As melhores dicas para ter um PT Cruiser na garagem

Conheça as dicas para encontrar o modelo retrô em plena forma de utilização
  1. Home
  2. Bolso
  3. As melhores dicas para ter um PT Cruiser na garagem
Mídia Motor
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon


No final dos anos 90, um cara chamado Bryan Nesbitt colocou na cabeça que gostaria de criar um carro que fugisse dos padrões estéticos então vigentes. Não, ele não queria nada que remetesse à ideia de modernidade, queria entregar ao consumidor algo que fugisse ao lugar comum das linhas contemporâneas que nivelava os veículos.

Então, com o apoio de Robert A. Lutz, então um dos executivos do board da Chrysler, iniciou os estudos para a criação deste carro, que até então havia apenas um esboço em sua cabeça. Para subsidiar sua pesquisa de design, foi buscar inspiração no campo da psicologia e para tanto, mergulhou em uma pesquisa desenvolvida pelo doutor Clotaire Rapaille, que procurou esmiuçar o gosto do norte-americano, para saber o que eles esperavam de um carro.

Com tudo isso em mãos, Nesbitt debruçou-se sobre sua mesa e entre ela e andanças pelo centro de design da marca, começou a dar forma a seus devaneios. Ele queria criar um carro com ares nostálgicos e para tanto, resolveu beber na fonte que criou os antigos modelos da marca nos anos 30. Lá encontrou o antigo Plymouth Truck (daí as letras PT), um caminhão de elevada robustez para a época, mas ainda precisava de uma plataforma sobre a qual erguer suas linhas, mas isso foi facilmente resolvido, já que o Neon oferecia um chassi que atendia às demandas físicas do novo carro.

Assim, em 2001, saía da linha de montagem da marca o PT Cruiser, um carro de linhas retrô e cheio de charme e estilo, mas que não foi capaz de tornar-se uma unanimidade de aceitação. Com a aparência ligada aos antigos e agora cults Hot Rods, o PT Cruiser lembrava vagamente um antigo calhambeque, com um toque de contemporaneidade, mas sua ousadia acabou pagando o seu preço, já que o carro não foi o que pode ser considerado um sucesso de vendas, algo que por outro lado, somente ajudou a valorizar sua imagem entre seus admiradores.

Por aqui, um dos fatores que pode ter inibido suas vendas pode ter sido a falta de capilaridade da rede de concessionários da Chrysler no Brasil, além de uma possível associação em termos de desenho com o antigo MP Lafer, que também foi um carro que fazia muitos torcerem o nariz.

Mas o fato é que o PT Cruiser angariou tanto lá fora como aqui, uma legião de admiradores, que mantém-se fiel ao carro mesmo após a sua descontinuação, ocorrida em 2010.

No Brasil O carro fez seu début por aqui durante o Salão do Automóvel de 2000 e em janeiro do ano seguinte, passou a ser importado para cá pela Chrysler. A princípio, foi disponibilizada apenas a versão Limited (top de linha), dotada de uma lista de predicados considerada generosa até mesmo hoje: motor 2.0 16V de 141 cv com câmbio automático de quatro marchas, ar-condicionado, ABS, air bags frontais e laterais, vidros e travas elétricas, rodas de liga leve, computador de bordo, direção hidráulica e bancos em couro. No ano seguinte (2002), o carro passou a contar com o câmbio sequencial batizado de AutoStick; em 2005, foi a vez de o motor 2.0 dar lugar ao 2.4 16V, que fazia o motor entregar até 143 cv e 14% a mais de torque, saltando de 19,2 kgf.m para 21,9 kgf.m. Apesar dos ganhos, o câmbio e o peso de 1.366 kg não ajudavam o PT Cruiser a ser um carro de desempenho mais apimentado, mas conforme gostam de ressaltar seus admiradores, este não é um carro para correr, mas sim, para desfilar.

Mas em 2006, a Chrysler decidiu desembarcar por aqui uma versão mais acessível do PT. Batizada de Classic, trazia lista de itens de série mais tímida, deixando de lado os air bags laterais, os bancos em couro e as rodas de liga-leve, com preço sugerido à época de R$ 75 mil.

Mas se pelo lado de fora o PT Cruiser chamava a atenção pelas linhas retrô, pelo lado interno não ficava devendo, já que seu amplo espaço era ressaltado como outra de suas virtudes. Sua configuração de bancos inteligente possibilitava até 26 diferentes possibilidades de ordenamento interno, mas alguns apontavam o volante de raio amplo e os acabamentos de plástico rígido nas portas e no painel como algo desconfortável, tanto em função do tamanho como pelos barulhos que eventualmente estes provocam.

Em 2010, a Chrysler decidiu descontinuar a fabricação do carro mas para tanto, decidiu lançar uma linha para marcar os dez anos de vendas no Brasil. Único país da América Latina a ganhar a Decade Edition, o carro trazia uma série de itens diferenciais, além do símbolo na tampa “Decade Edition – 2000-2010” e certificado de autenticidade, o que somente fez – e faz – aumentar o apetite de seus admiradores e colecionadores sobre este carro.

Passados dois anos de sua aposentadoria, rumores começam a circular dando conta de uma possível ressurgimento do PT Cruiser. Recentemente, circularam algumas fotos na internet mostrando um PT com novos faróis, com uma grade mais ampla e um logotipo mais “esticado” sobre a grade. Os faróis de neblina neste carro são redondos, diferentes do formato do PT de até então, fazendo com que se especulasse sobre uma versão já para o ano que vem, mas por enquanto, nada passa de especulação para decepção de seus fãs.

