Triumph Tiger 1050: motocicleta inglesa está mais on-off

Com rodas de liga-leve e suspensões invertidas, big-trail inglesa gosta mesmo é de asfalto bom
  1. Home
  2. Motos
  3. Triumph Tiger 1050: motocicleta inglesa está mais on-off
Auto Informe
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Foi-se a época em que os modelos big-trail eram sinônimos de motos puramente off-road, prontas para encarar qualquer terreno. De uns tempos para cá, as big-trails se “urbanizaram” cada vez mais. Deixaram de lado seu caráter fora-de-estrada e assumiram uma postura mais urbana. Bom exemplo disso é a Triumph Tiger 1050. A remodelação feita em 2007 trouxe, além do motor de três cilindros em linha com maior capacidade 1.050 cc, diversas novidades que deixaram essa big-trail inglesa muito mais on-road.

A começar pelo visual. Com suas linhas angulosas, a Tiger 1050 até lembra um modelo esportivo. Mas a carenagem e o pára-brisa altos têm outra função: desviar o vento em longas viagens, preferencialmente em estradas pavimentadas. Afinal, com rodas de liga-leve e pneus Michelin Pilot Road, radiais e de perfil esportivo, o que a Tiger 1050 gosta mesmo é de asfalto bom.

Classificada pela Triumph em sua linha de Urban Sports, a Tiger se propõe a ser uma companheira ideal para pegar a estrada e viajar muito. Seja uma rodovia com quatro pistas ou uma serra travada de mão dupla.

Usabilidade

Mas o fenômeno de urbanização da Tiger, assim como de outras big-trails, é conseqüência do uso que os motociclistas fazem dessas motos. Na Europa, de onde vem a maioria das motos nesse estilo, são cada vez mais raras as estradas de terra em péssimas condições. Há as chamadas estradas secundárias, de cascalho ou terra batida, nas quais a Tiger se sairia muito bem. Afinal, o conjunto de suspensão tem longo curso: na dianteira o garfo telescópico invertido de 43 mm de diâmetro tem curso de 150 mm; o mesmo da balança traseira monoamortecida. Com isso, pequenos buracos ou imperfeições no solo são ignorados pela Tiger, porém na terra mais fofa ou na lama os pneus esportivos – 120/70 dianteira e 180/55 traseira – montados em rodas aro 17 polegadas sofreriam bastante.

Mas dentro da proposta da Tiger, ela se sai muito bem. A Triumph afirma que focou o desenvolvimento desse novo projeto na usabilidade. Pois ao rodar com essa última versão, lançada no Brasil em 2008, podemos constatar que a fábrica inglesa acertou.

A posição de pilotagem ereta é confortável para rodar na cidade e a excelente visão em função da altura da moto facilita se adiantar a obstáculos e outras “encrencas” do trânsito. O motor de três cilindros em linha com 1.050 cc tem comando duplo no cabeçote DOHC, refrigeração líquida e injeção de combustível. Suas principais qualidades são a entrega linear de potência até atingir 115 cv a 9.400 rpm e o torque de 10,2 kgf.m já nas 6.250 rpm. Resumindo: força à vontade desde baixas rotações e uma ampla faixa útil do motor.

Esse motor, em conjunto com o quadro esportivo e os freios potentes da marca Brembo com pinças de fixação radial na dianteira, também torna a Tiger 1050 uma boa motocicleta para percorrer uma estrada sinuosa. Já seu largo banco em dois níveis, o útil pára brisa e o tanque de 20 litros a transformam na companheira ideal para uma longa viagem por todo o Brasil, exceção feita se você quiser enfrentar as dunas dos Lençóis Maranhenses ou a lama da Rodovia Transamazônica.

Completa: ABS, computador de bordo...

A versão testada era equipada com freios ABS que, vale ressaltar, funcionam muito bem nessa big-trail inglesa. Independentes nas duas rodas param com segurança os 201 kg a seco.

Outro item que merece destaque na Triumph é seu painel bastante completo. De fácil leitura e boa visualização traz, além do conta-giros analógico e o velocímetro digital, um computador de bordo que fornece informações como consumo, autonomia, etc... Tudo muito útil para longas viagens.

Enfim, a Tiger é uma boa representante das novas e potentes big-trails mais urbanas, que têm no conforto e nas suspensões de longo curso suas grandes qualidades. Cotada a R$ 47,90 mil, a Triumph Tiger 1050 se equipara a suas concorrentes também nesse quesito. A Suzuki V-Strom DL 1000 está sendo vendida por cerca de R$ 44 mil, enquanto a Honda XL 1000V Varadero tem preço de tabela de US$ 28.064, mas até 31 de maio, está com preço promocional de R$ 46,99 mil. Ambas as concorrentes, porém, usam motores de dois cilindros em “V” que não oferecem a mesma potência do modelo inglês.

FICHA TÉCNICA – Triumph Tiger 1050

MOTOR Três cilindros em linha, 12 válvulas, DOHC, com refrigeração líquida, 1.050 cm³
POTÊNCIA115 cv a 9.400 rpm
TORQUE10,2 kgf.m a 6.250 rpm
ALIMENTAÇÃO Sistema de Injeção eletrônica
CÂMBIO 6 velocidades
PARTIDA Elétrica
RODAS Dianteira e traseira de aro 17”, em liga-leve
PNEUS Dianteiro 120/70 ZR17M/C; traseiro 180/55 ZR17M/C
CHASSI Dupla trave em alumínio, 2,110 mm de comprimento, 840 mm de largura, 1.320 mm de altura, 1.510 mm de entreeixos, 835 mm de altura e peso a seco de 201 kg
TANQUE20 l
SUSPENSÃO Dianteira: Garfo telescópico invertido Showa totalmente ajustável e com 150 mm de curso. Traseira: Balança monoamortecida Showa totalmente ajustável e com 150 mm de curso
FREIOS Dianteiro com disco duplo de 320 mm de diâmetro e pinça Nissin de quatro pistões fixada radialmente com ABS. Traseiro com disco de 255 mm de diâmetro e pinça Nissin de dois pistões com ABS
COR preto
PREÇO R$ 47,90 mil


Gosta de motos trail?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Yamaha TDM 900

Triumph Tiger 900

Honda XL 1000 Varadero

Honda NX4 Falcon

Leia também:

KTM RC8 virá ao Brasil no segundo semestre

MV Agusta Brutale 910R será vendida no Brasil

BMW F 800 GS, a alemã com cara de aventura

Moto Guzzi Stelvio, a big-trail da marca italiana

Vectrix mostra em Milão a Electric Superbike

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors