Polaris Slingshot é diversão de virar a cabeça

Triciclo norte-americano tem motor 2.4 da GM e exige carta de moto
  1. Home
  2. Motos
  3. Polaris Slingshot é diversão de virar a cabeça
Agência Infomoto
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon


“O Slingshot foi desenhado para entregar diversão de virar a cabeça em duas dimensões. Primeiro, aquela que você pode ver, ouvir e sentir ao pilotá-lo e depois aquela diversão de ver os outros virarem a cabeça para admirar seu estilo único”. As palavras com as quais Mike Jonikas, vice-presidente da divisão Slingshot da Polaris, descreve o novo produto não são exagero para definir o novo produto que a marca acaba de lançar no mercado norte-americano. Radical, o exótico triciclo é guiado por volante, tem alavanca de câmbio central, mas ainda está mais para moto do que carro.

No design, o Slingshot (estilingue em inglês) traz uma frente agressiva que lembra uma letra “X” alongada horizontalmente. As “pernas” de cima trazem os conjuntos que abrigam faróis e piscas, enquanto as de baixo formam o para-choque com extensões aerodinâmicas. O capô no centro divide os lados do triciclo e ainda incorpora logo abaixo dois faróis adicionais e a grade que ajuda na refrigeração do motor.

Depois do longo capô, o cockpit, com os assentos de estilo esportivo com “Santo Antônio” lado a lado e o volante à esquerda. Sem capota ou portas, o Slingshot tem habitáculo parecido com os protótipos que competem em autódromos. O veículo “termina” em forma triangular, onde estão as lanternas de LED, já insinuando a única roda traseira, que é presa por um monobraço.

MOTOR GM

O Slingshot é equipado com o motor Ecotec de quatro cilindros em linha (2.384 cm³). O propulsor feito pela General Motors é capaz de gerar até 173 cv de potência máxima a 6.200 rpm e torque máximo de 23 kgf.m a 4.700 giros. O câmbio é manual de cinco velocidades e as mudanças são feitas da forma mais convencional do mundo: uma alavanca localizada no console central. A transmissão de força para a roda traseira é feita por uma correia dentada feita com fibra de carbono reforçada.

Montado sobre um chassi tubular em aço de alta resistência, o Slingshot tem freios a disco ventilados de 298 mm de diâmetro e as dimensões do modelo são equivalentes as de um carro pequeno. São 3.800 mm de comprimento e 1.960 mm de largura. Mais curto e mais largo do que um Chevrolet Onix, por exemplo, e, claro, mais baixo (1.318 mm), por conta de sua vocação esportiva. Freios ABS, controle de tração e controle de estabilidade são itens de série.

O novo triciclo esportivo da Polaris calça pneus Kenda “Slingshot” 799 com medidas 205/50 R17 nas rodas dianteiras, enquanto o tamanho usado pela roda traseira é um pouco maior: 265/35 R18. O peso em ordem de marcha é de 782 kg. Já o tanque de gasolina tem capacidade para 37 litros.

MAIS MOTO DO QUE CARRO

Embora tenha tamanho, peso e motorização de automóvel, o Slingshot ainda partilha muitas características das duas rodas. A ausência de teto e de equipamentos de segurança, como airbags, demanda o uso do capacete. E, segundo a Polaris, exige-se licença de motociclista para guiá-lo pelas ruas e estradas dos Estados Unidos.

Para deixar a diversão ainda maior, a estreia do Slingshot acontece em duas versões: standard e SL. O preço para o modelo de entrada do exótico triciclo é US$ 20.000, o equivalente a cerca de R$ 45.000. No caso da mais esportiva versão SL, o proprietário leva para casa um veículo mais pesado, com 790 kg em ordem de marcha, mas com alguns itens adicionais.

Disponível por US$ 24.000 (algo em torno de R$ 53.800), o Slingshot SL inclui um pequeno para-brisa, kit multimídia com tela de LCD de 4.3 polegadas no console central, câmera de ré, conexão Bluetooth e sistema de áudio com seis alto-falantes. Rodas de liga leve maiores e pneus de tala mais larga – 225/45 R18 na frente e 255/35 R20 atrás – além da pintura vermelha perolizada, completam o pacote.  

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors