Coronavírus: Ford vai construir máscaras no Brasil

Marca norte-americana vai produzir máscaras faciais para profissionais da saúde em suas fábricas no Brasil e Argentina

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Coronavírus: Ford vai construir máscaras no Brasil
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A Ford do Brasil anunciou neste final de semana que vai produzir inicialmente 50.000 máscaras (nas fábricas de Camaçari, na Bahia, e Pacheco, na Argentina), para doar a profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate ao novo coronavírus.

Adicionalmente, a marca também disse que vai disponibilizar veículos à Cruz Vermelha, no Brasil e Argentina, para auxiliar no transporte de equipes e suprimentos. Esta ação também vai acontecer no Chile, Colômbia e Peru.

Estas novas iniciativas se unem a outras ações anunciadas pela empresa, como a recuperação de respiradores mecânicos (leia mais abaixo) e o adiamento de parcelas de financiamentos -existe, para quem fez o financiamento pela Ford Credit, a possibilidade de postergação de até três parcelas para o final do contrato-, além alterações nos serviços de manutenção de seus carros.

Ford fará máscaras de proteção facial
icon photo
Legenda: Ford fará máscaras de proteção facial

Máscaras chegam em boa hora

As máscaras, fabricadas com lâmina de acetato e peças de suporte, fazem parte dos itens de proteção individual mais requisitados pelos profissionais. A distribuição será coordenada por meio das Secretarias de Saúde e da Cruz Vermelha.

Segundo a Ford, a linha de produção das máscaras será formada por voluntários, respeitando regras de distanciamento, com protocolos de proteção e processos de constante higienização pessoal e desinfecção do ambiente de trabalho.

"A família está em primeiro lugar nos valores da Ford. O desejo de ajudar e cuidar das pessoas é parte integrante da nossa tradição. Em momentos difíceis como este, nossas ações se tornam ainda mais importantes", diz Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul.

Vale lembrar ainda que a Ford recentemente também se uniu à CNI/SENAI e outras empresas para a recuperação de respiradores mecânicos descartados ou com necessidade de manutenção, equipamentos que são fundamentais no tratamento de pacientes com a Covid-19.

Comentários