A voz da experiência

”Meu PT tem feito uma média de 6,5 km/l na cidade e de 10,5 km/l na estrada e a cada quatro ou cinco tanques, abasteço uma vez com gasolina Podium. O carro tem se mostrado perfeito”, afirma Márcio Xavier, dono de um PT Cruiser Limited.

“Eu tive um PT Cruiser Classic 2008 e não tive nenhum problema com meu carro. Apenas o vendi depois de ter ficado dois anos com ele, para pegar um outro carro, mas acho que vou recomprar o PT de volta, pois estou com saudades”, Patrick Zimmermann.

“Tenho dois filhos e meu PT Cruiser é ideal para carregar a família. Quando vamos para a praia, cabe tudo que precisamos dentro do porta-malas, não alterando o conforto dentro do carro”, Paulo de Menezes, dono de um PT Cruiser Classic 2007.

“Sou um feliz novo proprietário de um PT 09/10 em ótimo estado de conservação. O carro é nota 10 em conforto e acessórios, porém, queria melhorar na questão consumo e potência. O meu tocando bem manso, gasta na faixa de 6,5 km/l na cidade”, Carlos Araújo.

“O PT é um carro que tem a frente baixa e que se o usuário não ficar atento, poderá raspar seu protetor de cárter com facilidade no chão. Meu carro tem 16 mil km e até hoje não apresentou nenhum problema crônico. Tenho encontrado com certa facilidade as peças básicas de reposição, como filtros, velas, pastilhas, mas moro em São Paulo, mas se for algo mais complicado, é necessário importar, mesmo. Já latarias e vidros, isso é fácil de ser localizado”, Édi Junior, proprietário de um PT Cruiser Limited 2010.

Seguro

O PT Cruiser não pode ser considerado um carro cujo seguro seja caro, afinal, nunca foi um veículo muito visado pelos ladrões e cujo comércio de peças não tem uma demanda tão reprimida. De acordo com a corretora RH Seguros (www.rhseguros.com.br) uma cotação para um Decade Edition 2010/2010, para um morador de São Paulo, na faixa etária de 40 anos de idade, casado, contando com 15 dias de carro reserva e guincho com quilometragem ilimitada. Este saiu por R$ 3.124,00. Veja também o quanto pode chegar uma cotação na ferramenta do WebMotorsSeguro Auto.

Fique Atento Considerado um carro confiável, o PT Cruiser não é aquele tipo de carro no qual existam “vícios” de fabricação, entretanto, é bom ficar atento a alguns detalhes na hora da compra, até porque, hoje somente serão encontrados veículos usados no mercado.

Ainda que suas suspensões tenham sido recalibradas para o nosso pavimento, em alguns PT Cruiser a direção pode apresentar algum grau de folga, o que pode indicar a necessidade da troca dos terminais de direção. Buchas da suspensão dianteira também costumam pifar após um tempo. Portanto, dê uma volta e verifique se o carro faz barulho ou transmite a sensação de algo solto ao passar em buracos.

Por ser um carro que também caiu no agrado da moçada do tuning, fuja daqueles que passaram por experiências suspeitas, principalmente as relacionadas à pintura, motor e suspensão, pois nem sempre o resultado é satisfatório.

Mas talvez o maior Calcanhar-de-Aquiles deste carro seja o valor de suas peças de reposição. Em uma pesquisa realizada com a oficina AGIII (www.oficinaag3.com.br), de São Paulo, especializada em Chrysler, contata-se que o futuro pretendente a dono de um PT precisa estar muito atento para este detalhe, já que eventuais consertos não são nada baratos. Além disso, é preciso ter ciência que este não é um carro que se encontram peças em qualquer loja de auto peças do seu bairro.

Para dar uma força aos aficionados pelo carro, o PT Cruiser Brasil (www.ptcruiserbrasil.com.br) tem uma guia em seu fórum destinada somente a lojas e oficinas que trabalham com o carro. Consulte.

Acompanhe (preços à vista):

Pastilhas: R$ 145,00

Discos de freio: R$ 335,00 (cada)

Embreagem completa: R$ 1.550,00

Amortecedores: R$ 3.132,00 (os quatro)

Para-choque traseiro: R$ 1.524,00

Farol: R$ 1.790,00 (lado esquerdo)

Retrovisor: R$ 1.594,00 (completo, lado esquerdo)

RecallSegundo o site da fundação Procon do estado de São Paulo (http://www.procon.sp.gov.br/recall.asp), no dia 3 de julho de 2007, o grupo Daimler/Chrysler soltou um comunicado convocando os proprietários de PT Cruiser 2005 e 2006 para um recall, cujo foco eram os vidros traseiros do veículo, que de acordo com a nota, poderiam se soltar com o veículo em movimento.

O mesmo documento também convocava os proprietários destes carros para um recall no sistema de arrefecimento.

Mas dois outros recalls, ocorridos anteriormente, não aparecem no site da Fundação Procon. O primeiro era para reposicionar a mangueira do combustível, que corria o risco de se romper e provocar um incêndio no modelos ano 2001. Já o segundo recall focava os modelos 2001 e 2002, para a realização de reparos na bomba de combustível, já que havia a possibilidade de vazamentos.

Para saber se o carro que deseja comprar passou por estes recalls, cheque o manual ou mesmo uma concessionária para saber se o veículo passou por estas convocações.

Gosta de PT Cruiser?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para este segmento:

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors