Pilotos “dão a volta ao mundo” antes de chegar à F-1

  1. Home
  2. Salões
  3. Pilotos “dão a volta ao mundo” antes de chegar à F-1
Rodolpho Siqueira
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Segundo cálculos do piloto goiano Rodolpho Santos, que faz este ano sua estréia no Campeonato Brasileiro de Fórmula Renault, antes de terem a oportunidade de disputar uma temporada na Fórmula 1 – grande sonho de todos os jovens pilotos brasileiros – ele e seus colegas de pista ainda terão de acelerar forte por muitos quilômetros. Para cumprir o ciclo que os deixará tecnicamente prontos para disputar a categoria máxima, eles deverão percorrer mais de 40.000 quilômetros com o pé no fundo do acelerador. Trata-se de uma distância impressionante. “É como disputar uma corrida em torno do planeta Terra, que tem exatamente essa circunferência na linha do Equador”, diz Rodolpho Santos. O cálculo leva em conta o caminho natural de um jovem aspirante brasileiro, que passa por quatro ou cinco categorias até chegar à F-1, geralmente fazendo duas temporadas de cada modalidade. Só na Fórmula 3, Nelsinho Piquet, por exemplo, disputou quatro campeonatos.

Já em 2006 eles acelerarão por uma distância enorme: 6.000 quilômetros. Corresponde a uma vez e meia o percurso entre o Monte Caburaí, no extremo Norte do Brasil, e o Arroio Chuí, no extremo Sul, superando a extensão territorial de nosso país-continente. Mais é isso o que os novatos do Campeonato Brasileiro de Fórmula Renault devem percorrer até o encerramento da temporada 2006. Ele e seus rivais no torneio seguem programas de treinamento similares – e, portanto, terão rodado quilometragem em alta velocidade ao longo do ano.

“Esse cálculo leva em conta tudo o que vamos fazer em 2006, de corridas a treinos particulares e testes coletivos”, diz o piloto de 17 anos. “Eu não tinha idéia dessa grandeza, a gente nem percebe no dia-a-dia o tanto que anda com um carro de competição”, revela. No próximo fim de semana, entre treinos e corridas, Rodolpho e seus colegas da Fórmula Renault adicionarão ao cálculo mais cerca de 500 quilômetros de percurso ao volante do chassi Tatuus equipado com motor Renault 2,0-litros. Em Brasília, eles participam da quinta e sexta etapas da temporada.
_______________________________
E-mail: Comente esta matéria


Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors