Ford revela o Mach-E, o SUV elétrico do Mustang

Preço de entrada é equivalente a R$ 184 mil. Na versão mais potente, 0 a 100 km/h pode ser cumprido em 3 segundos

  1. Home
  2. Notícias
  3. Ford revela o Mach-E, o SUV elétrico do Mustang
Lukas Kenji
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Três elementos antagônicos deram vida a um carro histórico. Mustang + SUV + propulsão elétrica, estes são os ingredientes do Ford Mach-E, que foi revelado neste domingo (17) durante evento realizado em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Pela primeira vez o Mustang vai ser feito em uma outra carroceria, que não a de um pony-car. É o primeiro passo para que o lendário nome deixe de ser apenas um modelo para virar uma linha.

O Mach-E chegará ao mercado norte-americano no fim de 2020, mesmo período em que será vendido na Europa. Para esses locais, o modelo terá origem mexicana. Ele também será produzido na China para abastecer o mercado local.

Segundo o diretor de eletrificação da Ford, Ted Cannis, a ideia de produzir um Mustang elétrico veio há cinco anos. "Em 2014, quando começamos a pensar em projetos de carros 100% elétricos, pensamos que não poderíamos fazer um simples lançamento. Tinha que ser um carro acima das expectativas e por isso consideramos o Mustang", explicou.

Entre os adversários do elétrico da Ford, podem ser considerados modelos como Jaguar I-Pace e Audi e-Tron. Porém, a rivalidade mais ferrenha deve ser estabelecida com o próximo SUV da Tesla, o Model Y.

 Ford Mach-E GT Performance
Legenda: Ford Mach-E GT Performance

PREÇOS E VERSÕES

O utilitário-esportivo 100% elétrico terá cinco versões nos Estados Unidos. Partirá de 43.985 dólares na versão inicial, chamada de Select. O valor é equivalente a pouco mais de R$ 184 mil em conversão direta.

A segunda versão é a Premium, que custa US$ 50.600 (R$ 212 mil), enquanto a configuração California Route 1 é tabelada em US$ 52.400 (R$ 220 mil). O Mach-E também terá uma versão especial de lançamento, a First Edition, que chega a US$ 59.900 (R$ 251 mil).

Por fim, o modelo terá uma versão mais potente e mais rápida, a GT Performance. Ela chegará ao mercado somente em 2021, mas já teve o preço divulgado: 60.500 dólares, o equivalente a R$ 253.700.

As diferentes versões também terão níveis diferentes de potência e autonomia. O Mustang Mach-E poderá ter 258 cv, 286 cv e 338 cv, com autonomias que variam entre 337 até 434 quilômetros no ciclo norte-americano, chamado de EPA.

icon photo
Legenda: Ford Mach-E inaugura linha Mustang

Já a configuração GT tem desempenho mais agressivo. A potência pode chegar a 465 cv, enquanto o torque (instantâneo) é de 84,6 kgf.m. Além do desempenho elevado, a versão GT tem ainda sistema de freios Brembo e suspensão adaptativa,.

Essa versão também se diferencia por elementos estéticos como grade em tom escuro feita de policarbonato, splitters frontais, três difusores no para-choque traseiro, além de logo iluminado. Com todos os diferenciais, a aceleração de 0 a 100 km/h é cumprida em 3 segundos.

icon photo
Legenda: Faróis seguem identidade do Mustang

TESTE-RIDE

Como o Mach-E ainda está em fase de desenvolvimento, não foi realizado um teste-drive. Porém, o WM1 pôde pegar uma caroninha em um dos protótipos da versão intermediária Premium nos arredores do evento.

A primeira arrancada já foi de impressionar. Por ter torque instantâneo, o modelo consegue atingir velocidades altas rapidamente e é capaz de grudar as costas dos ocupantes nos bancos.

