculo passe a sensação de ser maior do que realmente é.

Uma dupla linha horizontal percorre toda a parte superior das portas e do painel para reforçar a sensação de que toda a cabine é integrada - segundo a empresa, isso aumenta o destaque para a central multimídia, justamente onde o desenho dessa linha dupla desce e termina.

A central é sobreposta, tem tela de 10,25 polegadas e, de acordo com a fabricante, pela primeira vez no Tucson o ar-condicionado utiliza apenas botões na tela tátil - ou seja, não há mais controles físicos para ajustar a temperatura. Ela também oferece, obviamente, conexão com smartphones via Android Auto e Apple CarPlay sem fio.

A tela atrás do volante é outra totalmente digital, também com 10,25 polegadas, e aposenta o quadro de instrumentos analógico que conhecemos.

Um pouco mais para baixo, no console central, o novo Hyundai Tucson tem carregador de celular sem fio, por wireless. É tudo tão limpo que o carro também perdeu a alavanca de câmbio - ele usa botões no lugar. Traz ainda iluminação ambiente com 64 cores diferentes e 10 níveis de intensidade, bancos de couro ou tecido preto, couro branco e preto ou tecido em dois tons.

icon photo
Legenda: Cabine do novo Hyundai Tucson foi feita para ser "simples e refinada". Comandos do ar-condicionado são digitais
Crédito: Divulgação

Motores e versões híbridas

Segundo o comunicado da Hyundai, a ideia do novo Tucson é oferecer todos os tipos de motorização possíveis com esta nova geração. Isso significa que além dos tradicionais motores a combustão a gasolina ou a diesel, o modelo ainda terá configurações com um sistema híbrido-leve de 48V, híbrido convencional e híbrido plug-in (recarregável na tomada). Só falta, por ora, a versão 100% elétrica.

A opção de entrada será equipada com o motor 1.6 T-GDI, um propulsor quatro-cilindros turbo de 150 cv, que recebe comandos de um câmbio manual de seis marchas, em variantes de tração dianteira ou integral.

As versões híbridas-leve de 48V estarão disponíveis com este motor 1.6 turbo a gasolina, com 150 cv ou 180 cv, tração dianteira e câmbio manual. Por um valor a mais, é possível adicionar a caixa de transmissão automatizada de dupla embreagem e sete marchas, que adiciona automaticamente os 30 cv extras e o sistema de tração integral.

Já o motor 1.6 turbodiesel é vendido somente com 136 cv e o câmbio de dupla embreagem, embora o sistema de tração integral seja opcional.

icon photo
Legenda: Por ora, o carro não oferece uma versão 100% elétrica. Novo Tucson deve chegar ao Brasil no final de 2021
Crédito: Divulgação

Mais acima temos o novo Hyundai Tucson Hybrid, que adota o mesmo 1.6 T-GDI da versão de entrada, mas acoplado a um motor elétrico de 60 cv, que é alimentado por uma bateria de íon-lítio de 1,49 kWh. No total, são 230 cv e 35,7 kgf.m de torque. A transmissão passa a ser automática convencional (com conversor de torque) de seis marchas. Nessa versão, tração integral também é opcional.

Já no começo do ano que vem estreia o Tucson PHEV, configuração do SUV equipada com sistema híbrido plug-in (recarregável na tomada). Por ora, a única informação revelada pela empresa é a de que ele também terá o motor 1.6 turbo T-GDI.

Todos os modelos com tração integral usam uma tecnologia de distribuição inteligente, de modo que a força seja transmitida para as quatro rodas somente de acordo com a necessidade e os modos de condução - ele trabalham em acordo com a suspensão, que pode ser controlada eletronicamente e usa amortecedores adaptativos. Já nas variantes convencionais (tração 4x2), o SUV usa a estrutura do tipo McPherson na dianteira e multibraços na traseira. As rodas podem ser de 17 a 19 polegadas.

Completaço

Por fim, vamos falar de todos os equipamentos que o novo Hyundai Tucson pode oferecer. Começamos com o sistema de frenagem automática de emergência, algo ainda "estranho" de se ouvir no mercado brasileiro, mas item de segurança que em breve será obrigatório na Europa.

O SUV oferece uma espécie de evolução desse sistema, chamado "Junction Turning", que segundo a Hyundai também percebe carros na própria direção que se preparam para fazer conversões para a esquerda - como aquele carro da frente que se ajeita no acostamento para fazer o retorno em uma rodovia de mão dupla, por exemplo.

icon photo
Legenda: Os vincos marcantes da carroceria que combinam até com o formato das rodas dão aspecto de futurismo ao SUV
Crédito: Divulgação

Autônomo? Sim, só faltam as leis

O novo Tucson também incorpora assistente de permanência em faixa, alerta de fadiga, alerta de tráfego cruzado e controle de cruzeiro adaptativo (ACC). Isso quer dizer que ele é mais um carro praticamente pronto a rodar no modo autônomo quando as leis e a infra-estrutura das rodovias e cidades permitirem - por enquanto, ele é só semi-autônomo.

Outra exclusividade apresentada pelo SUV é o sistema chamado "Blind-spot Collision Avoidance Assist", uma evolução do monitor de ponto cego que, além de alertar o motorista sobre carros na diagonal, também freia a roda dianteira no lado oposto ao da mudança da faixa para segurar o veículo e evitar a colisão. Fora isso, ele ainda vem com câmera 360º disposta na central multimídia.

A versão híbrida, por fim, traz sistema de estacionamento automático remoto, que faz o carro andar para frente ou para trás apenas por controles na chave, assim como já fazem alguns modelos premium de marcas de luxo como BMW, Mercedes e Audi.

Comentários