As 5 melhores motos para trabalhar

Em tempos de quarentena e uso obrigatório de máscaras de proteção, listamos opções de motocicletas para quem está na rua

  1. Home
  2. Motos
  3. As 5 melhores motos para trabalhar
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Com a notícia de que a quarentena foi prolongada em São Paulo (SP) até o fim de maio e também da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção, resolvemos listar as cinco motos de trabalho mais apropriadas para entregadores. Principalmente porque a demanda por serviços de entrega aumentou nas últimas semanas.

Vale destacar que as entregas não cresceram só em SP: há informações de associações e sindicatos de mais de 30% de aumento no fluxo de motociclistas profissionais em março e abril em todo o país.

Recentemente, falamos sobre como cuidar da moto na quarentena e também sobre como o motoboy deve se prevenir do coronavírus. Agora, vamos listar as 5 melhores motos para trabalhar para os entregadores, pensando em economia de combustível, robustez para aguentar trancos do dia a dia, equipamentos e na confiabilidade da marca - além de localização e quantidade de concessionárias.

Honda CG Cargo 160

A primeira não poderia deixar de ser a Honda CG, simplesmente a motocicleta (e o veículo em geral) mais vendido do Brasil há muitos anos. A versão Cargo é voltada para o uso profissional e vem com suporte que aguenta até 20 kg (justamente para instalação de baú) e suspensões reforçadas, por R$ 10.292 (preço atual, de maio de 2020).

O motor da CG Cargo é um monocilíndrico flex de 14,9 cv e 1,4 kgf.m de torque que consegue fazer mais de 40 km/litro com gasolina. Essa eficiência permite que um tanque cheio (16,6 litros) possa render uma autonomia de mais de 600 quilômetros. Além disso, a rede de concessionárias Honda é a maior do Brasil.

Honda CG Cargo 160 branca em fundo branco
icon photo
Legenda: Honda CG Cargo 160 é a moto de trabalho mais vendida do Brasil e também uma das 5 melhores motos para trabalhar
Crédito: Divulgação

Haojue DK 150

A marca chinesa Haojue, que chegou ao Brasil em 2017 e recentemente lançou a DR 160 no Brasil, tem uma moto street do segmento de entrada que pode ser uma boa opção para trabalho no dia a dia: a DK 150. É importante lembrar, no entanto, que não há muitas opções de revendas e oficinas da Haojue espalhadas pelo Brasil - principalmente na comparação com as lojas da Honda.

A DK 150 tem motor monocilíndrico de 149 cm³ com carburador que rende 11,27 cv e 1,16 kgf.m de torque, mas oferece mimos como painel de instrumentos digital com indicador de marcha e preço atraente: R$ 8.980, mais de R$ 1.000 a menos que a CG, sua principal rival na categoria. Por isso, está entre as As 5 melhores motos para trabalhar.

Haojue DK 150
icon photo
Legenda: Haojue DK 150 é rival direta da CG 160, mas custa menos
Crédito: Divulgação

Yamaha Factor 125i

A representante da Yamaha neste segmento de entrada do mercado de motocicletas é a Factor 125i, que custa menos que a Honda CG Cargo e ainda se mostra como uma das opções mais completas da categoria. Vale destacar, também, que há boa quantidade de oficinas e revendas da marca japonesa espalhadas pelo Brasil, embora não tão grande como a rede da Honda.

A Factor 125i custa R$ 9.950 e também tem motor de um cilindro, que alcança modestos 11 cv, mas diz ser capaz de fazer mais de 46 km/litro - com tanque cheio de 15,7 litros, a Factor alcançaria 722 quilômetros de autonomia, a maior até agora. O "i" do lado do 125 representa o sistema de injeção eletrônica. A moto ainda tem painel digital, rodas de liga leve e partida elétrica.

Yamaha Factor 125i
icon photo
Legenda: Yamaha Factor 125i tem motor mais fraco que o da CG e da DK, mas é mais econômica
Crédito: Divulgação

Honda Biz 110i

Outra boa opção para entregadores são scooters, que são fáceis e mais confortáveis de se pilotar. Recentemente, inclusive, falamos sobre as características desse tipo de motoneta. De olho neles, uma boa sugestão para entregadores é a clássica Honda Biz, que custa R$ 8.150.

A Biz de entrada tem motor de 109,1 cm³ que rende 8,3 cv, movida somente a gasolina. Seu tanque pequenino, que tem apenas 5,1 litros, acaba sendo seu ponto franco, mesmo que o propulsor seja econômico: capaz de fazer mais de 45 km/litro, a Biz com tanque cheio consegue percorrer pouco mais de 230 quilômetros. Talvez seja uma boa opção para entregas que não saiam do bairro.

Honda Biz 110i 2020
icon photo
Legenda: Honda Biz 110i é uma boa opção para quem faz entregas no bairro
Crédito: Divulgação

Dafra Horizon 150

Se além de praticidade você ainda quiser um estilo diferenciado, a Dafra Horizon 150 aparece como boa opção. Ela custa menos que a líder CG, mas tem guidão elevado e estilo mais voltado para motos custom - a própria Dafra chama seu modelo de "porta de entrada" do segmento de motocicletas customizadas no Brasil.

Uma Horizon 150 custa atualmente R$ 9.950 - exatamente o mesmo preço da Yamaha Factor 125i - e vem com motor monocilídrico carburado de 12,8 cv e 1,39 kgf.m de torque e partida elétrica. O tanque de combustível de 14 litros é capaz de render autonomia de mais de 400 quilômetros graças ao consumo médio de 30 km/l, somente com gasolina.

Importante lembrar que a rede Dafra não é tão grande como a de Yamaha ou Honda, mas é maior que a da Haojue,

icon photo
Legenda: Dafra Horizon 150 é opção de entrada com pegada de moto custom
Crédito: Divulgação
Comentários