Também foi satisfatório o acerto da suspensão, que tem sistema McPherson na parte frontal, e multilink de cinco braços na parte traseira. É um SUV com centro de gravidade mais baixo do que o convencional não só por manter as características de um muscle car (longa distância entre-eixos e baixa altura em relação ao solo), mas também porque o peso das baterias ajuda a manter o carro em um perfil baixo.

 Modelo chega às lojas no fim de 2020
Legenda: Modelo chega às lojas no fim de 2020

Existem 12 unidades de baterias que 596 quilos. Elas são abastecidas por dois motores eletromagnéticos que ficam posicionados em cada um dos eixos. Dessa forma, o carro pode operar em sistemas de tração traseira ou AWD.

O comportamento do Mach-E também pode ser alterado por meio de três modos de direção que têm nomes bem característicos. São eles Whisper (sussurro), Engage (engajado) e Unbridled (Desenfreado).

A ordem deles corresponde a uma direção amena até a mais agressiva. Interferem no peso da direção, sensibilidade dos pedais, iluminação interna, desenho mostrado no painel de instrumentos e até no som do carro.

A Ford desenvolveu ruídos para que o SUV não fique refém do silêncio da propulsão elétrica, especialmente quando o motorista deseja ter uma condução mais vigorosa. Segundo engenheiros de produto, foram usadas referência de carros usados em filmes futurísticos como “Blade Runner” e “Batman: Begins” para chegar ao resultado final.

Nós participamos de uma experiência virtual para ouvir melhor o som da versão GT, a mais agressiva. Ele realmente emite um ruído personalizado, mas não transmitiu muita emoção, pelo menos nesta experiência com simuladores.

icon photo
Legenda: Central multimídia tem tela de 15,5 polegadas

ESCOLA TESLA

Por outro lado, o contato com a central multimídia foi mais real. Chamada de SYNC 4, ela é baseada em uma tela de 15,5 polegadas. O tamanho exagerado é fruto de oficinas com consumidores de carros elétricos da BMW e da Tesla. Aliás, já vale adiantar que a tela do Model S, ainda é maior, com 17 polegadas.

Apesar de exagerado, o sistema é bastante imersivo e fácil de compreender. Dispensaria até mesmo o uso de tecnologias como Android Auto e Apple CarPlay. Mas elas estão no SYNC 4 e podem ser acionadas via wireless, ou seja, sem o uso de cabos USB.

Todas as atenções no interior acabam sendo monopolizadas pela central até porque o painel de instrumentos ficou reduzido a uma tela pequena e discreta.

Já os demais itens de acabamento são de ótima qualidade, mas estão longe de ter a extravagância do Mustang. O Mach-E tem opções de tons mais claros e existe revestimento de tecido sobre o sistema de som assinado pela B&O. O material é semelhante ao utilizado nas caixas portáteis da grife e envolve os 10 alto-falantes que totalizam 560 watts de potência.

icon photo
Legenda: Compartimento frontal tem 136 litros

Também há presença de materiais específicos no porta-malas frontal. Ele foi feito para carregar coisas sujas, como roupas de banho após um dia na praia. Tem capacidade para 136 litros, o suficiente para carregar uma mala de pequeno porte, e tem até suporte para copos. Já o compartimento traseiro tem 821 litros.

Se por dentro, o Mach-E carrega influências da Tesla, por fora, o modelo quer ser pioneiro. Com a missão de ser uma releitura futurista do Mustang, o SUV tem maçaneta minimalista e abertura das portas acionada por botão.

icon photo
Legenda: Bocal tem padrão CSS

Já quando o assunto é a recarga das baterias, não há revolução. Segundo a Ford, em um sistema de 150 kW, é possível restaurar o equivalente a 75 quilômetros de autonomia em 10 minutos. A Ford também vai fornecer estações de carregamento em casa, em um sistema de até 240 volts.

A montadora informou ainda que o modelo terá a disposição mais de 12.000 estações de recarregamento nos Estados Unidos, sendo a maior rede pública de reabastecimento elétrico do país.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors