Renault censura consumidora insatisfeita

Liminar da justiça obriga cliente a retirar do ar reclamações sobre seu Mégane defeituoso
  1. Home
  2. Bolso
  3. Renault censura consumidora insatisfeita
Rodrigo Ribeiro
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

– Disputas entre consumidores e fabricantes são comuns na justiça, mas o caso da consumidora Daniely de Andrade contra a Renault tomou um rumo incomum. Uma liminar solicitada pela Renault obrigava Daniely a retirar do ar um site e dois vídeos que publicou a respeito de seu Mégane. Até a publicação desta matéria o conteúdo continuava disponível.

Procurada pelo WebMotors, Daniely não explicou quais são os defeitos de seu Mégane parado há quatro anos, segundo ela e quais são os impeditivos para ele rodar. A consumidora também afirma em seus vídeos que o carro teve todas as suas parcelas pagas, porém o registro do veículo consta que seu proprietário ainda é o banco que fez o financiamento. O Mégane 2007 também tem R$ 2.091,50 em impostos atrasados não quitados pela proprietária.

Do outro lado, a Renault do Brasil divulgou o seguinte comunicado, aqui publicado na íntegra:

"Sobre o caso envolvendo a Sra. Daniely de Andrade Argenton, a Renault do Brasil informa que a empresa continua a manter contato com a consumidora, na busca de uma solução conciliadora para a questão, não tendo a empresa se omitido em nenhum momento e que, conforme disponibilidade das partes, foi agendado, para a próxima semana, um encontro entre representantes da empresa e os da consumidora.

A Renault esclarece também que não se manifestará sobre o conteúdo do site criado pela cliente, independentemente da liminar favorável que lhe foi expedida pela Justiça.”

Renault do Brasil S.A.

Atualização: Após a publicação da reportagem, a consumidora Daniely entrou em contato com o WebMotors se pronunciando sobre as informações aqui publicadas. Segundo Daniely, o Mégane segue em nome do banco por não ter havido pedido de transferência para ela. Daniely também afirma que o IPVA dos anos de 2010 e 2011 não foram pagos devido ao fato do carro não se mover.

Em resposta ao questionamento anterior da reportagem, Daniely explicou os acontecimentos que impedem, segundo ela, do Mégane se locomover. A consumidora afirma que o carro apresenta falhas durante acelerações, o que ocasionou problemas durante ultrapassagens. Daniely reitera que uma perícia constatou que o carro não é seguro para o uso devido a este problema.

Twitter
_________________

Gosta de sedãs médios?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Honda Civic

Toyota Corolla

Chevrolet Vectra

Renault Mégane

Nissan Sentra

Volkswagen Bora

Ford Focus

Fiat Linea

Citroën C4 Pallas

Peugeot 307 Sedan

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors