Ford Roadster 1929: é preciso estar atento ao consumidor e suas emoções

O modelo Standard Roadster das fotos pertence a uma família paulista. Comprado justamente pela questão emocional
  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Ford Roadster 1929: é preciso estar atento ao consumidor e suas emoções
Antigo Motors
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Vamos ser francos, Henry Ford não era exatamente um mocinho quando fundou seu império, estima-se que estivesse com 39 anos, e tão pouco o fez sozinho, mas sim com outros 11 investidores e total apoio familiar. Pois é, ninguém faz mágica nos negócios. “Graças a sua engenhosidade e teimosia, tornou sonho em realidade. Foi a indústria automobilística Número 1 nos Estados Unidos, com o Modelo T, no começo do século passado e referência mundial no que veio depois”, pontua pesquisadora do Antigo Motors .

Porém, a concorrência aproveitou seus pontos fracos, pois nada é perfeito, e o fez rever seu produto e a forma de fazer negócio. Assim surgiu o Modelo A. Fruto de uma recuada estratégica e muita briga com seu filho Edsel, que o convenceu a ouvir os consumidores que queriam algo além de praticidade e preço acessível. O supersticioso empresário, que descartou ter mais um sócio evitando o número 13 ao iniciar sua empresa, possuía um raciocínio extremamente lógico apenas números e por isso convencê-lo de que automóveis também é emoção custou quase o futuro da Ford.

O modelo Standard Roadster das fotos pertence a uma família paulista. Comprado justamente pela questão emocional, passada de geração a geração, é o segundo exemplar desses apreciadores que vivenciam o antigomobilismo. “Um ano depois da felicidade com o Phaeton vermelho restaurado, adquirimos o esportivo da época, com o banco da sogra para que a família pudesse viajar junta”, contaram bem humorados pai e filho ao Antigo Motors .

A parte mecânica, que Henry tinha grande conhecimento e apreço, foi revista em alguns pontos, como os freios que passam a constar nas quatro rodas e não mais somente no par traseiro. O câmbio também foi aprimorado, ainda que seco, com alavanca no assoalho de três marchas. A aceleração passa a ser no pedal, pois antes era no painel. Todas as melhorias resultavam em 105km/h na estrada. Um estouro! Para a época.

Porém, o mérito de levar a Ford ao status de Número 1 novamente, está no trabalho de Edsel. O herdeiro chefiou a equipe responsável por vários modelos de carrocerias e acabamentos diferentes, incluindo opções de trabalho como caminhão leve. Enfim, todos os gostos e bolsos foram contemplados. Eram eles: Standard e Deluxe Coupe, Business Coupe, Sport Coupe, Standard e Deluxe Roadster Coupe, Cabriolet conversível, Sedan conversível, Phaeton Standard e Deluxe, Tudor Sedan Standard e Deluxe, Town Car, Fordor Standard e Deluxe, Victoria, Taxi, Picape, Comercial e Caminhão.

Mesmo com a queda da Bolsa de Nova York, em 1929, foi um momento em que a empresa Ford não pode reclamar: 607 mil unidades em 1928, 1 milhão e meio em 1929, 1 milhão e 100 mil em 1930, e sob o período que os norte-americanos gostariam de esquecer, foram mais 615 mil exemplares até novembro de 1931. Emblemático na sua curta história, o Modelo A foi substituído pela linha de motores V8, outro grande sucesso num outro contexto.

O Roadster, modelo esportivo da linha, comprado pela família foi um bom negócio. “Só mexemos na mecânica para ficar bem justo e confiável para rodar na estrada”, comentaram. Aliás, parte importante nesse período de férias. “É gostoso na estrada. A turma vai tirando foto, filmando. Não raro, emparelham o carro para admirar e atrasam o trânsito. Uma coisa!”, divertem-se ao contar as peripécias à equipe Antigo Motors .

Quanto à originalidade do carro, não tiveram nenhuma dificuldade graças ao suporte do Clube do Fordinho, que entre diversas atividades promove encontros, viagens e interação entre os sócios. Item que gostam de frisar, pois ajudaram bastante quanto a partes, peças e mão de obra especializada, e desde então adotaram um lema: “Tem de gostar e conservar”.

Curiosidade: O Modelo A leva este nome, já usado em 1907 pela empresa no seu primeiro modelo a motor, para significar um novo começo. Como esta é a matéria inaugural de 2012, a equipe :Antigo Motors deseja a todos um Feliz Ano Novo cheio de sonhos e realizações.

Agradecimentos a família Mazzali e ao Clube do Fordinho.



Para baixar mais fotos exclusivas deste incrível exemplar, acesse a página do Antigo Motors:antigomotors.com.br.

As opiniões expressas nesta matéria são de responsabilidade de seu autor e não refletem, necessariamente, a opinião do site WebMotors

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors